Planejado, Coritiba tem seu melhor time dos últimos anos

Com o trabalho de Gustavo Morínigo consolidado, o Coritiba joga com naturalidade, organização e deve fazer campanha segura na Série A.

Há um ano e quatro meses com o mesmo treinador e carregando a mesma base desde a última temporada, o Coritiba colhe os frutos da organização e do respeito aos processos. O técnico paraguaio Gustavo Morínigo foi contratado em janeiro de 2021 (o Brasileirão 2020 ainda estava em disputa) com a missão de evitar o rebaixamento do Coxa para a Série B. Não conseguiu, afinal, o clube paranaense dependia de um milagre. Contudo, a diretoria identificou o potencial da equipe, manteve o trabalho e retornou à Série A sem grandes sustos no último ano.

Com sete pontos em quatro jogos, o Coritiba ocupa a quarta posição na tabela e já marcou nove gols nas primeiras rodadas desta volta a elite brasileira. Os bons números e o bom desempenho, se não indicam uma equipe que vai brigar lá em cima, dão segurança de que a permanência na Série A não será tão sofrida.

A longevidade do trabalho de Morínigo é fundamental para entendemos as qualidades do Coritiba. O time não só sabe o que quer fazer, como faz com naturalidade. O modelo de jogo funciona como um guia para os jogadores dentro de campo, e esse guia está decorado, compreendido, pois já foi lido infinitas vezes. Portanto, vemos variações, adaptações aos adversários e aos momentos do jogo.

Coritiba Footure Brasileirão
Coritiba trabalha muito bem as inversões de bola e varia corredores

Em fase ofensiva, o Coxa buscar ser bastante agressivo e vertical, além de usar toda a largura do campo e sobrecarregar a zaga adversária com muitos atletas chegando na área. O objetivo é abrir o campo para aumentar a distância entre os defensores rivais, criando espaços entre eles na zona de finalização das jogadas.

É nesse ponto que vemos uma variação importante: normalmente, os três atacantes jogam em profundidade, empurrando a defesa rival, enquanto os laterais avançam por fora e os meias se aproximam da bola para conseguirem inversões de jogo e lançamentos. Entretanto, quando o calo aperta e o adversário não dá espaço, Igor Paixão sai mais da área para jogar bem aberto e buscar jogadas de mano a mano. Outra adaptação que já foi apresentada está no posicionamento de Willian Farias. Primeiro volante e principal jogador da saída de bola, costuma entrar ao lado dos zagueiros para liberar o lateral e ter mais espaço para lançamentos. Porém, se a primeira linha de marcação do oponente for fraca, ele fica mais à frente para impor sua qualidade no passe em faixas mais avançadas do campo.

Coritiba Footure Brasileirão
Lateral-esquerdo sai um pouco mais da linha para dar o bote

Para defender, normalmente vemos uma equipe preocupada em proteger os espaços no centro do campo, esperando em um bloco médio e sendo agressivo para roubar a bola nos lados do campo. Por outro lado, o Coritiba é capaz de inverter a lógica de proteger o espaço para defender homem a homem quando deseja subir o bloco e sufocar lá na frente. O ponto a melhorar é a velocidade da reação pós-perda, que deixa espaços para os contra-ataques e não recompõe com a velocidade necessária para preencher a área.

Uma espinha dorsal de mais de um ano, que conta com zagueiros de boa imposição física, meio-campistas de bom passe curto e longo, além de atacantes fortes, de explosão e velozes e um treinador cujo trabalho está estabelecido. Esses elementos formam o melhor Coritiba dos últimos seis anos (pelo menos) e devem ser suficientes para manter o Coxa na primeira divisão, sem grandes sustos.

Compartilhe
1XBet - Receber Bônus

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O padrão ofensivo das transições do Bahia
Jonatan Cavalcante

O padrão ofensivo das transições do Bahia

0 Comentários
Por que a Juventus de Allegri falhou no caminho das conquistas?
Caio Bitencourt

Por que a Juventus de Allegri falhou no caminho das conquistas?

0 Comentários
Início de Luís Castro no Botafogo merece a euforia da torcida
Gabriel de Assis

Início de Luís Castro no Botafogo merece a euforia da torcida

0 Comentários
Conheça Allan Aal, técnico do Grêmio Novorizontino, surpresa da Série B 2022

Conheça Allan Aal, técnico do Grêmio Novorizontino, surpresa da Série B 2022

Douglas Batista
Uma nova, mas já conhecida, função: o renascer de Léo Baptistão no Santos
Aurelio Solano

Uma nova, mas já conhecida, função: o renascer de Léo Baptistão no Santos

0 Comentários
1XBet - Receber Bônus
Zalewski: a descoberta de Mourinho que mudou a Roma
Caio Bitencourt

Zalewski: a descoberta de Mourinho que mudou a Roma

0 Comentários
Líder, Vítor Pereira vai ganhando tempo no Corinthians
Gabriel de Assis

Líder, Vítor Pereira vai ganhando tempo no Corinthians

0 Comentários
Qual o impacto de Maignan no gol do Milan?
Caio Bitencourt

Qual o impacto de Maignan no gol do Milan?

0 Comentários
Retratos de um Real Madrid campeão espanhol e finalista europeu
Bruna Mendes

Retratos de um Real Madrid campeão espanhol e finalista europeu

0 Comentários
O que falta ao Napoli para levantar o Scudetto?
Caio Bitencourt

O que falta ao Napoli para levantar o Scudetto?

0 Comentários
Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva
Gabriel de Assis

Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva

0 Comentários
1XBet - Receber Bônus
Real Betis x Valencia: a final entre Manuel Pellegrini e Pepe Bordalás
Bruna Mendes

Real Betis x Valencia: a final entre Manuel Pellegrini e Pepe Bordalás

0 Comentários
Ten Hag e a missão de reconstruir o Manchester United
Lucas Filus

Ten Hag e a missão de reconstruir o Manchester United

1 Comentários
Coppa Italia: meu bem ou meu mal?
Caio Bitencourt

Coppa Italia: meu bem ou meu mal?

0 Comentários
O Galo que tem tudo para ganhar mais uma vez
Gabriel de Assis

O Galo que tem tudo para ganhar mais uma vez

0 Comentários