O ano de Kevin Quevedo

Com mais minutos em campo nesta temporada, o jovem peruano mostrou seu valor ao se estabelecer como o centro ofensivo do Alianza Lima durante o Campeonato Peruano

O futebol peruano vem vivendo bons anos no que diz respeito à sua seleção. Classificação para uma Copa do Mundo após 36 anos, bons resultados contra rivais de alto nível e competitividade mantida para atingir uma grande final de Copa América, algo que não ocorria desde 1975. O trabalho de Ricardo Gareca vem sendo fundamental para isso, contando com jogadores de quilate como Paolo Guerrero, Renato Tapia, André Carrillo, Edison Flores e outros.

Entretanto, como é natural, boas gerações acabam chegando ao seu limite e a renovação, uma hora ou outra, acaba sendo necessária. Com o envelhecimento das suas principais peças, essa já é uma preocupação no Peru para os próximos anos. De olho nisso, alguns nomes começam a chamar atenção para a blanquirroja. E entre eles, está Kevin Quevedo.

Aos 22 anos, o extrema do Alianza Lima vem em um 2019 do mais elevado gabarito. Primeiro nas mãos de Miguel Ángel Russo e depois com Pablo Bengoechea, mantém grande regularidade ao longo da temporada sendo um dos pilares do time da capital e se coloca em boa posição para receber oportunidades em nível internacional num futuro próximo.

Desde 2017 na equipe aliancista, começou a ter maior sequência apenas neste ano. Aproveitando o tempo maior de jogo, se estabeleceu rapidamente como o principal alicerce ofensivo no elenco. Com a flexibilidade de poder atuar aberto tanto pela esquerda quanto pela direita, Quevedo oferece um poder individual que nenhum time tem à disposição nas terras incas. Ao ter a posse da bola, se destaca por ser um jogador com enorme capacidade de conduzir em velocidade e enfileirar dribles, atraindo a marcação.

Junto a isso, introduz aos blanquiazules qualidade na finalização. Explorando na maioria das vezes o espaço entre o zagueiro e o lateral adversário, sabe se posicionar para receber a bola bem colocado e arriscar, se prevalecendo de inúmeros recursos técnicos para mandar a bola ao gol. Muito por conta disto, é o 2º jogador com melhor taxa de conversão de finalizações (mínimo de 20 finalizações) no Peruano, com 34% de suas chances convertidas. E com 17 gols e 5 assistências, participou de 35,4% dos 62 gols do Alianza Lima até a última rodada do Clausura.

Em um mercado fraco financeiramente e com uma janela de transferências se aproximando, Kevin Quevedo pode ser uma boa barganha para 2020. Alguém terá a coragem e a visão para apostar em um jogador vindo de uma liga secundária do continente?

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar
Aurelio Solano

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar

0 Comentários
Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários