Artur será o principal jogador do Red Bull Bragantino em 2020?

Com boas passagens por Londrina e Bahia após empréstimos do Palmeiras, será que chegou a hora de Artur assumir o protagonismo também no RB Bragantino?

A primeira grande compra do Red Bull Bragantino, e, até o momento, a maior de todas, envolveu Artur Victor Guimarães. Por €6 milhões, o “novo rico” do futebol brasileiro garantiu um jogador cheio de potencial, que havia brilhado pelo Bahia no campeonato nacional de 2019. O ponta de 22 anos recebeu poucas chances no Palmeiras — mas, a 87 km da capital, tem tudo para ser a referência técnica de sua equipe em 2020.

Quer receber conteúdos exclusivos diariamente? Faça parte do Footure Club

Desde que chegou a Bragança Paulista, Artur assumiu a camisa 7 e, com o mesmo número de jogos, teve quatro participações em gols. A influência do jogador em campo tem sido notável, bem como sua importância para o funcionamento da equipe (algo que foi destacado, inclusive, pelo técnico Felipe Conceição no TPI #168). Seria possível afirmar que ele será o principal jogador da equipe na temporada?

Novas exigências

Artur já havia aparecido com destaque no cenário nacional quando, emprestado pelo Palmeiras ao Londrina, liderou a Série B de 2017 em assistências (10), formando uma eficiente dupla de ataque com Jonatas Belusso. Partindo da direita, o jogador tinha liberdade para trabalhar por dentro, cortando com a sua canhota, de onde deu muitos passes para gol e marcou arrematando de longe.

No Bahia, em 2019, ganhou um maior protagonismo em cenários de transição, muito por conta do estilo de jogo adotado por Roger Machado. Demonstrando-se adaptado desde o início, virou uma arma para os contragolpes da equipe, mas também apresentou capacidade de trabalhar em espaços curtos, recebendo sempre do lado direito.

Artur RB Bragantino

Com 1,68m, Artur é incisivo e intenso com a bola, mas não é o tipo de ponta que abaixa a cabeça quando tem a posse. Seu potencial como armador foi comprovado na Série B de 2017, mas, nos anos seguintes, não apareceu em termos de assistências. Ainda assim, terminou o Brasileirão do ano passado com 2,1 passes para finalização. Já pelo Massa Bruta, em sete partidas neste ano, deu duas assistências, ambas conduzindo da direita e encontrando passes diagonais na direção da área.

O Red Bull Bragantino tem sido, no Paulistão, o time que toma a iniciativa nas partidas. É uma equipe que, por característica comum aos times da mesma empresa, imprime um ritmo alto aos jogos, ao mesmo tempo em que busca ter a bola o maior tempo possível. Nas dez partidas até aqui, a posse de bola média da equipe foi de 57,3%, algo que apresenta menos cenários de campo aberto para a velocidade de Artur.

Ainda assim, ele é o tipo de jogador que busca acelerar o ritmo sempre que recebe a bola, o que o faz aproveitar as chances que tem em contra-ataque. Como o ponta pela direita no 4-3-3, ele não é poupado na fase defensiva, recompondo pela direita em um 4-1-4-1. Isso não impede que Artur seja o jogador mais buscado para conduzir as transições ofensivas, ainda que os outros atacantes, Ytalo e Claudinho (ou Morato), também sejam móveis o suficiente para tal.

Craque do time?

Excetuando-se os jogadores da linha de defesa e o primeiro volante, influentes na saída de bola paciente da equipe, Artur é o jogador do Bragantino que mais coleciona toques na bola por jogo neste Paulistão. Além disso, é também o que mais cria chances para os companheiros, também pelo fato de ser um dos cobradores de bolas paradas. É possível acreditar que, a partir do retorno do futebol no país, ele seguirá sendo o homem de frente mais buscado pelos seus companheiros, o que responde a questão em relação ao seu grau de protagonismo.

O destaque de Artur não aparece somente em sua equipe. Num cenário maior, de todo o Paulistão de 2020, o jogador aparece como o segundo maior driblador, tendo, inclusive, a melhor porcentagem de acerto dentre todos. Em relação ao número de toques na bola, aparece junto de outros jogadores que são as referências técnicas de suas equipes, como Soteldo, Dudu e Luan. Pablo Diogo, do Guarani, destoa no gráfico em termos de toques, muito porque tem atuado como lateral, concentrando boa parte de suas ações com bola ainda no setor de defesa.

O Massa Bruta vinha tendo boa campanha no Paulistão, contando com Artur como o seu principal jogador ao lado de Ytalo, o artilheiro. A retomada das competições ainda parece distante, mas uma coisa é certa: o jovem de 22 anos tem tudo para ajudar seu time a ter uma estreia digna em seu retorno à Série A.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários
Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes
Lucas Filus

Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes

0 Comentários