A "Geração 05" que começa a chamar a atenção no Brasileiro Sub-17

Após seis rodadas disputadas, o Brasileirão Sub-17, que conta com jogadores nascidos a partir de 2004, está pegando fogo. Sobretudo por conta do crescimento dos jogadores da Geração 2005.

Como vocês já sabem, o Brasileirão Sub-17 de 2021 é disputado por jogadores nascidos a partir de 2004, contando com uma vasta quantidade de talentos de uma geração muito falada. No entanto, também é de praxe jogadores ainda mais jovens do que a “nota de corte” aparecerem como destaques nas partidas.

Esse é o caso dos meninos nascidos no ano de 2005, ou como o pessoal do meio gosta de falar, a “Geração 05”. Inclusive, alguns deles foram convocados por Paulo Victor Gomes, treinador da seleção sub-17, para o período de treinamentos que começa nessa quinta-feira, 17 de junho.

Até a sexta rodada, apenas Flamengo e Fluminense estão invictos no Campeonato Brasileiro Sub-17. Aliás, o Rubro Negro é a única equipe com 100% de aproveitamento na competição. Paralelamente com a lista da seleção e com as recentes performances, é justamente uma dupla da geração 05 dos rivais cariocas que tem chamado a atenção nas rodadas e, afortunadamente, convocadas para a clínica no CT do Retrô, em Pernambuco.

Arthur Wenderrosky, a grande joia de Xerém, figura na convocação de Paulo Victor e é o maior destaque do Flu, que está em segundo lugar no Grupo B, no BR Sub-17. O meio-campista, que já estava pulando etapas em 2020, quando fizera parte do elenco campeão nacional da categoria, disputará com Rodriguinho (2004 do São Paulo) a responsabilidade de armar a Seleção nos treinamentos. É importante pontuar que Arthur já tinha sido escolhido para treinar com a camisa verde e amarela em novembro de 2020.

O camisa 10 do Flu tem dois gols marcados no certame, ambos de pênalti, porém, a quantidade de chances criadas para os companheiros é tremenda. Arthur é o cobrador oficial de todas as bolas paradas, além de carregar a braçadeira de capitão em algumas partidas. O jovem de apenas 16 anos convive com as expectativas desde os tempos de futsal, que justifica alguns trejeitos que possui em seu jogo.

De cabeça erguida e com domínio de bola fácil, Arthur transita muito bem pelo meio-campo, tendo facilidade em buscar o jogo na base da jogada ou se associando com a linha de atacantes no último terço. O QI de futebol do armador do Fluminense fica evidente durante as partidas por conta da velocidade nas execuções técnicas, seja um passe mais difícil ou um chute de longa distância quando o adversário está retrancado.

Quer conteúdo exclusivo? Desconto nos cursos e na Loja Futeboleira? Faça parte do Footure Club!

Aliás, Arthur não é o único jogador da “Geração 05” do Tricolor das Laranjeiras que tem desfilado Brasil a fora pelo campeonato nacional. Vale destacar o momento vivido por Kayky Brandão, zagueiro canhoto de muita técnica nos passes e imposição física para antecipar; Gustavo Dohmann, volante mais fixo, porém, com boa saída de bola; e o ardiloso meia/atacante João Lourenço, que tem ganhado minutos e chamado a atenção pela ousadia nos dribles. Eles ainda não foram convocados para o sub-17.

Pelo lado Rubro Negro, que usa em grande maioria jogadores nascidos na data limite para a equipe que está competindo no Brasileiro, o nome de Matheus Gonçalves ressoa cada vez mais forte. Inicialmente saindo do banco de reservas, a joia do Ninho começou como titular nas duas últimas rodadas.

Convocado por Paulo Victor para o lugar que, em tese, seria do Ângelo, que atualmente está com a equipe principal do Santos, Matheus Gonçalves tem três gols no campeonato, mas os dois primeiros que fizera, quando ainda era reserva, ajudaram na concepção da fama do garoto do Mengão.

O atual camisa 8 fizera os gols das vitórias do Rubro Negro contra Ceará (segunda rodada) e Grêmio (terceira rodada). Contra o Vozão, Matheus Gonçalves virou a partida aos 43 do segundo tempo num chutaço de canhota de fora da área, que morreu no ângulo do goleiro Cauã. Contra o Tricolor Gaúcho, o então camisa 17 costurou a defesa pelo lado direito e finalizou de pé trocado para desempatar a peleja que marcava 3×3 no placar. O terceiro gol, já como titular, aconteceu na última rodada na goleada por 4×0 sobre o América Mineiro.

Embora o talento de Matheus Gonçalves já fosse reconhecido por observadores que acompanham a base brasileira, a convocação do ousado jogador flamenguista surpreendeu até os próprios torcedores justamente pela questão da titularidade. Driblador, veloz e com uma ótima finalização de pé esquerdo, o ponta ainda precisa evoluir fisicamente, o que irá acontecer naturalmente haja vista que ele tem apenas 15 anos, no entanto, a ligeireza do rubro negro é contagiante, sempre aprontando algo em cada rodada – seja com dribles ou fazendo gol.

Outro jogador convocado por Paulo Victor Gomes para o período de treinamentos da seleção foi Gabriel Santos, o Vareta. O defensor do Palmeiras fez o caminho inverso dos jogadores citados anteriormente, porque ele começou o campeonato como titular, mas depois virou reserva. Todavia, a promessa alviverde é bastante famosa nas divisões de base por estar sempre dois passos adiante.

Vareta fez parte do elenco sub-20 do Palmeiras que chegou à final do Campeonato Paulista, vencida pelo Corinthians nos pênaltis, e simultaneamente pelo time que disputou o Brasileirão da categoria. O zagueiro tinha idade para disputar a categoria sub-15, mas como ela não aconteceu por conta da pandemia ele fora alçado rapidamente para os mais altos escalões.

A promessa alviverde, que já fora convocada para a seleção Sub-17 em 2020, tem entrado em praticamente todas as partidas dessa edição. Ele se destaca bastante por ser um zagueiro alto, porém, rápido, sendo capaz de carregar a pelota e quebrar a primeira linha de pressão adversária.

Não foram convocados, mas vale a pena ficar de olho neste Brasileiro Sub-17:

Apesar do Grêmio ainda não ter deslanchado no campeonato, a equipe gaúcha tem três jogadores promissores nascidos em 2005 que já entraram em campo vestindo a camisa tricolor: o meio-campista João Marcos, o ponta Nathan e o atacante Kauan Kelvin. O último, inclusive, balançou as redes duas vezes, sendo o artilheiro gremista no certame. O primeiro talvez seja o menos famoso, porém, parece ser um jogador evoluído taticamente.

O atual vice-artilheiro do Brasileirão Sub-17, Victor Roque, já marcou sete gols com a camisa do Cruzeiro. Com atuações melhores do que previamente esperado, a Raposa ocupa o quarto lugar do Grupo A. E isso deve-se muito ao camisa 9, pois ele balançou as redes em cinco das seis rodadas. Na única vez em que ele não marcou, foi na derrota para o Bahia, na terceira rodada. Vitor Roque tem bom físico, noção de movimentação e facilidade para bater na bola.

E falando em balançar as redes, o artilheiro do Santos na competição é Deivid Washington com três gols. Nascido em 2005, ele começou como reserva, mas nas últimas rodadas tem atuado como titular pelos Meninos da Vila, tendo marcado duas vezes contra a Chapecoense e uma vez contra o Fluminense. O grande nome do Peixe na “Geração 05” é Felipe Laurindo, porém, o ponta não participará do Brasileirão por conta de uma lesão nos ligamentos do joelho e, apesar de não ter o mesmo hype, Deivid tem ganhado mais espaço. Podendo atuar como ponta ou centroavante, a nova promessa do Alvinegro Praiano se destaca pela explosão física, qualidade na finalização e ataque ao espaço.

Outro jogador low profile, e que tem alternado entre titular e reserva, é o volante Murilo, do Athletico Paranaense. Apesar da pouca idade, a promessa do Furacão aparenta ter uma maturação física avançada, o que o permite ganhar duelos no meio-campo. Todavia, a facilidade no controle de bola e a visão nos passes é muito atraente, mostrando um QI de jogo bem evoluído.

Por último, porém, não menos importante – até porque ele finalmente estreou pelo São Paulo – está Newerton Palmares. Captado em 2020 pelo Tricolor, existe uma enorme curiosidade pelo potencial desse garoto que atua pelas pontas. Incrivelmente habilidoso no 1v1, seja no espaço curto ou com campo para correr, Palmares entrou no segundo tempo contra o Atlético Goianiense, na quinta rodada, e já foi titular contra o Grêmio no último compromisso. Famoso em Recife pela criatividade, ele chega num clube que fará muito bom uso de suas qualidades individuais.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Caio Nascimento

Últimas Postagens

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol
Jonatan Cavalcante

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol

0 Comentários
Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI
Footure

Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI

0 Comentários
Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada
Caio Nascimento

Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada

0 Comentários
Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos
Caio Bitencourt

Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos

0 Comentários
O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?
Bruna Mendes

O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?

0 Comentários
O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?
Gabriel de Assis

O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?

0 Comentários
Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?
Jonatan Cavalcante

Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?

0 Comentários
God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22
Gabriel Corrêa

God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22

0 Comentários
Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado
Gabriel de Assis

Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2

0 Comentários
A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?
Caio Bitencourt

A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1

0 Comentários
O complicado início de Diego Aguirre no Internacional
Gabriel de Assis

O complicado início de Diego Aguirre no Internacional

0 Comentários
Rodrigo De Paul: o meia com DNA de Simeone e Atlético de Madrid
Bruna Mendes

Rodrigo De Paul: o meia com DNA de Simeone e Atlético de Madrid

0 Comentários
A Inglaterra superou seus traumas e, agora, se permite sonhar
Lucas Filus

A Inglaterra superou seus traumas e, agora, se permite sonhar

0 Comentários