COPA DO MUNDO - DIA 12

Por @_GabrielCorrea Passamos da metade da Copa do Mundo e conhecemos os dois primeiros confrontos das oitavas de final. Espanha x Rússia e Portugal x Uruguai. Dois confrontos muito interessantes e com suas particularidades, mas antes disso vamos relembrar o que aconteceu no 12º dia de Mundial na Rússia.   Uruguai 3 x 0 Rússia […]

Por @_GabrielCorrea

Passamos da metade da Copa do Mundo e conhecemos os dois primeiros confrontos das oitavas de final. Espanha x Rússia e Portugal x Uruguai. Dois confrontos muito interessantes e com suas particularidades, mas antes disso vamos relembrar o que aconteceu no 12º dia de Mundial na Rússia.


 

Uruguai 3 x 0 Rússia

Quando a escalação do Uruguai surgiu nos telões, uma possibilidade de três zagueiros com Cáceres, Godín e Coates parecia inevitável, mas o que se viu foi uma formação em losango (Torreira, Nández, Vecino e Bentancur) e que tentou anular as qualidades da Rússia.

Faltava algum costume em atuar desta forma, tendo a bola e a equipe de Óscar Tabárez não tinha a naturalidade de quando joga “ao seu modo” com suas duas linhas de quatro. Bentancur era a ponta do losango e quem pressionava Zobnin para não deixar os russos com tranquilidade já na saída de bola. Apesar de sua força física e altura, Dzyuba enfrentou seu primeiro grande duelo: Diego Godín. E sofreu.

Cada um da sua maneira, podem oferecer muitos perigos aos adversários. O Uruguai, mais organizado, pode fazer Portugal sofrer, principalmente em sua área com Cavani-Suárez no duelo Pepe-José Fonte. Já a Rússia, por sua força física e transições em velocidade pode fazer a Espanha sofrer com sua falta de capacidade nas transições defensivas tendo apenas Busquets, Sérgio Ramos e Piqué tendo que correr 60 metros de costas.


Arábia Saudita 2 x 1 Egito

No duelo das equipes que já estavam eliminadas da Copa do Mundo, algumas curiosidades. A principal deles é quanto ao goleiro egípcio: El-Hadary. Aos 45 anos, ele é o jogador mais velho a atuar numa Copa do Mundo, quebrando o recorde de Mondragón, que atuou pela Colômbia, em 2014.

Para se observar na Arábia Saudita, assim como indicado no Guia Tático: Abdullah Otayf. Por ele passavam todas as ações dos sauditas e ainda deu a assistência para o primeiro gol. Pode surgir em algum time médio da Europa nas próximas semanas. No Egito, fica a lamentação de não ter um Mo Salah 100% fisicamente. A sua ausência certamente pesou no equipe egípcia tática e tecnicamente, mas principalmente na força mental de um time que chegava sem seu melhor jogador.


 

Irã 1 x 1 Portugal

O duelo da escola portuguesa no reservado. Carlos Queiroz contra Fernando Santos. Dois técnicos conhecidos pelos seu pragmatismo e alto conhecimento de todos os adversários que enfrentam. Portugal apostou em Quaresma pelo lado direito, Adrien Silva dando mais ritmo ao meio e André Silva como parceiro de Cristiano Ronaldo para abrir espaços ao camisa 7.

Portugal ainda sofre muito defendendo e precisa de um Pepe inspirado para conseguir seguir adiante. Hoje, foi uma partida de elite para ajudar seus companheiros.

DgkIBykXcAIS43Q

O Irã sai de cabeça erguida pelas boas atuações e a classificação que esteve próxima até os últimos instantes da prorrogação. O goleiro Beiranvand como um dos grandes do time, ainda mais com a defesa do pênalti de Cristiano Ronaldo. Um projeto que vem desde o Mundial em 2014 e pode ir se consolidando para o próximo ciclo com crescimento de nomes como Azmoun e Jahanbakhsh.


 

Espanha 2 x 2 Marrocos

Um duelo que poderia ser apenas para confirmar a classificação da Espanha à próxima fase, virou em sofrimento. Apesar do controle de jogo, a sutileza dos toques de Busquets, Iniesta e Isco; a transição defensiva segue com diversos problemas. Apesar de Koke para dar mais poder físico, Busquets segue desacompanhado e não terá capacidade para prever todas as jogadas. Além disso, Piqué e Sérgio Ramos estão sofrendo completamente sozinhos para defender em campo aberto.

Marrocos foi uma das Seleções interessantes para se observar, mas o futebol também é um jogo de eficiência. Foram bem no primeiro jogo e perderam no último lance. Deram sufoco em Portugal, mas não conseguiram transformar em gols suas oportunidades. Hoje, sofreu de duas formas: fez os gols, mas sofreu bem mais atrás.

wgac5asz5y6sxnpaxne5

Para as oitavas, seria prudente para Espanha tentar colocar mais físico para enfrentar a Rússia e tentar encaixar seu pressing no campo contrário e não deixar os donos da casa “gostarem da partida” e se imporem no físico e mental.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Footure

Últimas Postagens

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários