A nova fotografia do Independiente Del Valle

Entre chegadas e partidas, o Independiente Del Valle mudou consideravelmente seu time desde o título da Sul-Americana. O que foi mexido e qual o impacto destas alterações no time de Miguel Ángel Ramírez?

Antes mesmo do título da Copa Sul-Americana, o Independiente Del Valle já contava com jogadores sob os holofotes do mercado. Conhecido por formar bons talentos e ter um trabalho de base sólido, ao mesmo tempo em que potencializa e aprimora atletas mais experientes, o clube de Sangolquí vem encontrando a receita para prosperar dentro e fora de campo a partir desta soma de fatores. A vitória sobre o Colón em Assunção, entretanto, ajudou a dar ainda mais destaque aos equatorianos.

Entre vendas, emprestados que retornaram aos seus clubes de origem, mudanças por opção técnica e, claro, novas chegadas, o elenco do Del Valle sofreu algumas modificações, entrando para o restante de 2020 com alterações importantes em comparação ao time que conduziu os rayados à glória continental. E nenhum setor passou batido neste processo.

A defesa, principalmente, foi bastante alterada. Da escalação que foi a campo na decisão contra o Colón, apenas o goleiro Jorge Pinos e o zagueiro Richard Schunke permanecem em seus postos. No centro da linha de contenção, o parceiro de Schunke em 2019, Luís Fernando León, foi negociado. Autor do gol que abriu o placar na final de dezembro e um dos pilares do Del Valle nos últimos anos, o defensor tomou o rumo do Atlético San Luís (MEX). Para substituí-lo, o técnico Miguel Ángel Ramírez fixou Luís Segovia, que vinha atuando mais constantemente como lateral-esquerdo, na zaga.

Para a vaga de Segovia, o escolhido foi Beder Caicedo. O lateral chegou ao clube no começo deste ano, proveniente do Barcelona de Guayaquil, e vinha correspondendo em bom nível até o momento da interrupção da temporada, com importante presença nos momentos ofensivos, aparecendo tanto em zonas interiores quanto aberto. No lado oposto, Anthony Landázuri vem sofrendo com problemas físicos desde o início de 2020, e por conta disto perdeu espaço na lateral-direita para Angelo Preciado.

O meio-campo, apesar de contar com apenas uma mudança, sofreu um grande impacto a partir da venda de Alan Franco para o Atlético-MG. Porém, a reposição para o meia de 22 anos manteve o padrão de qualidade. Lorenzo Faravelli desembarcou no Equador levando em seu currículo ótimos momentos no futebol argentino, sobretudo no Gimnasia La Plata recentemente.

A sua dinâmica na intermediária para ajudar a organizar as ações ofensivas na base das jogadas, lançar a bola ao espaço para os homens mais avançados e aparecer na entrelinha vem produzindo boas situações de gol para os negriazules. Ainda, o promissor jovem Moisés Caicedo tem recebido oportunidades nas ausências de Efrén Mera, pintando com um bom potencial para ser o próximo jovem a dar retorno técnico e financeiro ao clube.

Independiente Del Valle Lorenzo Faravelli
Lorenzo Faravelli vem em pleno crescimento com a camisa do Independiente Del Valle

Além da chegada de Faravelli e da ascensão de Caicedo, o Independiente Del Valle buscou o argentino Braian Rivero no Newell’s Old Boys. Apesar de poucas partidas com a camisa rayada, a perspectiva de que possa ser uma peça capaz de contribuir ativamente com a equipe ao longo da temporada é alta. Sua característica de grande potência física para ir de área à área, aliada com uma boa visão de jogo, promete ser útil ao longo de 2020 em diferentes contextos.

No ataque, a ida de Cristian Dájome para o Vancouver Whitecaps fez com que boa parte da capacidade de desequilíbrio individual no terço final fosse perdida. A necessidade de pontas de drible, velocidade e vitória pessoal no um contra um é essencial no sistema de Miguel Ángel Ramírez. Para tentar suprir isso, Jacob Murillo foi contratado para a ponta-esquerda, enquanto Jhon Sánchez foi deslocado para a ponta-direita, ocupando justamente o espaço deixado por Dájome.

Apesar de tantas alterações, as ideias vistas em prática na campanha vencedora da Sul-Americana seguem praticamente inalteradas. O jogo de posição com valorização da posse, a criação de superioridades, o uso do conceito de terceiro homem, transições ofensivas rápidas e a variação de comportamentos em fase defensiva permanecem intactos.

O grande desafio é manter a mesma régua de rendimento que levou o Independiente Del Valle ao topo em 2019. Por óbvio, é uma missão complicada e que exige um alto grau de adaptação dos novos jogadores neste processo de mudança. Porém, o ingresso em um modelo já consolidado e a pouca pressão por resultados podem ser fatores positivos para uma nova trajetória de sucesso.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários
Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes
Lucas Filus

Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes

0 Comentários
Nico González: a grande aposta da Fiorentina
Caio Bitencourt

Nico González: a grande aposta da Fiorentina

0 Comentários
O semestre avassalador de Endrick
Caio Nascimento

O semestre avassalador de Endrick

0 Comentários
A influência da mídia esportiva na estruturação do racismo no futebol
Aurelio Solano

A influência da mídia esportiva na estruturação do racismo no futebol

0 Comentários
Youssef En-Nesyri e Rafa Mir: a importância do ‘9’ no Sevilla
Bruna Mendes

Youssef En-Nesyri e Rafa Mir: a importância do '9' no Sevilla

0 Comentários
Com muita organização, o Juventude vai resistindo no Brasileirão
Gabriel de Assis

Com muita organização, o Juventude vai resistindo no Brasileirão

0 Comentários