Ousmane Dembelé e o impacto das lesões na carreira de um jovem jogador

Nos últimos seis jogos do campeonato espanhol, Dembelé deu oito assistências e se tornou parte importante do sistema ofensivo de Xavi. Em fim de contrato, a história do francês no Barcelona foi uma grande roda gigante.

A história de Ousmane Dembelé no Barcelona é uma grande roda gigante. Ainda que o craque tenha sofrido com lesões na carreira, o grande pesar foi elas acontecerem na fase em que um jogador com grande potencial se desenvolve no alto nível. A visão de muitos em cima disso tenha estabelecido sua carreira ainda jovem como ‘flop’, ainda que tenha sido visões precipitadas.

Se destacou ainda muito novo no Borussia Dortmund por ser um jogador absurdamente criativo e com um estilo nada perto do óbvio. Ser ambidestro ajudou nessa capacidade de improvisar e o principal motivo do Barcelona ter ido atrás para substituir Neymar.

Jogar nos dois lados do campo e ser determinante com as duas pernas é raro no futebol. Dembelé consegue isso. O investimento do Barcelona fez todo sentido na época, ainda que no decorrer dos anos isso não tenha sido resolutivo. Hoje é muito claro como Ousmane nunca demonstrou ser um jogador antiprofissional, mas seus momentos de rebeldia começaram a partir da impaciência da torcida blaugrana e dos pesares envolvendo o clube.

O jovem francês é decisivo em campo, sua característica o joga para isso. Porém, até pouco tempo atrás, só servia de bode expiatório nos fracassos recentes do clube. Momentos de glória do clube ser um pesar não faz sentido, ninguém lembra da sua relevância no bi espanhol em 17/18 e 18/19, mas aqui entra como um – pelo menos para a torcida do clube.

Sem lesões, num time bem estruturado e potencializado, Dembelé mostra todo seu poder de decidir partidas – com Valverde até teve parte disso, mas sem tanto protagonismo como agora, e ainda sofrendo com lesões musculares. Hoje percebemos como Xavi estava certo ao ignorar conselhos por causa de um contrato no fim. Ter Dembelé disponível é fundamental para conseguir chegar nos objetivos do clube na atual temporada e os desempenhos recentes demonstram isso. Segue uma disputa por um título na Europa League e melhora na La Liga, muito pela presença de Ousmane em campo.

É satisfatório vê-lo vencer individualmente, ser reconhecido como um dos melhores da equipe, e principalmente pela torcida que, em qualquer situação, o desprezava. A grande conclusão disso tudo, bem resumidamente, é entender como as lesões têm grandíssimo impacto na carreira de um jogador em desenvolvimento e com grande potencial.

Atualmente nenhuma jovem estrela é julgada pelo que ela é no momento e sim no que ela pode se tornar a ser. A expectativa é toda pelo seu talento, mas quem o coloca é, geralmente, quem se decepciona. O investimento é o principal motivo? Talvez. Por outro lado, é até ilusório achar que uma carreira é baseada nisso, ainda mais quando se trata do mundo do futebol – onde tudo é uma roda gigante e os ciclos acabam rapidamente. A famosa expectativa de quem nunca acreditou. A crítica de quem nunca ousou contemplar.

O contrato com o clube espanhol acaba no próximo verão e é interessante notar como nenhum outro atacante (além de Ansu Fati) oferece as mesmas condições de jogo que o francês. Caso Ousmane decida por seguir a vida em outro lugar, o Barcelona precisa desesperadamente ir atrás de outro jogador de características minimamente parecidas, ou que seja tão determinante no último terço como ele. E pode ter certeza que o time a receber Dembelé será bem municiado com um ponta de apenas 24 anos com muito futebol pela frente.

Compartilhe
1XBet - Receber Bônus

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O padrão ofensivo das transições do Bahia
Jonatan Cavalcante

O padrão ofensivo das transições do Bahia

0 Comentários
Por que a Juventus de Allegri falhou no caminho das conquistas?
Caio Bitencourt

Por que a Juventus de Allegri falhou no caminho das conquistas?

0 Comentários
Início de Luís Castro no Botafogo merece a euforia da torcida
Gabriel de Assis

Início de Luís Castro no Botafogo merece a euforia da torcida

0 Comentários
Conheça Allan Aal, técnico do Grêmio Novorizontino, surpresa da Série B 2022

Conheça Allan Aal, técnico do Grêmio Novorizontino, surpresa da Série B 2022

Douglas Batista
Uma nova, mas já conhecida, função: o renascer de Léo Baptistão no Santos
Aurelio Solano

Uma nova, mas já conhecida, função: o renascer de Léo Baptistão no Santos

0 Comentários
1XBet - Receber Bônus
Zalewski: a descoberta de Mourinho que mudou a Roma
Caio Bitencourt

Zalewski: a descoberta de Mourinho que mudou a Roma

0 Comentários
Líder, Vítor Pereira vai ganhando tempo no Corinthians
Gabriel de Assis

Líder, Vítor Pereira vai ganhando tempo no Corinthians

0 Comentários
Qual o impacto de Maignan no gol do Milan?
Caio Bitencourt

Qual o impacto de Maignan no gol do Milan?

0 Comentários
Retratos de um Real Madrid campeão espanhol e finalista europeu
Bruna Mendes

Retratos de um Real Madrid campeão espanhol e finalista europeu

0 Comentários
Planejado, Coritiba tem seu melhor time dos últimos anos
Gabriel de Assis

Planejado, Coritiba tem seu melhor time dos últimos anos

0 Comentários
O que falta ao Napoli para levantar o Scudetto?
Caio Bitencourt

O que falta ao Napoli para levantar o Scudetto?

0 Comentários
1XBet - Receber Bônus
Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva
Gabriel de Assis

Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva

0 Comentários
Real Betis x Valencia: a final entre Manuel Pellegrini e Pepe Bordalás
Bruna Mendes

Real Betis x Valencia: a final entre Manuel Pellegrini e Pepe Bordalás

0 Comentários
Ten Hag e a missão de reconstruir o Manchester United
Lucas Filus

Ten Hag e a missão de reconstruir o Manchester United

1 Comentários
Coppa Italia: meu bem ou meu mal?
Caio Bitencourt

Coppa Italia: meu bem ou meu mal?

0 Comentários