Uma Granada defensiva

Recém ascendido, El Graná apresenta um estilo definido na solidez defensiva, cruzamentos para Soldado e força na bola parada.

A liderança na LaLiga 2019/20 fez os olhos se voltarem para o município com pouco mais de 230 mil habitantes na Espanha. O Granada de Diego Martinez vem demonstrando capacidade para competir na primeira divisão e chegou neste primeiro lugar com muitos méritos.

Baseado num 4-2-3-1, esquema utilizado em oito das dez partidas da temporada, a equipe espanhola demonstrou muita força na defesa ao “conquistar” seis clean sheets no torneio. Estes jogos sem sofrer gols que ajudam a conquistar pontos importantes seja para seguir sonhando com competições europeias ou então fugir do rebaixamento caso não consiga manter o atual rendimento.

Apesar da defesa ser um dos principais argumentos da equipe, ter a bola não é um problema na equipe, desde que com espaço nas laterais para apoiar.

O JOGO PELOS LADOS

Num momento onde treinadores variam a posição de seus extremas e laterais, Diego Martinez prefere dominar a lateral do gramado. Não é por acaso que Victor Díaz, Carlos Neva, Antonio Puertas e Álvaro Vadillo estão sempre nestas zonas, como podemos ver nas imagens abaixo.

Para potencializar o modelo da equipe, a contratação de Roberto Soldado foi bastante pontual. Apesar da altura (1,80), o camisa 9 conta com ótimo posicionamento, impulsão e fisico para suportar a pressão dos zagueiros, receber os cruzamentos ou até mesmo o jogo direto. Não por acaso, são três assistências do jogador nesta Liga.

Mas como a equipe aciona estes jogadores de lado? É preciso destacar o surpreendente jogo pelo chão que estão impondo. Montoro recebe o primeiro passe dos defensores e aciona Herrera que dá continuidade as jogadas pelos lados do campo. A lesão de Montoro fez com que Gonalons assumisse o posto, mas com função igual na equipe.

CRUZAMENTOS E BOLA PARADA

Baseado em cruzamentos para área e nas jogadas de bola parada, 8 dos 17 gols do Granada na Liga 19/20 foram a partir da bola parada. Dentro deste número, podemos ir mais a fundo: 4 em escanteios, 3 em cobranças de pênalti e 1 em cobrança de falta lateral.

A divisão de gols no Granada tem sido bastante igual. Foram 10 atletas diferentes em 10 rodadas:

Puertas: 3 gols
Domingos Duarte: 2 gols
Vadillo: 2 gols
Azeez: 2 gols
Carlos Fernández: 2 gols
German Sachez: 1 gol
Fede Vico: 1 gol
Herrera: 1 gol
Soldado: 1 gol
Machís: 1 gol

Apesar da média baixa de 15 cruzamentos por jogo, o mais importante para este Granada é o aproveitamento: são cerca de 35% de cruzamentos certos. Não é raro ver o time pressionando alto seu adversário e acelerar o jogo para os lados e cruzar no “lado mais fraco”. Foi assim contra o Barcelona, por exemplo, na vitória por 2 a 0, em Los Carménes.

É difícil responder se há chances do Granada manter o nível, ainda mais quando falamos de uma Liga onde a mudança de modelos e estilos durante o próprio campeonato mudam constantemente. A verdade é que no ritmo e velocidade dos seus jogadores de lado e o comando de Soldado – com perdão do trocadilho -, existe competição.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Gabriel Corrêa

Últimas Postagens

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol
Jonatan Cavalcante

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol

0 Comentários
Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI
Footure

Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI

0 Comentários
Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada
Caio Nascimento

Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada

0 Comentários
Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos
Caio Bitencourt

Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos

0 Comentários
O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?
Bruna Mendes

O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?

0 Comentários
O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?
Gabriel de Assis

O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?

0 Comentários
Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?
Jonatan Cavalcante

Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?

0 Comentários
God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22
Gabriel Corrêa

God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22

0 Comentários
Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado
Gabriel de Assis

Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2

0 Comentários
A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?
Caio Bitencourt

A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1

0 Comentários
O complicado início de Diego Aguirre no Internacional
Gabriel de Assis

O complicado início de Diego Aguirre no Internacional

0 Comentários
Rodrigo De Paul: o meia com DNA de Simeone e Atlético de Madrid
Bruna Mendes

Rodrigo De Paul: o meia com DNA de Simeone e Atlético de Madrid

0 Comentários
A Inglaterra superou seus traumas e, agora, se permite sonhar
Lucas Filus

A Inglaterra superou seus traumas e, agora, se permite sonhar

0 Comentários