DICAS DE BETTING - 17ª RODADA DO BRASILEIRÃO

Por Caio Bitencourt Nesta 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe do Footure começará a lançar um resumo com números e estatísticas das 10 partidas que ocorrem no final de semana. Para os apostadores, dicas que podem ser valiosas no momento de conseguir um green ou fugir de um red. Então, fiquem atentos e cheguem mais. Lembrando que […]

Por Caio Bitencourt

Nesta 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, a equipe do Footure começará a lançar um resumo com números e estatísticas das 10 partidas que ocorrem no final de semana. Para os apostadores, dicas que podem ser valiosas no momento de conseguir um green ou fugir de um red. Então, fiquem atentos e cheguem mais.

Lembrando que são apenas dicas a partir de estatísticas e números gerais dos jogos. Nenhuma delas é a certeza do que irá ocorrer. Jogue com moderação.


 

BAHIA x CSA – 17h – Sábado

8º lugar (24 pontos) x 19° lugar (12 pontos)

  • Em Campeonatos Brasileiros, o Bahia nunca perdeu para o CSA em casa.
  • Em 11 jogos entre os dois no Brasileirão, foram 9 triunfos do Bahia, 1 empate e 1 vitória do CSA, curiosamente no último confronto entre os dois na Série A, em 1986.
  • O Bahia está numa série de 6 jogos de invencibilidade.
  • O último confronto entre os dois foi válido pela Copa do Nordeste de 2014, com triunfo do Bahia por 1 a 0, placar insuficiente para a classificação do Bahia naquela ocasião, em que CSA e Santa Cruz se classificaram no grupo B daquela edição. No jogo de ida, o CSA havia vencido por 4 a 1.
  • Em competições nacionais, o Bahia não vence o CSA desde a vitória por 2 a 0 durante a Série C de 2006, quando se enfrentaram pela última vez. De lá pra cá, mais 3 jogos pela Copa do Nordeste com 2 vitórias do CSA e 1 do Bahia (fonte: blog Jogos do CSA)
  • A vantagem do Tricolor Baiano no confronto é tão grande que desde a primeira vitória azulina em 1986, o CSA só voltou a vencer o Bahia no confronto na Copa do Nordeste de 2010, por 2 a 1 (em que o Esquadrão usou o time B), e na edição de 2014, por 4 a 1.
  • Em 8 dos 9 triunfos do Bahia contra o CSA pelo Brasileirão, o Bahia marcou no mínimo 2 gols.
  • Na história do confronto pelo Brasileirão, o CSA sequer marcou gol na Fonte Nova.
  • O CSA ainda não marcou gols no primeiro tempo de alguma partida.
  • Média de gols do confronto (Brasileirão): 2,54 gols/partida.

 

CHAPECOENSE x SANTOS – 19h – Sábado

17º lugar (14 pontos) x 2º lugar (33 pontos)

  • A Chapecoense é a 4ª pior mandante do Campeonato Brasileiro.
  • O Santos é o 3º melhor visitante do Campeonato Brasileiro.
  • Pela primeira vez, o Santos está a 3 jogos sem vencer no campeonato.
  • O Santos é a equipe que mais teve jogos acima de 2.5 gols neste Campeonato Brasileiro, ocorrendo em 9 de 16 rodadas.
  • O Santos é a equipe que menos saiu atrás do marcador no campeonato: apenas 2 vezes (contra Palmeiras e Cruzeiro).
  • O Santos é a equipe que mais marcou gols no primeiro tempo junto com o Flamengo: 15 gols.
  • Porém, nas últimas 2 partidas, o Santos saiu na frente do marcador e não venceu os jogos.
  • Nos 6 jogos em que a Chapecoense marcou primeiro, em 3 houve vitória da Chape.
  • A Chape conseguiu na última partida frente ao Botafogo, emendar sua primeira sequência de dois jogos sem sofrer gols no campeonato.
  • Nas 2 vitórias na Arena Condá chapecoenses sobre Inter e Avaí, Everaldo deixou sua marca com gols.
  • Nas 7 partidas em que Everaldo marcou gol, em 5 delas a Chapecoense não foi derrotada.
  • Nos 4 confrontos feitos entre Chapecoense e Santos na Arena Condá pelo Brasileirão, foram 2 vitórias da Chape, 1 empate e 1 vitória do Santos, em outubro de 2016.

 

ATHLETICO x CEARÁ – 19h – Sábado

10º lugar (22 pontos) x 13° lugar (20 pontos)

  • Na Arena da Baixada, o Athletico nunca perdeu para o Ceará em jogos de Brasileirão.
  • A única vitória do alvinegro em Curitiba foi pelo Brasileirão de 1982, por 3–0 no estádio Durival de Britto.
  • Nos jogos na era dos pontos corridos, o padrão de gols foi abaixo de 2.5 em 3 dos 6 jogos, e acima de 2.5 nos outros 3.
  • Fora de casa, o Ceará é um dos piores visitantes: com 7 jogos longe do Castelão, fez apenas 4 pontos, com uma vitória contra o Avaí e um empate diante do Fluminense.
  • No atual Brasileirão, o Athletico só perdeu em casa para equipes paulistas (Corinthians e São Paulo). Nos outros 5 jogos na Baixada, só venceu.
  • Nas 4 últimas partidas entre Athletico e Ceará em Brasileiro e Copa do Brasil, foram 4 empates.
  • Em 5 dos últimos 6 jogos do Athletico na Baixada, houveram menos que 3 gols (abaixo de 2.5)
  • Nos últimos 4 jogos do Ceará fora de casa, houveram menos que 3 gols (abaixo de 2.5)
  • Nos 15 minutos finais (entre o minuto 76 e o 90), o Athletico é o segundo time que mais marcou: 8 vezes.
  • Porém, também nos 15 minutos finais, o Athletico é o segundo time que mais sofreu gols: 8 vezes, em estatística empatada com Chapecoense e Cruzeiro.
  • Média de gols do confronto (Brasileirão): 2 gols/partida. Média de gols dos pontos corridos: 2,16 gols/partida.

 

INTERNACIONAL x BOTAFOGO – 21h – Sábado

7º lugar (24 pontos) x 9° lugar (23 pontos)

  • Internacional deve ir com equipe reserva, mas mesmo com os reservas em alguns jogos, o Inter mantém a terceira melhor campanha em casa no Brasileirão.
  • Nos 7 duelos em que Odair Hellmann usou reservas no Brasileiro, o Inter teve 2 vitórias, 1 empates e 4 derrotas.
  • O Botafogo é a equipe que mais virou jogos no Brasileiro: 3 vezes, contra Bahia, CSA e Athletico-PR, respectivamente.
  • O Internacional marcou no mínimo 2 gols nas últimas 4 partidas contra o Botafogo em todas as competições.
  • Antes dos pontos corridos (1971–2002), o confronto entre Inter e Botafogo tinha vantagem botafoguense. Depois dos pontos corridos, vantagem colorada no histórico.
  • Na era dos pontos corridos, o Botafogo venceu mais o Inter no Beira-Rio (5 vezes) do que como mandante em Maracanã, Estádio Luso-Brasileiro e Nilton Santos (4 vezes).
  • Nos 13 jogos disputados com mando do Inter nos pontos corridos de Brasileirão, excetuando pelo 0–0 de 2006, em 10 das 12 vezes que houveram gols, quem marcou primeiro, venceu a partida. Nas duas exceções, vitórias de virada do Botafogo (3–2 em 2007 e 2–1 em 2012).
  • Média de gols nos jogos do Brasileirão (histórico): 2,24 gols/partida. Média de gols nos pontos corridos: 2,73 gols/partida

 

FLAMENGO x PALMEIRAS – 16h – Domingo

1º lugar (33 pontos) x 3º lugar (30 pontos)

  • Felipão nunca perdeu uma partida no Maracanã válida pelo Campeonato Brasileiro treinando o Palmeiras. Por outro lado, nas três passagens, nunca ganhou. Foram 5 jogos com 5 empates contra 3 clubes do Rio no estádio (Flamengo, Fluminense e Vasco).
  • Contando outras competições, como Rio-São Paulo e Copa do Brasil, o retrospecto tem mais 1 vitória, 2 empates e 2 derrotas.
  • No Novo Maracanã, Felipão está invicto. Foram 4 jogos, com 2 vitórias e 2 empates. Somando os jogos pela Seleção Brasileira em 2013 (2–2 contra a Inglaterra em amistoso e 3–0 contra a Espanha pela Copa das Confederações), são 6 jogos com 3 vitórias e 3 empates.
  • Flamengo não vence o Palmeiras como mandante desde 2014. De lá pra cá, foram 4 jogos, com 2 empates e 2 vitórias alviverdes, embora destes, 2 jogos foram no Maracanã, 1 na Ilha do Governador e outro em Brasília.
  • Na década, somente nesta vitória por 4 a 2 de 2014, o Flamengo venceu o Palmeiras. De resto, em outros 13 jogos, 5 vitórias do Verdão e 8 empates.
  • Vitórias flamenguistas na era dos pontos corridos sobre o Palmeiras foram tão raras que só ocorreram três vezes: em 2014, 2008, em uma histórica goleada por 5 a 2, e em 2006, com vitória rubro-negra por 2 a 1.
  • O Flamengo chegou a ficar 12 anos sem vencer o Palmeiras no Maracanã por Campeonatos Brasileiros. Entre a vitória por 2 a 0 em 1994 e a por 2 a 1 em 2006, o jejum só não foi sentido porque os flamenguistas venceram duas vezes os palmeirenses na Copa do Brasil no período no estádio (1997 e 1999).
  • O Flamengo, junto com Corinthians e São Paulo, é a equipe que tem a melhor campanha desde o retorno da parada pra Copa América.
  • Em 7 jogos disputados em casa, o Flamengo venceu os 7 jogos, e tem a melhor campanha como mandante no Brasileirão.
  • Na era Jorge Jesus, em todos os jogos o Flamengo saiu na frente do marcador e venceu.
  • 15 das 16 partidas do Flamengo tiveram no mínimo 1 gol marcado.
  • Todas as 16 partidas do Palmeiras tiveram no mínimo 1 gol marcado.
  • Em 11 das 16 partidas do Flamengo ambos marcaram gols.
  • Desde a chegada de Pablo Marí, o Flamengo sofreu no máximo 1 gol em 6 das 8 partidas do espanhol em campo como titular.
  • A vítima preferida de Gabriel, em seu período com a camisa do Santos, era o Palmeiras: marcou 6 gols em 16 jogos, mais do que contra os outros dois grandes rivais santistas.
  • Dudu marcou em 3 dos últimos 8 jogos que enfrentou o Flamengo pelo Brasileirão.
  • Média de gols nos jogos do Brasileirão (histórico): 2,61 gols/partida. Média de gols nos pontos corridos: 2,78 gols/partida

 

FORTALEZA x GOIÁS – 16h – Domingo

15º lugar (18 pontos) x 11° lugar (21 pontos)

  • Um confronto no Brasileiro onde prevalece o empate: na história, foram 11 jogos, com 3 vitórias do Fortaleza, 2 do Goiás e incríveis 6 empates.
  • Considerando os dois últimos duelos pela Série B, os últimos 3 confrontos entre Fortaleza e Goiás tiveram 3 gols ou mais (acima de 2.5).
  • Nos últimos 6 jogos entre as duas equipes, os confrontos tiveram 2 gols ou mais (acima de 1.5).
  • O Fortaleza ainda não venceu sob o comando de Zé Ricardo.
  • O Fortaleza vem de 3 derrotas consecutivas jogando no Castelão.
  • O Goiás ainda não venceu fora de casa sob o comando de Ney Franco. Só venceu no geral na estreia do clube no Brasileiro.
  • Quando o Goiás marcou primeiro, em 6 de 16 partidas, não perdeu.
  • Por outro lado, o Goiás só marcou primeiro fora de casa em 2 dos 8 jogos: nestes, venceu uma e empatou uma.
  • O Fortaleza é a única equipe que esteve atrás em partidas com mais de 2 gols de diferença e tirou a vantagem por mais de 1 vez: 2 jogos.
  • Média de gols nos jogos do Brasileirão (histórico): 1,72 gols/partida. Média de gols nos pontos corridos: 2,0 gols/partida

 

CRUZEIRO x VASCO – 19h – Domingo

16º lugar (15 pontos) x 14° lugar (20 pontos)

  • Em partidas no Mineirão, são 17 vitórias cruzeirenses e 14 empates em 38 jogos válidos por todas as competições e amistosos.
  • Vasco só venceu 5 vezes no Mineirão, sendo a última em 2017, por 1–0.
  • Apesar da ampla vantagem azul no Mineirão, o Cruzeiro não vence o Vasco no Gigante da Pampulha desde 2013.
  • O Vasco é junto com o CSA, uma das únicas equipes a não conseguir marcar gols em mais de 1 tempo de alguma partida do campeonato.
  • Vasco vem de uma série invicta de 3 jogos em Brasileiros contra o Cruzeiro, não perde desde a edição de 2017.
  • Nesta década, em todos os anos, e em Flamengo, Fluminense e Cruzeiro, Thiago Neves marcou sempre pelo menos 1 vez contra o Vasco por ano.
  • Fred marcou 6 vezes contra o Vasco, mas em 20 jogos contra o Gigante da Colina, perdeu 10, empatou 8 e só venceu 2 vezes.
  • Dentre todos os 26 jogos da era dos pontos corridos, em 23 vezes houve 2 gols ou mais (acima de 1.5) na partida.
  • Em 10 dos 16 jogos do Vasco, ambas as equipes marcaram gols.
  • Em 9 dos 16 jogos do Cruzeiro, ambas as equipes marcaram gols.
  • O Cruzeiro não venceu 12 dos últimos 13 jogos de Brasileirão.
  • Média de gols nos jogos do Brasileirão (histórico): 2,71 gols/partida. Média de gols nos pontos corridos: 3,38 gols/partida.

 

CORINTHIANS x ATLÉTICO/MG – 19h – Domingo

5º lugar (28 pontos) x 6° lugar (27 pontos)

  • Na Arena Corinthians, desde 2014, o Timão nunca perdeu para o Atlético-MG. A última vitória atleticana contra o Corinthians em solo paulistano foi justamente no último jogo entre os dois no Pacaembu, pelo Brasileiro de 2013 (1–0 Galo).
  • Corinthians tem histórico positivo no dia de seu aniversário: 7 vitórias, 5 empates e 2 derrotas. (via Almanaque do Timão).
  • Curiosamente, a última partida do Timão em seu aniversário foi contra o Atlético-MG: empate em 1–1 válido pelo Brasileiro de 2018.
  • O Corinthians, junto com Flamengo e São Paulo, é a equipe que tem a melhor campanha desde o retorno da parada pra Copa América.
  • O Corinthians tem a defesa menos vazada do campeonato, com 9 gols sofridos.
  • O Corinthians é a equipe que mais saiu de campo sem ser vazada no Brasileirão: 9 vezes.
  • O Atlético-MG é a equipe que mais virou jogos fora de casa no campeonato: 2 vezes (contra Ceará e Chapecoense).
  • O Atlético-MG é a segunda equipe que mais marcou em ambos os tempos de jogo: em 6 partidas, atrás apenas do Flamengo, que marcou em ambos em 9 jogos.
  • Média de gols nos jogos do Brasileirão (histórico): 2,34 gols/partida. Média de gols nos pontos corridos: 2,14 gols/partida.

 

FLUMINENSE x AVAÍ – 20h – Segunda-feira

18º lugar (12 pontos) x 20° lugar (20 pontos)

  • O Fluminense é o terceiro pior mandante do Brasileirão. Marcou apenas 8 pontos em 8 jogos como mandante, com 2 vitórias, 2 empates e 4 derrotas.
  • O Avaí é o pior visitante do Brasileirão. Em 8 jogos fora de casa, marcou somente 1 ponto, no empate por 1–1 com o Vasco, em 19 de maio. Fora isso, 7 derrotas.
  • Se o Avaí não venceu, talvez o Fluminense seja o candidato a “desvirginar” o Avaí: o Fluminense foi o adversário das primeiras vitórias fora de casa de Goiás, Botafogo e CSA, e do primeiro empate do Ceará fora de casa.
  • O Avaí nunca sequer pontuou em jogos no Maracanã contra o Fluminense no Brasileiro. Foram 5 jogos, e 5 vitórias do tricolor carioca.
  • Todas as vezes que o Fluminense saiu na frente do marcador, não perdeu. Por outro lado, foram apenas 3 vezes em que o Tricolor das Laranjeiras esteve a frente dele em todo o campeonato.
  • Já o Avaí, nesse aspecto, tem um retrospecto ainda mais trágico: só esteve a frente do marcador diante de Ceará, Cruzeiro e Corinthians. Não venceu nenhum dos jogos, e contra o Vozão, ainda sofreu a virada por 2 a 1.
  • No retrospecto geral de confrontos, são 11 jogos, com 8 vitórias do Fluminense, 2 do Avaí e 1 empate, sendo este o único confronto antes da era dos pontos corridos, no Brasileiro de 1974, em um empate em 2 a 2 em Florianópolis.
  • Média de gols nos jogos do Brasileirão (histórico): 2,9 gols/partida. Média de gols nos pontos corridos: 2,8 gols/partida.
Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Footure

Últimas Postagens

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol
Jonatan Cavalcante

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol

0 Comentários
Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI
Footure

Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI

0 Comentários
Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada
Caio Nascimento

Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada

0 Comentários
Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos
Caio Bitencourt

Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos

0 Comentários
O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?
Bruna Mendes

O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?

0 Comentários
O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?
Gabriel de Assis

O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?

0 Comentários
Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?
Jonatan Cavalcante

Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?

0 Comentários
God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22
Gabriel Corrêa

God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22

0 Comentários
Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado
Gabriel de Assis

Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2

0 Comentários
A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?
Caio Bitencourt

A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1

0 Comentários
O complicado início de Diego Aguirre no Internacional
Gabriel de Assis

O complicado início de Diego Aguirre no Internacional

0 Comentários
Rodrigo De Paul: o meia com DNA de Simeone e Atlético de Madrid
Bruna Mendes

Rodrigo De Paul: o meia com DNA de Simeone e Atlético de Madrid

0 Comentários
A Inglaterra superou seus traumas e, agora, se permite sonhar
Lucas Filus

A Inglaterra superou seus traumas e, agora, se permite sonhar

0 Comentários