DOIS TEMPOS, DOIS JOGOS

Por @Maiiron_ O que acabou de acontecer no Wembley não foi um jogo de futebol. Foram dois jogos de futebol. Esse esporte, que a gente finge que entende, te dá isso e é por isso que somos apaixonados. Na primeira parte alucinante do ótimo Tottenham, o confronto poderia ser definido. Foram alguns confrontos que, como […]

Por @Maiiron_

O que acabou de acontecer no Wembley não foi um jogo de futebol. Foram dois jogos de futebol. Esse esporte, que a gente finge que entende, te dá isso e é por isso que somos apaixonados. Na primeira parte alucinante do ótimo Tottenham, o confronto poderia ser definido. Foram alguns confrontos que, como no primeiro jogo, fizeram a superioridade pender para o lado inglês da coisa. Pjanic, de muita participação e dominância em campo, foi eclipsado na saída de bola por Eriksen. Juventus não tinha saída pelos lados, Son e Dele Alli se encarregavam de tapar as saídas.

Com bola, o Tottenham jogou até demais. Tinha um Dembelé com a sua classe em campo comandando tudo que aconteceu, tinha Eriksen achando as costas de Khedira e Pjanic na hora de construir algo, assim que saiu o gol. Liga Trippier pelo lado, ele bate para trás e ela sobra no ótimo Son. Son, que é mais um subavaliado nesse bom time, é o rei do “meio espaço”. Entre zagueiro e lateral, ele pega a bola e verticaliza todas, foi assim que expôs Barzagli ao ridículo na primeira parte. Kane, que pouco tocou na bola, mas foi determinante com seus movimentos na hora de quebrar a linha de três zagueiros, que nunca foi de cinco. Mas um gol foi pouco.

8CC1C828-B35C-493F-AAA9-39F3B412C094

E na segunda parte Allegri resolve jogar. Sim, treinadores jogam. Se Pocchetino jogou bem na primeira parte, Allegri jogou demais na segunda. Saca Matuidi, que sofria muito com Dele Alli e sobrecarrega o lado esquerdo de defesa do Tottenham com Douglas Costa, em uma noite endiabrada, e Litchsteiner. Por dentro, ele posiciona Dybala incomodando Dier e Dembelé, que não jogaram na segunda parte. O lateral vai ao fundo e a bola sobra para Higuaín, que atento, empata o jogo. Três minutos após, Higuaín coloca Verthongen e Sanchez em um de seus bolsos que sairão pesados de Wembley e assiste para Dybala virar o confronto. Depois disso, a Juve volta a seu habitat natural. Ser franco atirador para o time de Turim é confortável. A bola batia na parede e voltava, bateu até na trave e voltou. Buffon, em que pese a idade, segue sendo inabalável debaixo dos postes. Chiellini é a personificação de Marte, Deus da guerra na mitologia romana, e não se abala com nada. Barzagli, que é o falso lento e tem uma arrancada curta ainda muito boa, é fiável demais.

DB398466-C62D-40A8-A6AB-4637E7853EA1

O confronto poderia pender para o lado inglês, mas não pendeu. A Juventus não deve ser descartada nunca, não deve ser dada como morta nunca. O Tottenham é um time excepcional, mas se abalou após o segundo gol marcado, que foi uma faca no peito. A Juve, amigos, ela cresce na briga e não foi só a camisa que pesou. Higuaín, em uma noite mágica, foi o fiel da balança. Foram dois tempos e dois jogos em Wembley, daquelas noites que iremos debater por tempos. O futebol agradece!

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Mairon Rodrigues

Últimas Postagens

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários
Danilo, uma boa dor de cabeça para Abel Ferreira no Palmeiras
Gabriel Corrêa

Danilo, uma boa dor de cabeça para Abel Ferreira no Palmeiras

0 Comentários
Zidane vence jogo de xadrez no El Clásico e aumenta disputa por título na Liga
Bruna Mendes

Zidane vence jogo de xadrez no El Clásico e aumenta disputa por título na Liga

0 Comentários