Schick: 'intruso' em meio a Lewandowski e Haaland

Com 17 gols em 19 jogos, Patrik Schick se tornou um dos principais atacantes da Bundesliga na temporada

Patrik Schick teve algumas oportunidades valiosas em sua carreira, atuando por grandes clubes como Leipzig e Roma. O atacante, porém, teve maior destaque com a camisa da Sampdoria (mesmo na sombra de Muriel e Quagliarella), quando realizou uma campanha que mudou seu patamar especialmente dentro do futebol italiano e causou a transferência para a capital. Por lá, precisou disputar posição com a estrela Dzeko e foi muitas vezes deslocado para a ponta, não fazendo valer o investimento de €40 milhões em seu futebol e sendo emprestado para o Leipzig.

Em 2020/21, quando trocou a Roma pelo Leverkusen (€26 milhões), Schick teve uma temporada de estreia promissora. Mas, ainda sem a solidez esperada. É possível, talvez, que os astros tenham se alinhado no exato momento em que o tcheco fez o antológico gol na última Eurocopa, diante da Escócia. Desde então, a chave virou.

Sua potente canhota já era uma marca. Entretanto, o atacante parece ter ganho mais ferramentas, trabalhando ativamente com a perna direita tanto na condução quanto nas finalizações. Era algo que faltava em seu jogo, visto que já se destacava por ser alto (1,91), físico e ter habilidade pelo alto.

Apesar de não ser exatamente um diferencial jogando de costas para o defensor e não criar assistências para finalizações constantemente, tem tentado, também, se desenvolver dessa forma. O ponto fraco, notadamente, fica nas pressões e contribuição sem a bola. O caminho recente, ainda assim, indica que há a chance acompanharmos um centroavante cada vez mais completo, alcançando algo próximo do auge aos 25/26 anos.

‘Target man’ tradicional, tem se aproveitado bastante da fase de Florian Wirtz, um dos grandes playmakers da Alemanha. O esquema 4-2-3-1 favorece especialmente seu jogo, além dos bons pontas Diaby e Bellarabi. Com boa leitura para as situações e se desenvolvendo no desmarque, Schick tem o melhor período da carreira sob o comando de Gerardo Soane. Outra característica interessante está na capacidade de explorar no ponto cego dos zagueiros e usar sua incomum velocidade para um jogador da sua estatura para ganhar duelos físicos.

Patrik Schick é alvo do sistema. Mas, também, acionado fora da área. Seu jogo de costas não é o forte e breca algumas jogadas. Mas há o notável esforço para ser um jogador mais completo

Na atual temporada, são 17 gols em 19 partidas (0,9/j) pelo Leverkusen. Algo próximo, estatisticamente, das estrelas Bundesliga: Haaland (1,1/j) e Lewandowski (1,2/j). Se encontrou no Leverkusen após uma carreira, até o momento, inconsistente. Um grande nome da Bundesliga e também uma opção de mercado um pouco mais alternativa e viável financeiramente na comparação com atletas como Vlahovic, por exemplo.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Por que a Roma perdeu a mão ao fazer futebol?
Caio Bitencourt

Por que a Roma perdeu a mão ao fazer futebol?

0 Comentários
Silvio Romero: como se movimenta e finaliza as jogadas?
Jonatan Cavalcante

Silvio Romero: como se movimenta e finaliza as jogadas?

0 Comentários
Como funciona o sistema de marcação do Torino de Ivan Juric
Caio Bitencourt

Como funciona o sistema de marcação do Torino de Ivan Juric

0 Comentários
O potencial do Valencia de Pepe Bordalás
Bruna Mendes

O potencial do Valencia de Pepe Bordalás

0 Comentários
Destaques da Copa São Paulo – Eliminados na primeira fase
Douglas Batista

Destaques da Copa São Paulo - Eliminados na primeira fase

0 Comentários
Cuiabá tem atuação boa e consciente no mercado
Gabriel de Assis

Cuiabá tem atuação boa e consciente no mercado

0 Comentários
Pedro Naressi: acrescenta competitividade e repertório ao Sport
Jonatan Cavalcante

Pedro Naressi: acrescenta competitividade e repertório ao Sport

0 Comentários
O que é um ‘Falso 9’ e quais as diferenças entre os diversos tipos de centroavantes

O que é um 'Falso 9' e quais as diferenças entre os diversos tipos de centroavantes

Aurelio Solano
O encaixe dos reforços do Fluminense e Abel Braga
Gabriel de Assis

O encaixe dos reforços do Fluminense e Abel Braga

0 Comentários
Como Ferran Torres pode ajudar o Barcelona?
Bruna Mendes

Como Ferran Torres pode ajudar o Barcelona?

0 Comentários
As virtudes e vulnerabilidades que Richardson aporta ao Ceará
Jonatan Cavalcante

As virtudes e vulnerabilidades que Richardson aporta ao Ceará

0 Comentários
As perguntas e respostas que fazem evoluir o jogo
Luís Cristovão

As perguntas e respostas que fazem evoluir o jogo

0 Comentários
Cuca deixa o Atlético Mineiro como um dos melhores trabalhos de sua carreira
Gabriel de Assis

Cuca deixa o Atlético Mineiro como um dos melhores trabalhos de sua carreira

0 Comentários
Paulo Sousa: “O futebol é baseado no espaço e tempo”
Renato Gomes

Paulo Sousa: “O futebol é baseado no espaço e tempo”

1 Comentários
Há algo de podre no jeito italiano de se fazer futebol: o caso Salernitana
Caio Bitencourt

Há algo de podre no jeito italiano de se fazer futebol: o caso Salernitana

0 Comentários