E AGORA, JOSÉ?

Por @maiiron_ José Mourinho renovou hoje com o Manchester United. Seu contrato foi estendido até 2020. Se o cumprir o acordo recém assinado será seu trabalho mais longevo desde a primeira passagem pelo Chelsea. Aproveitamos o ensejo para problematizar o trabalho de Mou nesta quase uma temporada meia à frente dos Red Devils. Há algo estranho […]

Por @maiiron_

José Mourinho renovou hoje com o Manchester United. Seu contrato foi estendido até 2020. Se o cumprir o acordo recém assinado será seu trabalho mais longevo desde a primeira passagem pelo Chelsea. Aproveitamos o ensejo para problematizar o trabalho de Mou nesta quase uma temporada meia à frente dos Red Devils. Há algo estranho no lado vermelho de Manchester e todos nós sabemos. O United, um time que sobra talento individual, patina na Premier League. Comparado com o lado azul da força, o melhor time do mundo na atualidade, o time de Mourinho joga um futebol rudimentar até para os padrões das equipes mais físicas e transicionais da Premier League.


Quem lê o início do texto vai achar que eu falo de um time montado só com pernas de pau, mas não. Falo de um time que tem, do meio para a frente: Pogba, Matic, Mata, Martial, Ibrahimovic, Lukaku, Rashford e há pouco ganhou a adição de Alexis Sánchez. O Manchester vence, é o segundo colocado. Mas só vencer valida o trabalho? Só pontuar, sem dar o gosto do jogo que Liverpool e Chelsea dão, é o bastante? Em tempos de futebol que, por mais que tenha competição, é um entretenimento máximo, ver o United jogar é como tomar um calmante e dormir. Eu, quase sempre, chamo de Rivotril United. E Mourinho não era assim. Mourinho, pouco tempo atrás, montou um Chelsea que brilhava ofensivamente e tinha um Eden Hazard impressionante.

Tenho uma teoria: toda vez que José Mourinho precisa competir com Guardiola, ele se diminui. Mas ele, aparentemente, não vê que antes de todo mundo querer ser Guardiola queríamos ser Mourinho. O homem que reinventou os treinos, levou a periodização tática para os clubes, o cara que mais soube usar a marcação zonal e com ataques fortíssimos (além de defesas fantásticas).

pep-guardiola-manchester-city-jose-mourinho-manchester-united_owztpwvw4vvhzd7sdr8uhhwj

Mourinho nunca mais foi o mesmo desde os 5-0 em 2010 no Camp Nou. Ele tenta ser a antípoda do catalão. Respeitamos. Ele deu uma aula na final da Liga Europa. Usou marcação mista e foi competente na hora de matar o jogo contra um time inexperiente. José é um velho lobo, um cara que tem os atalhos do esporte que ele ajudou a revolucionar. Mas tem um problema que só ele pode resolver. E agora, José?

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Como Carille livrou o Santos do rebaixamento
Gabriel de Assis

Como Carille livrou o Santos do rebaixamento

0 Comentários
Juan Musso: a evolução de um goleiro discreto na Atalanta
Caio Bitencourt

Juan Musso: a evolução de um goleiro discreto na Atalanta

0 Comentários
Como Stefano Pioli virou um dos melhores técnicos da Itália
Caio Bitencourt

Como Stefano Pioli virou um dos melhores técnicos da Itália

0 Comentários
Palmeiras x Flamengo: final imprevisível na Libertadores
Gabriel de Assis

Palmeiras x Flamengo: final imprevisível na Libertadores

0 Comentários
A renovação do Real Madrid é um recado para os erros passados, mas principalmente para o futuro
Bruna Mendes

A renovação do Real Madrid é um recado para os erros passados, mas principalmente para o futuro

0 Comentários
A ascensão de Mikael no Sport
Douglas Batista

A ascensão de Mikael no Sport

0 Comentários
A explosão da geração 06 na Copa Nike
Caio Nascimento

A explosão da geração 06 na Copa Nike

0 Comentários
Final da Copa Sul-Americana: muitas semelhanças e equilíbrio total
Gabriel de Assis

Final da Copa Sul-Americana: muitas semelhanças e equilíbrio total

0 Comentários
Palmeiras se reinventa e retoma boa fase no Brasileirão
Gabriel de Assis

Palmeiras se reinventa e retoma boa fase no Brasileirão

0 Comentários
Arnaut Danjuma e Yéremi Pino: destaques em meio a inconsistência do Villarreal
Bruna Mendes

Arnaut Danjuma e Yéremi Pino: destaques em meio a inconsistência do Villarreal

0 Comentários
Conheça a Revelations Cup, o novo torneio para geração 2003 das Américas
Caio Nascimento

Conheça a Revelations Cup, o novo torneio para geração 2003 das Américas

0 Comentários
A nova identidade ofensiva do Boca Juniors
Dimitri Barcellos

A nova identidade ofensiva do Boca Juniors

0 Comentários
‘Cholito’ Simeone: a decolagem do artilheiro do Verona vem aí?
Caio Bitencourt

'Cholito' Simeone: a decolagem do artilheiro do Verona vem aí?

0 Comentários
Os 5 destaques defensivos da segunda página do Brasileirão
Douglas Batista

Os 5 destaques defensivos da segunda página do Brasileirão

0 Comentários
Nuno Espírito Santo no Tottenham: um problema anunciado
Lucas Filus

Nuno Espírito Santo no Tottenham: um problema anunciado

0 Comentários