CONEXÃO RÚSSIA

Por @BolivarSilveira As novas tecnologias nos possibilitam um acesso muito maior de informações, conseguimos constatar em um tempo mínimo após as partidas; a quantidade de vezes que cada jogador tocou na bola, chutou a gol, quantidade de metros percorridos e mais uma infinidade de detalhes importantíssimos. Uma destas informações chama muito a atenção, a conexão […]

Por @BolivarSilveira

As novas tecnologias nos possibilitam um acesso muito maior de informações, conseguimos constatar em um tempo mínimo após as partidas; a quantidade de vezes que cada jogador tocou na bola, chutou a gol, quantidade de metros percorridos e mais uma infinidade de detalhes importantíssimos. Uma destas informações chama muito a atenção, a conexão entre atletas.

A conexão entre os jogadores mapeia onde a equipe tem mais facilidade para gerar jogo e quais são os jogadores de maior influência para o desempenho. Com esses dados o Footure preparou um resumo das conexões de cada seleção até aqui. Observem os caminhos para a fluidez do jogo das dezesseis seleções classificas para as oitavas de final:


URUGUAI

Maior quantidade de conexões: Giménez + Bentancur (48), Vecino + Bentancur (40) e Bentancur + Cáceres (28).

Maior quantidade por jogo: Giménez + Bentancur (19), Coates + Godín (17) e Bentancur + Cáceres (16).

Uruguai

Os números evidenciam a importância do meio-campista da Juventus na construção do jogo uruguaio. Bentancur trabalhou 48 vezes com o zagueiro Gimenez, buscando o jogo para distribuir para Vecino, por dentro, ou Cáceres, por fora. Mesmo mantendo a mecânica direta, nessa Copa o Uruguai possui uma melhor qualidade para a proposição de jogo.

PORTUGAL

Maior quantidade de conexões: João Moutinho + Cédric (14) e Raphael Guerreiro + João Mário (16).

Maior quantidade por jogo: Adrien Silva + Raphael Guerreiro (17), Adrien Silva + Pepe (17) e William Carvalho + Adrien Silva (16).

Adrien Silva

Portugal ainda é dependente do individualismo de seus jogadores. Há pouco mecanismo e troca de passes na equipe da península ibérica, durante a fase de grupos não houveram grandes conexões. O maior número foi apresentado durante a partida contra o Irã e tendo Adrien Silva como destaque.


FRANÇA

Maior quantidade de conexões: Varane +Pavard (25), Pogba + Hernandez (23) e Kanté +Pavard (21).

Maior quantidade por jogo: Varane + Sidibé (32), Varane + Pavard (23) e Varane + Kimpembé (21).

Varane

Os comandados por Deschamps mesmo classificando com folgas no grupo C, não teve um grande desempenho durante as partidas. Seu jogo ficou marcado pela dificuldade de construir, o que fica evidente com a quantidade de ligações que partem do Varane, mesmo possuindo Pogba, Matuidi e Kanté por dentro.

ARGENTINA

Maior quantidade de conexões: Mascherano + Otamendi (34), Mascherano + Banega (33) e Banega + Mascherano (33)

Maior quantidade por jogo: Rojo + Mascherano (29) e Mascherano + Messi (23)

Mascherano

A explicação da opacidade ofensiva da Argentina e do sobrecarregamento em Lionel Messi se encontra nesses números. Mascherano, jogador de dificuldade de criação, é quem mais da passes na seleção bicampeã mundial.  O destaque positivo fica por conta de Éver Banega que mesmo atuando em partes dos três jogos é um dos mais participativos segundo os dados de conexões.


BRASIL

Maior quantidade de conexões: Coutinho + Neymar (57), Marcelo + Neymar (52) e Marcelo + Coutinho (44).

Maior quantidade por jogo: Marcelo + Neymar (33), Filipe Luis + Neymar (32) e Miranda + Marcelo (26)

Brasil

As conexões brasileiras refletem o desequilíbrio ofensivo, a esquerda é o grande lado brasileiro. Marcelo, Neymar, Coutinho e até Filipe Luis são os grandes destaques. Há qualidade, mas a seleção do Tite precisa aumentar o repertório.

MÉXICO

Maior quantidade de conexões: Salcedo + Álvarez (41), Moreno + Salcedo (36) e Álvarez + Salcedo (33)

Maior quantidade por jogo: Salcedo + Álvarez (25) e Moreno + Salcedo (19)

México

México passou para as oitavas de final com um consolidado jogo reativo, passes rápidos e diretos em direção ao gol adversário. A quantidade de conexões escondeu a verticalidade mexicana, mas evidenciou o trabalho entre laterais e zagueiros da defesa mexicana. Salcedo é o grande destaque.


BÉLGICA

Maior quantidade de conexões: Boyata + Vertonghen (31), Witsel + Vertonghen (23) e Boyatá + Witsel (22)

Maior quantidade por jogo: Alderweireld + Boyatá (37) e Boyatá + Alderweireld (27)

Bélgica

O substituto de Kompany, machucado, assumiu muito bem o papel na linha de 3 da Bélgica, distribuindo com naturalidade o jogo, como faz o zagueiro citizen. Junto a Boyatá, Vertonghen e Witsel são os expoentes das conexões belgas.

JAPÃO

Maior quantidade de conexões: Yoshida + Shoji (39), Hasebe + Yoshida (41) e Shoji + Yoshida (32)

Maior quantidade por jogo: Yoshida + Shoji (24) e Makino + Yoshida (24)

Japão

Os únicos asiáticos a classificaram apresentam as grandes conexões entre os jogadores de defesa. Revelando uma certa dificuldade nipônica para criar jogadas.


ESPANHA

Maior quantidade de conexões: Alba + Isco (72), Iniesta + Isco (69), Ramos + Alba (66) e Ramos+ Isco (66).

Maior quantidade por jogo: Iniesta + Isco (31), Ramos + Isco (27) e Ramos +Alba (27).

Espanha

A quantidade acima da média não assusta da equipe espanhola já não assusta mais ninguém. A novidade é a participação de Isco como peça fundamental do jogo espanhol. Participa da principal conexão e foi receptor das duas maiores quantidades de passe por jogo e de jogadores diferentes. Isco é o centro da Espanha em 2018.

RÚSSIA

Maior quantidade de conexões: Mario Fernandes + Samedov (30), Samedov + Fernandes (18) e Zhirkov + Golovin (18).

Maior quantidade por jogo: Mário Fernandes + Samedov (13), Samedov + Mário Fernandes (11), Mário Fernandes + Samedov (11), Samedov + Fernandes (11), Ignashevich +Kutepov (11) e Kudryashov + Zobnin (11)

Mário Fernandes

A conexão Russa acontece pelos lados do campo e com muita ultrapassagem. Os laterais, Mário Fernandes e Zhirkov aparecem como pontos importantes, sempre interagindo com os extremos de seus respectivos lados, Samedov e Golovin.


CROÁCIA

Maior quantidade de conexões: Modric + Rakitic (22), Lovren +Rakitic (11) e Brozovic +Modric (11)

Maior quantidade por jogo: Kovacic+Badeij (23) e Pivaric +Kovacic (21)

Croácia

Rakitic e Modric é o meio campo dos sonhos dos maiores clubes do mundo e a Croácia tem o prazer de tê-los em sua seleção. Ambos controlam o ritmo e distribuem as jogadas da melhor underdog da Copa até aqui. As conexões com maior quantidade por jogo aconteceram na partida contra a Costa Rica, onde a Croácia atuou com equipe mista e teve uma grande porcentagem de posse de bola.

DINAMARCA

Maior quantidade de conexões: Christensen +Kjaer (44), Kjaer + Christense (26) e Dalsgaart + Kjaer (21)

Maior quantidade por jogo: Christensen + Kjaer (24), Christensen + Kjaer (15) e Kjaer + Schöne (14)

Dinamarca

A monótona e sonolenta troca de passes entre os zagueiros dita o jogo da Dinamarca. É a maior conexão total e maior conexão por jogo. O craque dos Spurs, Christian Eriksen terá uma grande missão nas oitavas de final para fazer esse time jogar.

SUIÇA

Maior quantidade de conexões: Akanji + Xhaka (45), Behrami + Schär (45) e Xhaka + Akanji (40).

Maior quantidade por jogo: Schär +Akanji (22), Akanji + Xhaka (19) e Behrami + Schär (18)

Suiça

Durante a compilação de dados as conexões que mais se repetiram durante os três jogos, foram as do suíços, destacando sua organização e modelo de jogo sólido. Xhaka, é o organizador da equipe, e Akanji, o centro técnico na defesa.


SUÉCIA

Maior quantidade de conexões: Granqvist + Ekdal (26), Lusting + Claesson (10) e Larsson + Ekdal (9)

Maior quantidade por jogo: Granqvist + Ekdal (22) e Jansson + Ekdal (17)

Suécia

O forte sistema defensivo sueco apresenta-se também nos números das conexões. O zagueiro Granqvist, grande comandante dessa classificação, é o maior passador nas ligações. Seus passes geralmente encontram o volante Ekdal, jogador do que também recebe a maioria dos passes de Larsson e Jansson.

INGLATERRA

Maior quantidade de conexões: Walker + Stones (59), Stones + Walker (51) e Young + Maguire (23).

Maior quantidade por jogo: Walker + Stones (35) e Stones + Walker (29).

Inglaterra

Na Inglaterra de Southgate quem arma são os zagueiros, os comandados por Guardiola, Stones e Walker, são os lideres das conexões. Eles que distribuem os jogo, trocando passes entre si, mas também buscando a profundidade para Sterling, Trippier e Lingard.


COLÔMBIA

Maior quantidade de conexões: Arias + Cuadrado (37) e Mojica + Izquierdo (17)

Maior quantidade por jogo: Arias + Cuadrado (19), Mojica + Izquierdo (17) e Arias + Cuadrado (15)

Colômbia

O caminho colombiano é pelos lados. Em sua melhor partida até aqui, contra a Polônia, James e Cuadrado, os principais jogadores ocuparam as faixas pelos costados do campo. Não à toa, Arias, lateral direito, e Mojica, lateral esquerdo, aparecem como destaque nas conexões. Arias passando para Cuadrado e Mojica para Izquierdo, substituto de James, que completou poucos minutos jogados, devido a lesão.

*Dados da StatsZone

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Footure

Últimas Postagens

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários