A CAIXA-PRETA DO SOUTHAMPTON

Por @viniciusof  É impossível analisar as recentes boas campanhas do Southampton na Premier League sem citar a exitosa política de contratações do clube da costa sul inglesa. Acerto e critério no mercado são marcas de um dos melhores compradores e vendedores do futebol europeu. O segredo para tanto sucesso está no respeito a uma política de […]

Por @viniciusof 

É impossível analisar as recentes boas campanhas do Southampton na Premier League sem citar a exitosa política de contratações do clube da costa sul inglesa. Acerto e critério no mercado são marcas de um dos melhores compradores e vendedores do futebol europeu. O segredo para tanto sucesso está no respeito a uma política de futebol entranhada em todos os setores do clube e no aproveitamento do Black Box, um software de análise exclusivo dos Saints.

Mauricio Pochettino, Ronald Koeman, Sadio Mane, Adam Lallana, Dejan Lovren, Nathaniel Clyne, Luke Shaw e Morgan Schneiderlin. O que todos têm em comum? Passaram pelo rigoroso crivo do Black Box, esta poderosa ferramenta customizada e há pelo menos cinco anos utilizada para análise de atletas de todas as categorias e potenciais aquisições. O Southampton não divulga o nome dos desenvolvedores do software. Mistério, por sinal, é uma marca que acompanha o dispositivo, instalado numa sala sem janelas no CT Markus Liebherr Pavillon. Ali se encontra uma mesa com cadeiras, telefone, um dispositivo de vídeo e um grande monitor. Somente diretores de alto escalão, treinadores, auxiliares, técnicos em informática e engenheiros da computação têm acesso ao reservado local. Tamanha confidencialidade é justificada, segundo clube, para que o Black Box não perca a exclusividade. A maioria das equipes utiliza programas de scouting pagos, como Wyscout, Optapro ou Footstats, no caso dos brasileiros. O Southampton optou por investir num programa customizado, que desde que foi criado já rastreou atletas em todos os cantos do mundo. Se nos últimos anos o clube lucrou mais de £185m com venda de atletas, muito se deve ao Black Box.

PRESERVAÇÃO DA BASE

bale-cropped_tgsyzfb4vkiz1o5523v9bbpqh

Quando chegou ao clube, em abril de 2010, o diretor executivo Leslie Reed elencou como prioridade máxima resgatar o caráter formador do Southampton, que revelou para o país talentos como Theo Walcott, Gareth Bale e Alan Shearer. Assim uma boa fatia do que era arrecadado com verbas de televisão e dos patrocinadores era investido na formação e captação de atletas. Enquanto apostava no futuro, o clube instituiu como política do futebol profissional o aproveitamento de pratas da casa. E subiu da terceira para primeira divisão em dois anos pelos pés de Adam Lallana, Luke Shaw, Ward-Prowse e Calum Chambers, além de contar com os gols de Jay Rodríguez e do veterano Rickie Lambert.

Na elite, os Saints perceberam que era preciso de mais planejamento para disputar com os peixes grandes da liga. Fatalmente o clube iria perder seus jogadores para equipes de maior poder aquisitivo e precisava estar sempre preparado para repô-los com velocidade e precisão. A partir daí criou-se uma prática autossustentável de venda e compra de jogadores. Seis profissionais consultam e abastecem o Black Box com informações que vão muito além dos atributos técnicos dos atletas. A ficha técnica inclui histórico de peso, altura, lesões e relações interpessoais do jogador. Tudo para se traçar um perfil físico, tático, técnico e psicológico preciso, reduzindo ao máximo a probabilidade de erro. “Os dados de desempenho nos permitem dizer se o jogador é quem estamos procurando. A informação física não é apenas sobre a velocidade média. É se o atleta está em alto nível, como mantém a bola em cima, como é seu primeiro toque. Quando você está tentando descobrir um potencial que pode ser transformado em excelência, você precisa de muita informação”, afirmou Reed em entrevista à BBC.

SOLIDARIEDADE, COMPANHEIRISMO E TRABALHO

Estas três palavras são premissas levadas a sério nos corredores do St Mary’s. Por isso, além de tecnicamente qualificado, o atleta precisa estar inserido no contexto de valorização coletiva do clube, que nos últimos anos se notabilizou por jogar um futebol envolvente. Quando perdeu Mauricio Pochettino para o Tottenham, os Saints repuseram com Ronald Koeman, que depois de uma boa temporada foi contratado pelo Everton. A lógica é manter comandantes que valorizem o jogo posicional de bola no chão e a imposição técnica. Na última temporada, o francês Claude Puel foi bastante criticado por subverter esta marca recente do clube. Quem o substituirá este ano será o argentino Mauricio Pellegrino, que se destacou levando o Alavés à final da Copa do Rei. Segundo a imprensa inglesa, até mesmo os treinadores são avaliados e escolhidos pelas informações do Black Box.

Com tanto critério e êxito nas escolhas é sempre bom ficar de olho nos movimentos do Southampton no mercado. O clube transformou-se num case de assertividade. Para os atletas, trata-se de uma equipe que oferece estabilidade esportiva e vitrine referendadas pela etiqueta de “clube vendedor” dos Saints.

promo298482540

VENDAS DESDE 2014:

2014: Calum Chambers (Arsenal) £16m, Adam Lallana (Liverpool) £25m, Rickie Lambert (Liverpool) £4m, Dejan Lovren (Liverpool) £20m, Luke Shaw (Manchester United) £27m

2015: Players: Nathaniel Clyne (Liverpool) £12.5m, Morgan Schneiderlin (Manchester United) £25m.

2016: Players: Sadio Mane (Liverpool) £34m, Graziano Pelle (Shandong Luneng) £12m, Victor Wanyama (Tottenham) £11m.

COMPRAS DESDE 2014:

2014: Dusan Tadic (FC Twente) £8,7m, Graziano Pelle (Feyernood) £8,7m, Fraser Forster (Celtic) £10,9m, Florin Gardos (Steua) £6, Shane Long (Hull City) £13m, Sadio Mané (RB Salzburg) £13m

2015: Ryan Bertrand (Chelsea) £11,4m, Juanmi (Málaga) £6m, Cédric Soares (Sporting) £5,7m, Martina (Twente) £1,3m, Jordy Clasie (Feyernoord) £10,5m, Van Dijk (Celtic) £13,7m

2016: Charlie Austin (QPR) £5m, Nathan Redmond (Norwich) £11,8m, Pierre-Emile Højbjerg (Bayern) £13,1m, Sofiane Boufal (Lille) £16,4m

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Vinícius Fernandes

Últimas Postagens

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários
Danilo, uma boa dor de cabeça para Abel Ferreira no Palmeiras
Gabriel Corrêa

Danilo, uma boa dor de cabeça para Abel Ferreira no Palmeiras

0 Comentários
Zidane vence jogo de xadrez no El Clásico e aumenta disputa por título na Liga
Bruna Mendes

Zidane vence jogo de xadrez no El Clásico e aumenta disputa por título na Liga

0 Comentários