O mérito defensivo do Fluminense de Fernando Diniz

Com seis vitórias seguidas e sem perder há mais de um mês, o Fluminense de Fernando Diniz ganha destaque por seu ataque, mas a defesa também merece ser citada.

São seis vitórias seguidas, 15 gols marcados e somente três sofridos na excelente sequência do Fluminense com Fernando Diniz. Sem competições continentais para disputar desde maio, o treinador teve algumas semanas livres e implantou rapidamente seu modelo de jogo, superando um primeiro mês de trabalho inconstante. Atualmente, o Tricolor ostenta sete jogos de invencibilidade (a última derrota foi em 11 de junho), o quinto lugar no Brasileirão, a três pontos do líder e está nas quartas de final da Copa do Brasil.

Reconhecido por seu estilo inconfundível de atacar, com a saída curta, muita movimentação e posse de bola, Fernando Diniz não faz diferente em sua segunda passagem pelo Fluminense. Aglomerando muitos jogadores perto da bola, o Tricolor toca curto desde o campo de defesa e avança em bloco para o ataque. O time se aproveita de volantes de bom passe, um meia com capacidade de atuar em espaço curto como Ganso e, principalmente, Arias, que sai de um dos lados do campo para correr todo o gramado e oferecer linhas de passe por trás da defesa adversária, permitindo a progressão. Jogadores que gostam de ter a bola e de liberdade posicional, um bom encaixe para o treinador.

Fluminense Fernando Diniz Brasileirão Copa do Brasil Footure
Somente Caio Paulista, como opção de virada de jogo, e Cano, responsável por prender os zagueiros, ficam distantes.

Contudo, já vimos equipes de Diniz atacando bem em outros momentos, mas pouco se fala da parte defensiva de seus trabalhos, nas fases boas e nas fases ruins. E é por estar com a defesa ajustada que o time das Laranjeiras sufoca seus adversários e tem um volume de jogo alto. A ideia principal é pressionar, pressionar e pressionar. Através de encaixes curtos de marcação, a intenção é cortar linhas de passe do adversário e recuperar a bola, preferencialmente no campo de ataque.

Quando é preciso defender com o bloco mais baixo, o Fluminense também tem demonstrado organização, um dos sinais de evolução de Diniz. Os encaixes se mantém, os pontas acompanham os laterais oponentes até a linha de fundo e a entrada da área é protegida com muito afinco. Isso se dá, porque o mais importante não é a altura do bloco de marcação e sim a compactação. Todos pressionam lá na frente e todos voltam para a defesa, atuando em 25, 30 metros para apertar quem tem a bola. Essa compactação, em todas as fases do jogo, é o que permite ao Tricolor recuperar tão rápido a bola, em uma reação pós-perda quase imediata.

Fluminense Fernando Diniz Brasileirão Copa do Brasil Footure
Marcação alta não deixa o adversário sair jogando e ajuda no volume de jogo.

As poucas chances cedidas pelo Flu são decorrentes de erros de leitura pontuais do conceito de bola coberta e descoberta (com a bola pressionada, a defesa sobe; se quem tem a bola não está pressionado, a defesa protege as costas), ou de falhas esporádicas na pressão, seja no campo de ataque ou no setor defensivo. De qualquer forma, são coisas que podem ser aperfeiçoadas com treinamentos. Os princípios, em geral, estão bem compreendidos pelo elenco.

No Fluminense, Fernando Diniz tem alguns trunfos: um elenco compatível com seu modelo de jogo e possivelmente o melhor grupo de jogadores com quem trabalhou, dotado de diferentes características e jogadores muito experientes ao lado de jovens cheios de energia. Além disso, tem um calendário um pouco mais tranquilo em comparação aos principais candidatos aos títulos nacionais. Resta saber se o bom rendimento será apenas uma fase ou, dessa vez, um padrão.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O trabalho de André Jardine no América-MEX

O trabalho de André Jardine no América-MEX

Douglas Batista
Fique de olho: Jogadores que podem se destacar no Brasileiro Sub-20 – Parte 2

Fique de olho: Jogadores que podem se destacar no Brasileiro Sub-20 - Parte 2

André Andrade
As causas da dificuldade ofensiva do Corinthians

As causas da dificuldade ofensiva do Corinthians

Douglas Batista
Fique de olho: Jogadores que podem se destacar no Brasileiro Sub-20 – Parte 1

Fique de olho: Jogadores que podem se destacar no Brasileiro Sub-20 - Parte 1

André Andrade
Guia do Brasileirão: Vitória

Guia do Brasileirão: Vitória

Douglas Batista
Guia do Brasileirão: Vasco

Guia do Brasileirão: Vasco

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: São Paulo

Guia do Brasileirão: São Paulo

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Red Bull Bragantino

Guia do Brasileirão: Red Bull Bragantino

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Palmeiras

Guia do Brasileirão: Palmeiras

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Juventude

Guia do Brasileirão: Juventude

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Internacional

Guia do Brasileirão: Internacional

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Grêmio

Guia do Brasileirão: Grêmio

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Fortaleza

Guia do Brasileirão: Fortaleza

Douglas Batista
Guia do Brasileirão: Fluminense

Guia do Brasileirão: Fluminense

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: Flamengo

Guia do Brasileirão: Flamengo

Gabriel Mota