EFEITO MESSI

Por @Maiiron_ Ter um plano é importante para ganhar jogos de futebol. O Chelsea tinha um plano, mas ele ruiu logo aos dois minutos. Messi, em tabela com Suárez, colocou o Barcelona na frente do placar. Depois disso o Chelsea executou seu plano muito bem, obrigado, com bola esticada no Giroud para combater com Piqué […]

Por @Maiiron_

Ter um plano é importante para ganhar jogos de futebol. O Chelsea tinha um plano, mas ele ruiu logo aos dois minutos. Messi, em tabela com Suárez, colocou o Barcelona na frente do placar. Depois disso o Chelsea executou seu plano muito bem, obrigado, com bola esticada no Giroud para combater com Piqué e Umtiti; e Hazard, esse sumido na segunda parte envolvido por Busi e Rakitic, com William pegando a segunda bola fazendo a transição. Deu certo. Ter Stegen fez algumas defesas, Piqué e Umtiti foram muros na frente e por vezes a bola nem chegou. Chelsea ia bem, quando tinha se assentado em campo, Fábregas falha na frente de Messi que faz uma transição bem longa, temporiza e dá para Dembelé fuzilar.

Dois a zero. Eles mostravam o que era o jogo até ali? Não. Reitero, a atuação do Chelsea era muito boa. Mas ter Messi é um fator desequilibrante. Ter Messi é como ter uma arma de fogo em uma guerra de flechas. Ter Messi é ter tudo. Guardiola tem razão. Quem tem Messi, tem tudo. Hoje ele fez tudo. Suárez abdicou de um contragolpe para dar a bola e ele fuzilar Courtois. Messi é fora da curva, dois gols e uma assistência em um jogo que não foi brilhante do Barcelona.

Mas Valverde não liga e coloca o Barcelona para competir em alto nível, algo que tinha se perdido com Luís Enrique no fim da temporada passada. Valverde é um Culé que teve sua carreira como treinador moldada em Bilbao, isso dá outra cara ao seu time. Valverde é Almodóvar onde se tem a Disney. Piqué, este o maior zagueiro do Barcelona na história recente, lembrou suas grandes noites de Champions League e foi o melhor defendendo. Umtiti, que veio de Wakanda, é feito de Vibranium e nada consegue o transpassar. Barcelona é favorito a Champions League? Sim, é. Barcelona é tão brilhante quanto o ótimo Manchester City? Não, não mesmo. Mas tem Iniesta, que mesmo com idade segue jogando como se fosse um menino de dezoito anos. Tem um ótimo Jordi Alba, o cara que é a flecha do lado oposto de Messi. Tem Busquets, que esse sim é o ponto de equilíbrio e um Rakitic que é caráter puro.

Messi está com trinta anos, eu lembro de tê-lo visto contra o Albacete fazendo seu primeiro gol e eu estou em “contagem depressiva” vendo ele jogar. Naquela época, Messi era um samurai que te matava com cinco espadadas em forma de arrancada. Hoje, Messi é um sniper que te mira e dá um tiro só na hora de liquidar. Hoje ele foi a mistura dos dois. Deu a arrancada que serviu Dembelé e deu um tiro de misericórdia no Chelsea pra fechar o placar.

Eu não canso de agradecer e farei mais uma vez: obrigado por existir, D10S.

DYRfI96XkAAVtDF

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Mairon Rodrigues

Últimas Postagens

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários