O TRI DO ABSURDO

Por @Maiiron_ Todos sabem meu time. Meu time não ganhou a Libertadores ontem, não vive das melhores fases e acaba de ser vice da Série B. Mas eu não estou aqui para falar dele, quero falar do Rival. Chamei de rival com letra maiúscula, como merece. O que aconteceu ontem em La Fortaleza foi uma […]

Por @Maiiron_

Todos sabem meu time. Meu time não ganhou a Libertadores ontem, não vive das melhores fases e acaba de ser vice da Série B. Mas eu não estou aqui para falar dele, quero falar do Rival. Chamei de rival com letra maiúscula, como merece. O que aconteceu ontem em La Fortaleza foi uma vitória de quem sabia que era Rei da América e jogava por protocolo.

Foram 45 minutos de se colocar num pedestal e que passam por três jogadores, basicamente: Marcelo Grohe, Arthur e Luan. Um trabalhador, um rei e um mago. Grohe viu do banco a Batalha dos Aflitos, aquele jogo que ninguém entende, não sabe o que aconteceu, mas se arrepia. Trouxeram Dida em baixa na carreira e ele seguiu ali, trabalhando e esperando sua vez; como Jó. Trabalhando, treinando e sendo liderança. Fez a chamada “defesa do século” contra o Barcelona em Guayaquil, fez uma defesa monumental na Arena no primeiro jogo. Está na história. Arthur tem onze meses de carreira, o que é mentira. Arthur não é daqui, não é possível. O menino estreou faz uns dias e desfilou ontem na maior competição da América. O que ele fez era balé, era arte. Lanús pressionou até tomar o primeiro gol e ele pegava a bola, rodopiava e ninguém encostava. Nem se quisessem. Arthur é o que a gente vê, mas não toca. Luan; Luan é adjetivo. Quando elogiarmos alguém poderemos dizer “tu é muito Luan” que fica tudo em casa. Dois gols em uma semi, uma pintura em final. Esse já foi xingado de tudo pela torcida, a gente não se esquece. Esse foi um dos que trouxe a medalha olímpica no futebol pro Brasil jogando demais em partidas chave. Quem criticou Luan deveria fazer reparação histórica.

Foi um tri merecido de quem teve desconfiança por um mercado estranho. Trazer Cortez e Léo Moura em 2017 é algo absurdo. Confiar em Cícero, homem do primeiro gol, é algo absurdo. Confiar em jogadores que não jogariam em outros títulos, é absurdo. O futebol é a arte do absurdo. Parabéns, Renato. Vá a praia, tome um sol. Esse tri é absurdo. O absurdo mais belo da história gremista.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Mairon Rodrigues

Últimas Postagens

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários