Dicas de Betting - Brasileirão e Libertadores

Caio Bitencourt nos traz números, estatísticas e curiosidades num mês muito movimentado

Final de semana cheio! Tem a final da Libertadores, retorno das Ligas Europeias e início da 34ª rodada do Campeonato Brasileiro! A equipe do Footure está trazendo mais dicas, números e estatísticas para você que está em busca daquele green e fugir de um red.

Cadastre-se na 1xBET, utilize o código FOOTURE e ganha um bônus de até R$500. Todos têm sua chance, use a usa! Faça seu cadastro e aposte clicando aqui.

Um último aviso: por óbvio, não há 100% de garantia de acerto, mas são algumas das tendências para os duelos. Jogue com moderação.

FONTES: OgolWhoScoredFutpédiaSoccerstats


River Plate x Flamengo

  • Experiências de finais únicas do Flamengo: primeira na história
  • Gallardo teve 13 finais jogadas como técnico do River: 10 títulos e 3 vices.
  • Finais únicas da era Gallardo: River 0–1 Huracán (2015, Supercopa Argentina), River 3–0 Gamba Osaka (2015, Suruga Bank), River 0–3 Barcelona (2015, Mundial), River 4–3 Rosario Central (2016, Copa Argentina), River 0–3 Lanús (2017, Supercopa), River 2–1 Atlético Tucumán (2017, Copa Argentina), River 2–0 Boca (2018, Supercopa). 4 vitórias e 3 derrotas.
  • Flamengo em Lima na história: nunca jogou uma partida oficial na capital peruana.
  • River em Lima na história: em 11 jogos, todos pela Libertadores, foram 4 vitórias, 4 empates e 3 derrotas.
  • River Plate jogou em Lima na atual edição da Libertadores: empate por 1–1 com o Alianza Lima. 
  • Última vitória do River Plate em Lima: 3–2 contra o Sporting Cristal, pelo grupo 5 da Libertadores de 1998, no dia 19 de março daquele ano. 
  • Duelos entre River e Flamengo na Libertadores: River 0–0 Flamengo (2018), Flamengo 2–2 River (2018), Flamengo 4–2 River (1982), River 0–3 Flamengo (1982)
  • Mata-matas entre River e Flamengo: Vitórias do River: Supercopa 1991 (1–0 River em Buenos Aires, 2–1 Flamengo no Rio, vitória millonaria por 4–3 nos pênaltis) e Mercosul 2000 (2–1 River no Rio e 4–3 River em Buenos Aires). Vitória do Flamengo: Supercopa 1993 (2–1 River em BA, 1–0 Flamengo no RJ, e vitória flamenguista por 6–5 nos pênaltis).
  • River Plate na Libertadores 2019: 12 jogos, 4 vitórias, 7 empates e 1 derrota.
  • Flamengo na Libertadores 2019: 12 jogos, 6 vitórias, 3 empates e 3 derrotas.
  • River Plate contra equipes brasileiras na história em jogos oficiais: 88 jogos, com 30 vitórias millonarias, 21 empates e 38 derrotas.
  • Flamengo contra equipes argentinas na história em jogos oficiais: 57 jogos, com 23 vitórias rubro-negras, 16 empates e 18 derrotas.
  • Jorge Jesus em finais únicas na carreira: 8 vitórias e 4 derrotas: As competições: Taça de Portugal (1 título com Benfica em 2013–14 e 2 vices com Belenenses em 2006–07 e Benfica em 2012–13). Taça da Liga (7 títulos, 6 com Benfica e 1 com Sporting em 2017–18), Europa League (2 vices com Benfica, em 2012–13 e 2013–14).
  • Jogadores do elenco do River que já marcaram em finais: Quintero (Libertadores 2018), Pratto (Libertadores 2018), Ignacio Fernández (Copa Argentina 2017), Scocco (Copa Argentina 2017, Supercopa 2018). 
  • Jogadores do elenco do Flamengo que já marcaram em finais não-regionais: Arrascaeta (Copa do Brasil 2018), Diego (Europa League 2011–12). 
  • Nos mata-matas da Libertadores, nenhum jogador do River Plate marcou mais que 1 gol.
  • Já no Flamengo, nos mata-matas, Bruno Henrique (3 gols) e Gabriel (5 gols), marcaram mais que 1 gol.
  • O River Plate é o time que mais tomou cartões na Libertadores: 34 amarelos e 1 vermelho (Borré nos 2–0 contra o Palestino, pela 1ª fase).
  • Por sua vez, o Flamengo é o sétimo da Libertadores, com 23 amarelos, mas com 2 vermelhos (Gabriel no 0–1 contra o Peñarol e Pará no 0–0 contra o Peñarol).
  • Em decisões de Libertadores (contando jogo decisivo, o segundo ou o terceiro jogo), o último 0–0 foi entre Palmeiras e Boca Juniors, em 2000. 
  • Última decisão nos pênaltis: Atlético-MG 2 (4)-0(3) Olimpia, em 2013.
  • Nas últimas 2 decisões de Libertadores, houve uma expulsão em um dos lados.
  • Nas decisões em que o River Plate esteve em campo neutro, foi derrotado, ambas em Santiago: Peñarol (1966) e Cruzeiro (1976).
  • O Flamengo venceu seus 3 títulos internacionais todos fora do Rio de Janeiro: Libertadores 1981 em Montevidéu, Mundial 1981 em Tóquio e Mercosul 1999 em São Paulo. 
  • Sempre que o Flamengo enfrentou times argentinos em decisões continentais, foi derrotado: Supercopa 1995 (Independiente), Mercosul 2001 (San Lorenzo), Sul-Americana 2017 (Independiente).
  • River Plate nos pênaltis na história da Libertadores: 5 decisões por pênaltis, 2 vitórias e 3 derrotas.
  • Flamengo nos pênaltis na história da Libertadores: 1 decisão por pênaltis, 1 vitória (contra o Emelec, em 2019).
  • Somente 4 vezes, um time que saiu atrás na decisão da Libertadores venceu o jogo e o título: em 2018 (River Plate), 2009 (Estudiantes), 2002 (Olimpia), 1966 (Peñarol) (PS: em 2008, o Fluminense virou sobre a LDU, venceu o jogo, mas perdeu o título nos pênaltis).
  • 136 gols em 59 jogos decisivos de Libertadores, 17 (0–15 minutos), 17 (15–30 minutos), 21 (30–45 minutos), 18 (45–60 minutos), 26 (60–75 minutos), 31 (75–90 minutos), 6 (90–120 minutos).
  • Em 42 dos 59 jogos decisivos da Libertadores houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • Em 25 dos 59 jogos decisivos da Libertadores ambas as equipes marcaram gols.
  • Nos últimos 6 jogos do River Plate pela Libertadores houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Flamengo não sofreu gols em 5 dos seus últimos 7 jogos pela Libertadores.
  • O Flamengo está invicto há 5 jogos na Libertadores.

CAMPEONATO BRASILEIRO

Santos x Cruzeiro 

  • O Cruzeiro empatou seus 4 últimos jogos no Brasileirão.
  • O Cruzeiro empatou no intervalo e no final da partida em seus 4 últimos jogos no Brasileirão.
  • Nos últimos 6 jogos do Cruzeiro pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Cruzeiro não sofreu gols nos seus últimos 3 jogos pelo Brasileirão.
  • O Cruzeiro não marcou gols em seus últimos 3 jogos pelo Brasileirão.
  • O Santos não perde há 6 jogos em casa pelo Brasileirão.
  • O Cruzeiro venceu 4 dos últimos 6 jogos sobre o Santos no Brasileirão.
  • O Cruzeiro venceu por 1–0 nas 3 últimas visitas a Vila Belmiro.
  • Última vitória do Santos no confronto: 2–0 pelo Brasileirão 2016.
  • Em 22 dos 33 confrontos entre Santos e Cruzeiro na era dos pontos corridos houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,81/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 2,54 gols/partida.

Atlético-MG x Athletico

  • O Athletico não sofreu gols em seus últimos 4 jogos pelo Brasileirão.
  • Nos últimos 5 jogos do Athletico pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • Em 6 dos últimos 7 jogos do Atlético-MG pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Athletico não perde há 8 jogos pelo Brasileirão.
  • Em 26 dos 33 jogos do Atlético-MG pelo Brasileirão houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • Em 22 dos 33 jogos do Athletico pelo Brasileirão houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • Desde que voltou a primeira divisão, em 2013, o Athletico tem uma tendência nos confrontos contra o Atlético-MG em Belo Horizonte: venceu em anos ímpares: 2013 (2–1), 2015 (1–0) e 2017 (1–0), enquanto o Galo venceu em anos pares: 2014 (3–1), 2016 (1–0) e 2018 (3–1). 
  • Em 19 dos 29 jogos entre Atlético-MG e Athletico na era dos pontos corridos houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • No retrospecto geral pelo Brasileirão, o Atlético-MG tem vantagem: foram 49 jogos, com 21 vitórias alvinegras, contra 19 rubro-negras e 9 empates.
  • Mas nos pontos corridos, é o Athletico quem comanda: foram 29 jogos, com 14 vitórias rubro-negras, 12 do Galo Mineiro, e 3 empates.
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,71/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 2,44 gols/partida.

Palmeiras x Grêmio

  • O Palmeiras não perde há 31 jogos como mandante pelo Brasileirão.
  • O Palmeiras, assim como o Flamengo, é um dos dois mandantes invictos no Brasileirão.
  • Em 5 dos últimos 6 jogos em casa do Palmeiras pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Palmeiras está invicto nos últimos 8 jogos diante do Grêmio pelo Brasileirão.
  • Última vitória do Grêmio na capital paulista contra o Palmeiras no Brasileirão: 1–0 pelo Brasileirão 2008.
  • Segundo confronto entre Palmeiras e Grêmio no Allianz Parque na história: o único foi pelas quartas da Copa do Brasil de 2016, empate por 1–1.
  • Em 18 dos 27 jogos entre Palmeiras e Grêmio na era dos pontos corridos houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • O Palmeiras sofreu gols nos últimos 3 jogos pelo Brasileirão.
  • O Grêmio está há 10 jogos consecutivos no Brasileirão sem empatar.
  • O Grêmio venceu 3 dos seus últimos 4 jogos fora de casa pelo Brasileirão.
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,37/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 2,33 gols/partida.

Goiás x Bahia

  • O Bahia não vence há 7 jogos pelo Brasileirão.
  • Bahia nunca venceu o Goiás em Goiânia pela Série A.
  • Por outro lado, na última partida em Goiânia, o Bahia venceu o Goiás por 2–0, pela Série B de 2016, no Serra Dourada.
  • Último triunfo do Bahia em Goiânia pelo Brasileirão da Série A: 1–0 contra o Atlético-GO, pelo Brasileirão de 2012.
  • O Bahia sofreu gols nos últimos 7 jogos pelo Brasileirão.
  • Em 23 dos 33 jogos do Goiás no Brasileirão houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • Em 20 dos 33 jogos do Bahia no Brasileirão houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • O Goiás venceu 4 dos últimos 5 jogos contra o Bahia no Serra Dourada pelo Brasileirão da Série A.
  • O último triunfo do Bahia no Brasileirão foi fora de casa: 1–0 sobre o Grêmio, no distante 16 de outubro.
  • O Goiás venceu 3 dos seus últimos 6 jogos no Serra Dourada no Brasileirão.
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,24/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 2,85 gols/partida.

Botafogo x Corinthians

  • O Botafogo perdeu 5 dos seus últimos 6 jogos pelo Brasileirão.
  • Nos últimos 3 jogos em casa do Botafogo pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • Nos últimos 3 jogos do Botafogo pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Corinthians só venceu 1 dos seus últimos 11 jogos fora de casa.
  • Nos últimos 14 jogos do Botafogo pelo Brasileirão não houve empates.
  • O Botafogo venceu seus últimos 5 jogos diante do Corinthians pelo Brasileirão.
  • O Corinthians nunca venceu o Botafogo no Estádio Nilton Santos (Engenhão).
  • Última vitória do Corinthians fora de casa no confronto: 3–2 pelo Brasileirão 2007.
  • O Botafogo sofreu pelo menos 1 gol em pelo menos 12 das 16 partidas que fez em casa.
  • Em 19 dos 27 jogos entre Botafogo e Corinthians na era dos pontos corridos houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,45/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 2,55 gols/partida.

Avaí x Chapecoense

  • Nos últimos 9 jogos da Chapecoense pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Avaí não vence há 13 jogos pelo Brasileirão.
  • O Avaí sofreu no mínimo 2 gols em seus últimos 4 jogos em casa pelo Brasileirão.
  • A Chapecoense só venceu 1 de seus últimos 13 jogos fora de casa pelo Brasileirão.
  • Nos últimos 3 jogos em casa do Avaí pelo Brasileirão houve 3 gols ou mais (mais que 2.5).
  • O Avaí sempre venceu os confrontos na Ressacada pelo Brasileirão: 2015 (2–1) e 2017 (1–0).
  • O Avaí não vence há 6 jogos em casa pelo Brasileirão.
  • A última vitória da Chapecoense na Ressacada foi na decisão do Catarinense de 2017, vitória por 1–0 do alviverde. 
  • O Avaí está invicto nos últimos 4 clássicos contra a Chapecoense na Ressacada.
  • Em toda a história do confronto entre Avaí e Chapecoense, aconteceram 151 jogos, com 55 vitórias do Leão da Ilha, 42 empates e 53 vitórias do Verdão do Oeste. 
  • Média de gols do confronto (histórico/pontos corridos): 1,4/partida. 

Internacional x Fortaleza

  • O Internacional só perdeu 2 dos seus últimos 35 jogos no Beira-Rio pelo Brasileirão.
  • Em 10 dos últimos 12 jogos do Internacional pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • Única vitória do Fortaleza no confronto pelo Brasileirão: 3–0 pelo Brasileirão de 2003, em 12 de julho daquele ano.
  • O Fortaleza sofreu gols nos últimos 8 jogos que fez fora de casa pelo Brasileirão.
  • O Internacional venceu 6 dos últimos 7 jogos contra o Fortaleza por todas as competições.
  • O Internacional não sofreu gols nos seus últimos 3 jogos contra o Fortaleza em todas as competições.
  • Nos 3 últimos jogos do Fortaleza fora de casa pelo Brasileirão, ambas as equipes marcaram.
  • Nos 2 últimos jogos do Internacional em casa pelo Brasileirão, ambas as equipes marcaram.
  • No confronto do primeiro turno, Zé Ricardo, atual técnico do Internacional, era técnico do Fortaleza, e perdeu por 1–0 o confronto. 
  • O Internacional só venceu 1 dos últimos 5 jogos em casa pelo Brasileirão.
  • Média de gols do confronto (histórico): 2/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 2,28 gols/partida.

Ceará x São Paulo

  • Nos últimos 7 jogos do Ceará em casa pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Ceará não sofreu gols em 5 dos seus últimos 7 jogos pelo Brasileirão.
  • O São Paulo está invicto nos últimos 5 confrontos diante do Ceará pelo Brasileirão.
  • As duas únicas vitórias do Ceará no confronto pelo Brasileirão foram no Castelão: 1978 (2–1) e 2010 (2–0).
  • Em 16 dos últimos 20 jogos do São Paulo pelo Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O São Paulo não vence há 3 jogos pelo Brasileirão.
  • O Ceará não perde há 4 jogos no Castelão.
  • O São Paulo não sofreu gols em 6 dos últimos 7 jogos diante do Ceará em todas as competições.
  • Os últimos 3 jogos entre Ceará e São Paulo tiveram menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • O Ceará não sofreu gols em 5 dos seus últimos 7 jogos como mandante no Brasileirão.
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,87/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 1,85 gols/partida.

