Grafites futeboleiros na Argentina

Gabriel Uchida é um futeboleiro na essência; promove cultura esportiva com uma câmera na mão e um olhar muito sensível sobre o cotidiano popular. Em um pulo rápido no seu site é possível constatar a expressividade e qualidade do seu trabalho. Ele já documentou cultura futeboleira em lugares como Brasil, Cuba, Etiópia e Estados Unidos. […]

Gabriel Uchida é um futeboleiro na essência; promove cultura esportiva com uma câmera na mão e um olhar muito sensível sobre o cotidiano popular. Em um pulo rápido no seu site é possível constatar a expressividade e qualidade do seu trabalho. Ele já documentou cultura futeboleira em lugares como Brasil, Cuba, Etiópia e Estados Unidos. Recentemente Gabriel voltou sua lente a Buenos Aires; mais especificamente à “guerra” de grafites promovida por torcedores dos clubes de lá. O trabalho é apresentado em uma composição horizontal de três fotos que você pode conferir abaixo do texto.

“Para entender a cultura do futebol na Argentina você deve entender as conexões entre bairros”, relata Gabriel, ao explicar o trabalho. A cultura futeboleira na capital argentina, bem como em outras grandes metrópoles como Londres, de fato está diretamente ligada à formação de bairros. O Boca extrapolou os limites do bairro homônimo, mas só lá você encontra a paixão bostera em estado puro. O mesmo vale para Boedo, que depois de tanta luta da população local conseguirá reunir novamente o Carnaval mais efervescente da cidade e o San Lorenzo. Os grafites são uma bela representação dessa relação que o argentino tem com futebol. Por lá a sensação de ser torcedor não é maior que a de pertencimento.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Silvio Romero: como se movimenta e finaliza as jogadas?
Jonatan Cavalcante

Silvio Romero: como se movimenta e finaliza as jogadas?

0 Comentários
Como funciona o sistema de marcação do Torino de Ivan Juric
Caio Bitencourt

Como funciona o sistema de marcação do Torino de Ivan Juric

0 Comentários
Schick: ‘intruso’ em meio a Lewandowski e Haaland
Gabriel Belo

Schick: 'intruso' em meio a Lewandowski e Haaland

0 Comentários
O potencial do Valencia de Pepe Bordalás
Bruna Mendes

O potencial do Valencia de Pepe Bordalás

0 Comentários
Destaques da Copa São Paulo – Eliminados na primeira fase
Douglas Batista

Destaques da Copa São Paulo - Eliminados na primeira fase

0 Comentários
Cuiabá tem atuação boa e consciente no mercado
Gabriel de Assis

Cuiabá tem atuação boa e consciente no mercado

0 Comentários
Pedro Naressi: acrescenta competitividade e repertório ao Sport
Jonatan Cavalcante

Pedro Naressi: acrescenta competitividade e repertório ao Sport

0 Comentários
O que é um ‘Falso 9’ e quais as diferenças entre os diversos tipos de centroavantes

O que é um 'Falso 9' e quais as diferenças entre os diversos tipos de centroavantes

Aurelio Solano
O encaixe dos reforços do Fluminense e Abel Braga
Gabriel de Assis

O encaixe dos reforços do Fluminense e Abel Braga

0 Comentários
Como Ferran Torres pode ajudar o Barcelona?
Bruna Mendes

Como Ferran Torres pode ajudar o Barcelona?

0 Comentários
As virtudes e vulnerabilidades que Richardson aporta ao Ceará
Jonatan Cavalcante

As virtudes e vulnerabilidades que Richardson aporta ao Ceará

0 Comentários
As perguntas e respostas que fazem evoluir o jogo
Luís Cristovão

As perguntas e respostas que fazem evoluir o jogo

0 Comentários
Cuca deixa o Atlético Mineiro como um dos melhores trabalhos de sua carreira
Gabriel de Assis

Cuca deixa o Atlético Mineiro como um dos melhores trabalhos de sua carreira

0 Comentários
Paulo Sousa: “O futebol é baseado no espaço e tempo”
Renato Gomes

Paulo Sousa: “O futebol é baseado no espaço e tempo”

1 Comentários
Há algo de podre no jeito italiano de se fazer futebol: o caso Salernitana
Caio Bitencourt

Há algo de podre no jeito italiano de se fazer futebol: o caso Salernitana

0 Comentários