ACREDITAR ATÉ O FINAL

Por @_GabrielCorrea As palavras convicção e projeto deveriam caminhar juntas em qualquer hipótese. Podemos dizer que Enrique ‘Quique’ Setién, 58 anos, é um poço de ideias sobre o jogo. O técnico espanhol assustou o mundo pela maneira como colocou o Real Bétis para enfrentar (e ganhar) o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu, mas foi […]

Por @_GabrielCorrea

As palavras convicção e projeto deveriam caminhar juntas em qualquer hipótese. Podemos dizer que Enrique ‘Quique’ Setién, 58 anos, é um poço de ideias sobre o jogo. O técnico espanhol assustou o mundo pela maneira como colocou o Real Bétis para enfrentar (e ganhar) o Real Madrid em pleno Santiago Bernabéu, mas foi no Las Palmas que mostrou ser um treinador que gostava de ter a bola, atacar e fazer com que os jogadores se divirtam dentro de campo.


QUEM É SETIÉN?

Nascido na cidade de Santander, Setién foi um centrocampista com algum sucesso, tendo passado por Racing Santander, Logroñés e Atlético de Madrid, chegando a disputar três jogos pela Seleção da Espanha nos anos 80. Se aposentou em meados da década de 90 e começou sua carreira como treinador em 2001. Seu trabalho de afirmação foi no Lugo, entre 2009 e 2015, quando subiu os Albivermelhos da terceira para segunda divisão espanhola.

Foi chamado para comandar o Las Palmas na temporada seguinte e mesmo com o objetivo do clube ser apenas permanecer na primeira divisão, Setién conseguiu fazer Los Amarillos fazerem um jogo fluído de toque de bola e capaz de incomodar Barcelona, Real Madrid e Atlético de Madrid em seus confrontos por La Liga. Decidiu não permanecer nas Ilhas Canárias ao final da temporada 2016/17 e seu nome era pedido por diversos torcedores do Barcelona com a saída de Luis Enrique. Porém, decidiu rumar a Andaluzia onde comandaria o Bétis.

ESTILO DE JOGO

O Real Bétis parte do princípio que ter a bola é a melhor forma de se defender, algo que Pep Guardiola sempre falou em suas entrevistas. Quique Setién tem o ‘Jogo de Posição’ como ideal a partir de seus principais conceitos: saída de 3, amplitude com os laterais, aproveitar os espaços pelo meio com os meio-campistas e uma última linha muito móvel.

Real Bétis - Jogo de Posição

Na partida contra o Real Madrid, alguns números chamaram ainda mais atenção no time de Quique Setién que busca se defender através da posse de bola. A equipe de Andaluzia passou a dominar no últimos 20 minutos de jogo. Na reta final de partida, foram 4 chutes do Bétis contra 3 do Real Madrid (até o minuto 25 eram 24 chutes do Real).

E o mais importante: na reta final de jogo, buscando se defender, o Bétis começou a dominar o jogo também na posse de bola 53% para os Verdiblancos em plento Santiago Bernabéu. O resultado final vemos no gol que teve os 11 jogadores tocando na bola. Uma aula.

Dentro das partidas, algo muito importante de ressaltar e possível observar também em alguns gols do Bétis: o passe para trás não significa um recuo ou medo de atacar. Na maiorias das vezes, uma equipe retorna a bola ao defensor para buscar o melhor lado para começar um novo ataque.

CONVICÇÕES

As ideias de Quique Setién ficaram muito claras no jogo contra o Real Madrid e em sua coletiva antes da partida. As palavras do treinador deveriam servir para qualquer ocasião. Não há como mudar um estilo de uma hora para outra.

“Não se pode trocar da noite para o dia algo que você está há meses trabalhando e trata de melhorar a cada dia… A ideia não vai mudar. Não posso trocar o chip dos meus jogadores, já demanda tempo convencê-los a fazer algumas coisas e ir integrar outras para simplesmente mudar de uma hora para outra. É como se você estivesse ensinando seu filho a fazer algo de uma maneira e no dia seguinte pedisse para ele fazer de outra forma. Ele vai estranhar e sentir. Há que manter uma linha. Muitas coisas dramáticas devem acontecer para se mudar algo”

Agora, quero abrir um momento de reflexão. É realmente necessário ter jogadores acima da média para propor o jogo? A pressão e a cultura brasileira não permite essa continuidade dos técnicos em equipes de menor expressão? É possível trazer mais exemplos como esse ao Brasil? Comentem aqui no blog ou em nosso Twitter.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários
Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes
Lucas Filus

Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes

0 Comentários