PEP GUARDIOLA E OS RONDOS

Por André Andrade (@PepGenius) O “Rondo” ficou famoso nos últimos tempos e é um exercício muito utilizado no mundo do futebol, principalmente pelos treinadores que utilizam do “Jogo de Posição” como filosofia. Foi uma das heranças deixadas por Johan Cruyff em sua passagem pelo Barcelona. Aqui no Brasil, o termo que chega mais perto desse […]

Por André Andrade (@PepGenius)

O “Rondo” ficou famoso nos últimos tempos e é um exercício muito utilizado no mundo do futebol, principalmente pelos treinadores que utilizam do “Jogo de Posição” como filosofia. Foi uma das heranças deixadas por Johan Cruyff em sua passagem pelo Barcelona. Aqui no Brasil, o termo que chega mais perto desse nome é o “Bobinho”. O rondo muito mais que um simples exercício para aquecimento em treinos ou jogo.

O ‘’Rondo” é feito geralmente em um círculo onde as medidas desse círculo e a quantidade de participantes podem variar.
O ‘’Rondo” é feito geralmente em um círculo onde as medidas desse círculo e a quantidade de participantes podem variar.

É um exercício que exige muita concentração, atenção para achar linhas de passes abertas e executar o passe rapidamente; com os jogadores que tocam a bola tendo objetivo de manter a posse da mesma e trabalhando vários aspectos, como: perfilamento correto do corpo, passe com as duas pernas e sair de situações de pressão, já que o exercício geralmente é praticado em uma área pequena. Enquanto isso, os marcadores buscam aplicar os melhores ângulos de pressão para poderem quebrar as linhas de passe e roubarem a bola.

Os jogadores da Dream Team do Barcelona realizando um exercício de “Rondo” na passagem de Johan Cruyff como técnico do clube.
Os jogadores da Dream Team do Barcelona realizando um exercício de “Rondo” na passagem de Johan Cruyff como técnico do clube.

Algumas declarações de jogadores que passaram pelo Barcelona, sobre o Rondo, Guillermo Amor e Bakero foram jogadores da Dream Team do Barcelona, e Xavi marcou época como um dos melhores meio-campistas de sua geração no clube catalão:

“O Rondo não é um capricho: perna esquerda, perna direita, olhar, espaços livres, sair da pressão, pensar que quando alguém te pressiona, há de se jogar com o jogador que o rival deixou livre… O rondo é sensacional (…) Começa o treino feliz”, Xavi Hernández sobre os Rondos.

“O rondo lhe dá toque e sensibilidade, você mede espaço, tempo e velocidade, na verdade, tudo depende do seu toque para dar uma vantagem ao seu parceiro”, Guillermo Amor, ex-jogador do Barcelona.

“No final, é sobre mobilidade e competição. Requer, claro, técnica, posicionamento, concentração… Você aprende ou não aprende”, Bakero, ex-jogador do Barcelona.

Jogadores completam uma sequência impressionante de passes no rondo promovido por Pep no Bayern. 

Se assemelha ao que chamamos de ‘’Bobinho’’ aqui no Brasil, mas há um viés muito mais profundo do que só um aquecimento ou brincadeira, sendo diretamente relacionado a filosofia de jogo do treinador catalão!

Esse foi um texto simples e breve sobre um tema muito interessante, portanto estamos só começando o debate! Mandem suas perguntas nas nossas redes sociais e na caixa de comentários.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários
Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes
Lucas Filus

Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes

0 Comentários