CSA x Fluminense

  • O CSA esteve perdendo no intervalo e no final da partida em 5 dos seus últimos 7 jogos pelo Brasileirão.
  • O CSA perdeu 6 dos seus 7 últimos jogos pelo Brasileirão. 
  • Em 6 dos últimos 7 jogos do Fluminense no Brasileirão houve menos que 3 gols (menos que 2.5).
  • Nos últimos 3 jogos do CSA em casa no Brasileirão houve 3 gols ou mais (mais que 2.5).
  • O CSA sofreu no mínimo 2 gols em seus últimos 3 jogos pelo Brasileirão.
  • O CSA nunca venceu o Fluminense como mandante pelo Brasileirão.
  • Em todas as 4 partidas entre CSA e Fluminense no Estádio Rei Pelé, o Fluminense marcou pelo menos 2 gols.
  • Em 7 dos 8 jogos entre CSA e Fluminense pelo Brasileirão houve 2 gols ou mais (mais que 1.5).
  • O CSA sofreu gols nos últimos 9 jogos pelo Brasileirão.
  • O CSA não vence há 4 jogos pelo Brasileirão.
  • Média de gols do confronto (histórico): 2,75/partida. Média de gols do confronto (pontos corridos): 1 gols/partida.

LIGAS EUROPEIAS

RESULTADO FINAL

  1. Shakhtar Donetsk-FC Lviv: O Shakhtar, líder do campeonato, enfrenta o FC Lviv, em casa. É simplesmente o duelo do time que fez 40 pontos em 14 jogos, com 13 vitórias, contra o vice-lanterna, que não vence há 4 jogos fora de casa, e só na última rodada interrompeu uma sequência de 8 jogos sem vencer.
  2. Leganés-Barcelona: O Barça tentará manter a liderança do campeonato fora de casa, onde apesar da campanha irregular, mete medo nos adversários. O adversário é o lanterna da Liga, o Leganés. Os pepineros, como são conhecidos, tem o pior ataque e uma das piores defesas da Liga, e não devem apresentar perigo para o Barça, a não ser que surpresas aconteçam.
  3. Celtic-Livingston: O Celtic, líder do Campeonato Escocês, enfrenta um Livingston que apesar de sétimo colocado na tabela, vem de uma sequência sem vencer fora de casa. O adversário só venceu 1 dos últimos 24 jogos do Escocês, enquanto o Celtic não perde há 25 jogos no Celtic Park por campeonatos locais.
  4. PSV-Heerenveen: O PSV, em campanha irregular na Eredivisie, tenta diminuir o prejuízo em relação ao líder Ajax. Para isso, tem de vencer o Heerenveen, adversário no qual está invicto nos últimos 10 confrontos pelo campeonato. Jogando em casa, até aqui, o time de Eindhoven só perdeu para o AZ (por 4–0).
  5. RB Leipzig-Colônia: Apesar da campanha irregular do Leipzig em casa, com 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota, o Colônia perdeu 9 das suas últimas 11 partidas fora de casa pela Bundesliga. Favoritismo para os touros vermelhos na busca para tirar a distância do líder Gladbach.

DUPLA POSSIBILIDADE

  1. Atalanta-Juventus: Os juventinos podem se valer do confronto difícil diante da Atalanta por um simples fato: A Juve não perde dos bergamascos no campeonato desde 1993. Além disso, uma curiosidade, Sarri só perdeu em 1 das 4 visitas que fez a Bérgamo na carreira pela Serie A.
  2. Real Madrid-Real Sociedad: O Madrid tentará ir em busca da liderança da Liga no Santiago Bernabéu, onde está invicto. Por outro lado, a Real venceu os dois últimos confrontos, e pode ser perigosa fora de casa. Afinal, os bascos não estão na quinta colocação da Liga à toa. Essa colocação foi conquistada sendo justamente a melhor equipe fora de casa até aqui. Apesar disso, favoritismo madridista.
  3. Sparta Rotterdam-Vitesse: O Vitesse tem uma boa campanha fora de casa, e está na quinta posição da Eredivisie. Somando ao fato de que não perde do Sparta Rotterdam, décimo segundo colocado, há 15 jogos, é o favorito para o confronto. Mas o time de Rotterdam tem uma boa campanha em casa para suas pretensões de luta contra a queda, com 3 vitórias em 6 jogos, o que pode ser empecilho.
  4. Hamilton-Rangers: O Rangers, vice-líder do Campeonato Escocês, tenta manter a perseguição ao Celtic, com a vantagem de que é o time que mais pontuou fora de casa até aqui, com 16 pontos em 6 jogos, contra o antepenúltimo colocado do campeonato.
  5. Rubin Kazan-Zenit: O Zenit, líder do Campeonato Russo, e com 21 pontos em 9 jogos fora de casa na liga até aqui, enfrenta o Rubin Kazan, que é apenas o 13º colocado, com 17 pontos na competição inteira, embora 11 destes feitos em casa. Favoritismo do time de São Petersburgo.

OVER

  1. Man City-Chelsea: Uma alta tendência de gols no grande confronto da rodada na Premier League, em que dois dos melhores ataques da competição estarão se confrontando. Em 10 dos 12 jogos do City no Campeonato Inglês houve 3 gols ou mais. No Chelsea a tendência é semelhante, tendo acontecido em 8 de 12 jogos.
  2. Sassuolo-Lazio: A tendência é alta de gols pela grande fase do ataque da Lazio, que tem o segundo melhor ataque da Serie A, com 28 gols. O Sassuolo até tem bom ataque, com 21, mas a defesa deixa a desejar, tendo sofrido os mesmos 21 gols. Boa tendência.
  3. Fortuna Dusseldorf-Bayern: Em 10 dos 11 jogos do Bayern na atual Bundesliga, o time bávaro teve 3 gols ou mais em suas partidas, completando o over 2.5. Isso se deve a ter o melhor ataque do campeonato, com 29 gols, e a tendência deve ser mantida contra um Fortuna que ataca quando necessário, mas tem problemas com a defesa.
  4. Villarreal-Celta: Um confronto com a alta tendência de gols, devido ao fato do Villarreal ser um dos maiores protagonistas de “placares bailarinos” da atual edição de La Liga. Jogando em casa, já fez 4 gols ou mais por 3 oportunidades em 6 jogos, e quase sempre sofre gols. Contra um Celta de defesa frágil, mas que volta e meia surpreende no ataque, o over é uma boa escolha.
  5. RB Salzburg-St. Polten: Um over em qualquer partida do Salzburg no Campeonato Austríaco, onde o time é líder mais uma vez, é uma garantia: aconteceu em 14 dos 14 jogos do time na competição. Se levarmos em conta que o St. Polten tem a pior defesa da Bundesliga austríaca, com 36 gols sofridos em 14 jogos, então…

UNDER

  1. Milan-Napoli: Em outros tempos, seria uma boa opção para over. Mas com a crise que ambos os ataques enfrentam, especialmente o do Napoli, em crise com a bola nas redes há alguns jogos, e que desde a vitória sobre o Salzburg, nos 5 jogos onde não venceu, só marcou mais de 1 gol no empate contra a Atalanta (2–2). Já os rossoneri não marcam mais de 1 gol há 4 jogos.
  2. Metz-Reims: O Reims tem a pior média de over do Campeonato Francês, só tendo acontecido em 3 dos 13 jogos do time. Isso se explica tendo paradoxalmente a melhor defesa da competição, com apenas 6 gols sofridos, e o segundo pior ataque, com 9 gols marcados. Uma tendência que pode se repetir contra um Metz que marcou em apenas 2 dos últimos 6 jogos.
  3. Sheffield United-Manchester United: Uma tendência alta para o under pois foi o que mais aconteceu tanto nos jogos dos Blades quanto dos Red Devils. Em 9 dos 12 jogos do Sheffield United houve menos que 3 gols, e em 8 dos 12 no do Manchester United houve o mesmo. Com dois ataques com problemas com as redes, a tendência é ser um jogo mais defensivista.
  4. Granada-Atlético Madrid: O Atlético é uma figurinha fácil no mercado de under. Com as dificuldades ofensivas do time de Simeone, e a força defensiva dos colchoneros, a tendência sempre é de poucos gols. Contra um Granada que vem de 3 derrotas consecutivas e parece ter perdido o gás, a tendência é maior.
  5. Osasuna-Athletic Bilbao: Quase sempre o que vale para o Atlético, vale para sua inspiração no passado, o Athletic. Nos últimos 9 jogos dos Leones de Bilbao, houve menos que 3 gols (menos que 2.5). Tendência forte da melhor defesa do campeonato ao lado do Atlético, com 8 gols sofridos, mas que seu ataque fez apenas 13 gols.

AMBOS MARCAM)

  1. Lyon-Nice: Em 10 dos 13 jogos do Nice na Ligue 1, ambas as equipes marcaram gols. Uma tendência que pode ser mantida com a retomada do ataque do Lyon nas últimas partidas, tendo marcado pelo menos um gol em cada uma delas.
  2. Atalanta-Juventus: Ambos marcam é quase uma certeza em jogos da Atalanta, que sempre marca e sofre gols. Parece ser uma certeza quando a adversária é a Juventus, que tem tido raros problemas defensivos, mas nunca deixa de marcar.
  3. Spal-Genoa: Apesar da irregularidade do ataque da Spal, o pior do campeonato, com 7 gols, o Genoa sofreu gols em 9 dos 12 jogos da Serie A, o que aumenta a probabilidade que ambos marquem. Sendo na casa da Spal, onde saem os gols, então, é uma boa probabilidade.
  4. Betis-Valencia: O Betis, em crise e com problemas com o treinador Rubi, tentará frear o ataque do Valencia. Mas frear ataques não é a especialidade dos alviverdes: em 10 dos 13 jogos béticos na Liga, ambas as equipes marcaram gols. Por um lado, o ataque do Betis sempre tem marcado. Por outro, a defesa sempre sofre. E contra um bom ataque como o do Valencia…
  5. Crystal Palace-Liverpool: Duas coisas explicam a tendência: Primeiramente, o fato do Crystal Palace jogar em casa, onde costuma marcar seus gols. Em seguida, o fato de que o Liverpool sempre marca seus gols, mas sempre tem sofrido gols, feito ocorrido em 10 dos 12 jogos na Premier League.

ANYTIME

  1. Neymar vs Lille: O brasileiro marcou 2 gols nos 2 confrontos que fez contra o Lille, pela Ligue 1 desde que chegou ao futebol francês em 2017. Tende a estar inspirado após retornar de lesão. Até aqui, quando esteve em campo, decidiu jogos para os parisienses no Campeonato Francês.
  2. Aguero vs Chelsea: O argentino marcou 9 vezes diante dos Blues na carreira, 8 com a camisa do Manchester City. É o terceiro na lista de artilharia da atual Premier League, também com 9 gols, e contra uma defesa que tem problemas como a do Chelsea, pode deixar mais um.
  3. Immobile vs Sassuolo: 7 dos 10 gols laziali fora de casa foram marcados pelo artilheiro italiano, em grande fase, tendo marcado 14 na atual Serie A. Enfrenta o Sassuolo, time que sofreu 21 gols na atual edição do campeonato, o que pode dar em coisa boa.
  4. Edouard vs Livingston: O jovem atacante francês do Celtic tem deixado seus gols no Campeonato Escocês. Marcou 5 dos 23 gols dos Bhoys no atual certame, e contra um Livingstone que perdeu as últimas 5 no campeonato fora de casa, pode deixar sua marca.
  5. Júnior Moraes vs FC Lviv: O brasileiro naturalizado ucraniano é artilheiro do campeonato local pelo Shakhtar Donetsk. Já marcou 11 gols do time que fez 40 pontos em 14 jogos pela Premier League ucraniana. Contra o vice-lanterna Lviv, a tendência é alta.
Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar
Aurelio Solano

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar

0 Comentários
Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários