Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva

A defesa do Santos melhorou, as primeiras mecânicas ofensivas começam a aparecer e mostram a possibilidade de um Peixe mais competitivo para o resto da temporada.

Fabián Bustos estreou pelo Santos no dia 8 de março contra o Fluminense-PI na Copa do Brasil. Precisou brigar contra o rebaixamento no Paulistão, lidar com desfalques e recebeu alguns reforços para encorpar um elenco, até então, muito curto. Com quase dois meses de trabalho e a liderança do Brasileirão após três rodadas, as ideias do treinador argentino começam a aparecer e mostrar que o time da Vila Belmiro pode ter um norte na temporada.

Tendo sofrido 19 gols em 12 jogos no Campeonato Paulista, a primeira missão de Bustos foi arrumar a defesa, mesmo que isso signifique abrir mão da ofensividade marcante nos principais times da história do Santos. Além de ter recebido o reforço de Maicon para a zaga e dois volantes de maior pegada na marcação, como Rodrigo Fernández e Willian Maranhão, o argentino não tem problemas em baixar as linhas e marcar a partir do meio-campo contra adversário de maior posse de bola ou com a vantagem no placar.

Santos Bustos Brasileirão Footure
Linhas postadas, mas os zagueiros encostam nos atacantes em um encaixe bem curto

Como é comum na América do Sul e característico de Bustos, o Santos vem utilizando encaixes curtos na hora de se defender. Ou seja, se o adversário entrar no setor de um santista, deve ser acompanhado até invadir a região de outro jogador. Cada um protege o seu quadrado. A boa execução desse sistema é muito útil para cortar as linhas de passe curto do rival, forçando bolas mais arriscadas e, consequentemente, erros. Por isso, o Peixe só sofreu um gol (em pênalti mal marcado) em três jogos no Brasileirão.

A evolução do Alvinegro Praiano nesse aspecto é visível com o passar do tempo e o ganho de confiança. As oscilações na agressividade da marcação são menores, ainda que sigam acontecendo e os laterais recebem mais ajuda dos atacantes e dos volantes. Falando nesse crescimento, ele foi muito visível na última partida do Peixe, contra o América-MG, no último domingo (24). Se antes os atletas demoravam a sair de trás e Ângelo puxava contragolpes sozinho ou Marcos Leonardo travava uma batalha solitária contra os zagueiros, na rodada passada vimos uma transição ofensiva bem mais rápida e agressiva, com mais gente chegando na área, vide o segundo gol do volante Zanocelo.

Santos Bustos Brasileirão Footure
Todas as ideias ofensivas do Santos aparecem no primeiro gol contra o Coritba

Além de seguir evoluindo nos aspectos citados acima, é importante que o Santos ganhe maior fluidez em sua fase ofensiva. A proposta é clara: aproveitar ultrapassagens dos laterais e a velocidade de Ângelo, deixar os meias próximos da bola e triangular até chegar no gol ou inverter a bola para o flanco oposto, mais vazio. Esse processo ainda é lento e mostra a necessidade de mais tempo para que os jogadores joguem em dois toques e interpretem os movimentos dos companheiros com maior naturalidade. Não podemos deixar de citar as bolas longas para a dupla de ataque, que correm nas costas das defesas.

É importante manter os pés no chão para que o ambiente na Vila Belmiro não seja atrapalhado por expectativas irreais. O Santos é líder, começa bem o campeonato e demonstra que pode ser competitivo dentro das partidas para fazer uma Série A mais tranquila que o esperado no início da temporada. Mas ainda há muita bola para rolar e é preciso ter convicção no trabalho em desenvolvimento nos momentos de oscilações.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Cinco jogadores que se destacaram na Copa América

Cinco jogadores que se destacaram na Copa América

André Andrade
As influências dos campos reduzidos na Copa América

As influências dos campos reduzidos na Copa América

Douglas Batista
FIQUE DE OLHO: Jogadores Sub-23 que podem se destacar na Copa América 2024
André Andrade

FIQUE DE OLHO: Jogadores Sub-23 que podem se destacar na Copa América 2024

A EVOLUÇÃO DE GABRIEL SARA NA INGLATERRA

A EVOLUÇÃO DE GABRIEL SARA NA INGLATERRA

Douglas Batista
EURO 2024 | COMO CHEGA PORTUGAL

EURO 2024 | COMO CHEGA PORTUGAL

Gabriel Mota
EURO 2024 | COMO CHEGA A BÉLGICA

EURO 2024 | COMO CHEGA A BÉLGICA

Vinícius Dutra
EURO 2024 | COMO CHEGA A FRANÇA

EURO 2024 | COMO CHEGA A FRANÇA

Gabriel Mota
EURO 2024 | COMO CHEGA A HOLANDA

EURO 2024 | COMO CHEGA A HOLANDA

Lucas Goulart
EURO 2024 | COMO CHEGA A INGLATERRA

EURO 2024 | COMO CHEGA A INGLATERRA

Vinícius Dutra
EURO 2024 | COMO CHEGA A ITÁLIA

EURO 2024 | COMO CHEGA A ITÁLIA

Lucas Goulart
EURO 2024 | COMO CHEGA A ESPANHA

EURO 2024 | COMO CHEGA A ESPANHA

Vinícius Dutra
EURO 2024 | COMO CHEGA A ALEMANHA

EURO 2024 | COMO CHEGA A ALEMANHA

Lucas Goulart
O crescimento de Andrey Santos no Strasbourg

O crescimento de Andrey Santos no Strasbourg

Douglas Batista
Os treinadores de bolas paradas no futebol e a importância de Nicolas Jover no Arsenal

Os treinadores de bolas paradas no futebol e a importância de Nicolas Jover no Arsenal

André Andrade
O trabalho de André Jardine no América-MEX

O trabalho de André Jardine no América-MEX

Douglas Batista