12 jogadores de defesa para serem observados na Libertadores 2020

Em meio a parada da Libertadores devido ao Coronavirus, a primeira das três listas com jogadores para se acompanhar na Libertadores

Aproveitando a parada da Copa Libertadores por conta do Novo Coronavírus e o movimento #JogueEmCasa, o Footure avaliou vários atletas em potencial que estão em ação na Libertadores e que podem interessar ao futebol brasileiro

Confira a nossa Live Futeboleira sobre a Libertadores 2020.

O filtro se deu por alguns critérios, como técnico, tático, físico e idade, sendo escolhidos os com maior potencial mercadológico para o futebol europeu e, principalmente, o brasileiro.

A lista virá em três edições, separadas por defesa, meio-campo e ataque.

Começaremos com a defesa, apresentando três goleiros, três laterais-direitos, três laterais-esquerdos e três zagueiros. Vamos lá?


#12 KEVIN DAWSON

Posição: Goleiro

Clube: Peñarol

Grupo C, com Athletico/PR

Idade: 28 anos

Nacionalidade: Uruguaio

Altura: 1,79

Kevin Dawson chegou ao Peñarol em 2017, após ser campeão uruguaio com o Plaza Colonia, feito inédito para o clube de sua cidade, Colonia de Sacramento.

Não demorou e assumiu a titularidade da meta aurinegra, transformando-se em uma das figuras do clube, inclusive sendo eleito o jogador do ano do futebol uruguaio, em 2018.

Já consolidado, Dawson inicia 2020 como um dos capitães dos comandados de Diego Forlán, que debuta como técnico.

O camisa 12 carbonero compensa a estatura pouco expressiva com velocidade, reflexo e habilidade de executar ações em sequência, como a saída do gol após dar um rebote e a recuperação em disputas de bola.

No alto, Dawson não deixa a desejar, mas sua saída por baixo é o que mais impressiona, concertando o bom posicionamento com velocidade para trabalhar como líbero em uma linha mais alta, além do tempo de bola apurado, que também auxilia em jogadas de mano a mano com o atacante, quando precisa fechar bem o ângulo.

Com os pés, Dawson cumpre como a maioria dos goleiros, preferindo não arriscar e jogando de maneira simples, o que em times que buscam o jogo pelo chão e a saída desde o goleiro poderia vir a ser um problema.

O uruguaio é um dos principais nomes de um Peñarol que mais uma vez não empolga e pode ser essencial para o pentacampeão da América sonhar com a classificação em um grupo equilibrado, mas sem nenhum grande adversário.

#12 EDER CHAUX

Posição: Goleiro

Clube: América de Cali

Grupo E, Com Grêmio e Internacional

Idade: 28 anos

Nacionalidade: Colombiano

Altura: 1,89

2020 é o ano da vida do goleiro Eder Chaux, que recebe a primeira chance em um grande clube colombiano, após rodar por Tolima, Boyacá Chicó e se destacar em 2019 pelo Patriotas Boyacá, depois de uma passagem pelo Real Estelí, da Nicarágua.

Chaux assumiu a titularidade do América de Cali e vem correspondendo neste início de temporada, inclusive na Libertadores.

No auge da maturidade, o goleiro apresenta uma boa saída de bola com os pés, protocolar com a bola no chão, sobretudo sob pressão, mas excelente nas quebradas de longa distância, iniciando vários contra-ataques em favor do seu time unindo inteligência e velocidade para repor com a qualidade técnica necessária para bater na bola.

Dentro da meta, Chaux mostra bom posicionamento e reflexo, principalmente para defesas com os pés, aproveitando sua elasticidade e comprimento dos membros inferiores.

Com as mãos, o goleiro colombiano executa defesas de boa técnica, chamando a atenção pela simplicidade, sem ser espalhafatoso ou ir ao chão excessivamente, o que lhe rende mais tempo de recuperação caso necessário.

É provável que a elite do futebol colombiano seja o teto de Eder Chaux, mas sua segurança e seriedade podem render voos mais altos com a oportunidade lançada pela participação na Libertadores deste ano.

#22 EZEQUIEL UNSAÍN

Posição: Goleiro

Clube: Defensa y Justicia

Grupo G, com Santos

Idade: 25 anos

Nacionalidade: Argentino

Altura: 1,88

Titular aos 20 anos, a carreira de Ezequiel Unsaín no Newells Old Boys começou avassaladora, mas uma séria lesão no maxilar o afastou dos gramados por um ano e a falta de oportunidades após a recuperação obrigou um recomeço no modesto Defensa y Justicia.

Levado ao Defensa pelo rosarino Sebastián Beccacece, Unsaín foi destaque do surpreendente vice-campeonato na Superliga argentina, que deu a oportunidade ao clube de disputar pela primeira vez uma Copa Libertadores, em 2020.

Entre os goleiros da lista, Unsaín é de longe o que possui maior potencial para deslanchar na carreira a partir deste ano, principalmente por ainda ser considerado jovem para a posição.

As principais características do goleiro do Defensa são a boa leitura e velocidade para fechar o ângulo dos atacantes, a liderança e a personalidade, apesar da pouca idade, e o tempo de bola para saídas.

Outra qualidade primordial para um goleiro apresentada por Unsaín é a recuperação, usando de rapidez e técnica para executar ações em sequência, além do bom reflexo.

Com os pés, o ex-NOB dota de ótima técnica para lançamentos, inclusive com o pé esquerdo, apesar de ser destro. Sabe sair pelo chão quando pressionado e participa bastante do jogo apoiado a partir da defesa, uma herança de Beccacece no Defensa, continuada pelo atual técnico, o ex-centroavante Hernán Crespo.

#17 ANGELO PRECIADO

Posição: Lateral Direito

Clube: Independiente del Valle

Grupo A, com Flamengo

Idade: 22 anos

Nacionalidade: Equatoriano

Altura: 1,76

Campeão da Copa Sul-Americana do ano passado pelo Independiente del Valle, o versátil Angelo Preciado tem a lateral-direita como posição principal, mas pode atuar na esquerda, como nos jogos contra o Corinthians, pelas semi-finais da Sul-Americana, ou como extrema, em uma linha de meio-campo ou ataque.

Conheça o Método del Valle, de onde saíram vários talentos equatorianos nos últimos anos

O jogador da seleção equatoriana apresenta características pouco usuais para um lateral padrão do futebol atual, sobretudo pela forte presença na última linha de defesa adversária, tanto por fora quanto por dentro, onde aparece de surpresa com frequência.

Esta presença ofensiva constante prejudica a recomposição para um melhor posicionamento defensivo quando seu time perde a bola, apesar de demonstrar esforço para tal.

Dos critérios mentais de avaliação capazes de serem observados dentro de campo, Preciado apresenta vários, como carisma, mentalidade agressiva, motivação, entusiasmo e confiança para buscar jogadas arriscadas.

Tecnicamente, possui capacidade para associação na construção ofensiva, bem como qualidade no drible, no passe vertical, na condução de bola em velocidade e nos cruzamentos da linha de fundo, especialmente por baixo.

É inevitável comparar o equatoriano com o colombiano Juan Cuadrado, quando despontou na Udinese e na Fiorentina. Ambos possuem características físicas, táticas e mentais bastante parecidas, o que leva a crer que Preciado, apesar de jogar em linha de quatro no del Valle, poderia se dar bem no futebol italiano, onde se adota bastante a defesa com três zagueiros, privilegiando laterais com boa capacidade ofensiva.

Para tanto, contudo, precisa evoluir bastante em vários critérios táticos e, como já está perto de bater nos 23 anos, deve ser difícil que a oportunidade em uma grande liga surja para tornar possíveis tais aperfeiçoamentos.

No Brasil, é difícil imaginá-lo se dando bem como lateral, pela quase inexistente opção por três defensores e pela cobrança absurda que se coloca em laterais por aqui, que precisam defender e atacar com a mesma eficiência em times com linhas de marcação distantes, onde os laterais vivem constantemente expostos.

Isto posto, o futebol mexicano parece o destino ideal para que Preciado alavanque sua carreira promissora nos próximos anos.

#22 MATHÍAS SUÁREZ

Posição: Lateral Direito

Clube: Nacional-URU

Grupo F

Idade: 23 anos

Nacionalidade: Uruguaio

Altura: 1,82

Mathías Suárez chamou a atenção do Montpellier após se destacar no Defensor, do Uruguai, e ser convocado por Oscar Tabárez para defender a seleção de seu país.

Na França, conviveu com duas lesões que abreviaram seus minutos em campo e, no início de 2020, voltou ao Uruguai para defender o Nacional por empréstimo.

No tricolor de Montevidéu, Suárez começou a temporada como titular, mas ainda não deslanchou. Defensivamente, demonstra a mesma segurança de sempre, aproveitando sua biotipia vantajosa, aliada às qualidades físicas que traz consigo desde os tempos de Defensor, como a força em disputas de corpo e aéreas, a capacidade de recuperação e de combinar ações em sequência, além da agressividade na hora de pressionar ou perseguir.

Taticamente, guarda um bom posicionamento em linha de marcação, bem como capacidade de recomposição e basculação defensiva, além de poder jogar na lateral-esquerda ou em uma segunda linha de meio-campo.

No ataque, o lateral da seleção uruguaia ainda não se destacou no Nacional, mas sua capacidade demonstrada no Defensor ainda é lembrada, com proeminência na velocidade para ampliar e aprofundar e no bom cruzamento aéreo, o que o caracterizam como um lateral agressivo e confiante para atacar o flanco, mas que participa apenas protocolarmente da construção do jogo de seus times através de passes curtos.

O empréstimo para o Nacional pode fazer Suárez recuperar a confiança para voltar mais forte ao futebol europeu, mas suas características físicas e o equilíbrio entre defesa e ataque o credenciam para ser observado pelo futebol brasileiro, que anda carente na posição.

#20 GIOVANNI GONZÁLEZ

Posição: Lateral Direito

Clube: Peñarol

Grupo C, com Athletico-PR

Idade: 25 anos

Nacionalidade: Uruguaio

Altura: 1,73

Eleito o homem do jogo na vitória contra o Jorge Wilstermann, na última rodada da Libertadores, Giovanni González iniciou a temporada como primeira opção de Diego Forlan para a lateral-direita carbonera.

Na seleção de seu país, González disputa posição com laterais de características bastante parecidas, como Mathías Suárez e Guillermo Varela, além do interminável Martín Cáceres.

Revelado nas inferiores do River Plate-URU, Giovanni apresenta predicados físicos importantes para um lateral moderno, como a força nas disputas aéreas, a capacidade de reagir na marcação e de realizar ações em sequência com intensidade.

Taticamente, é ágil na recomposição e se posta bem na linha defensiva, atingindo os movimentos de basculação satisfatoriamente, além de possuir uma boa leitura para interceptar passes e desarmar.

No ataque, se destaca mais pela capacidade física do que pela técnica, chegando com força na linha de fundo para cruzar por baixo e usando bastante a potência para chegar perto da área adversária com espaço e tempo para finalizar cruzado, um expediente que utiliza regularmente. Seu cruzamento pelo alto é suficiente e utilizado mais da intermediária do que da linha de fundo.

Discreto, González é um lateral que executa as ações com eficiência em todas as fases do jogo e se destaca por cumprir os principais critérios exigidos de um lateral normalmente, mesmo sem apresentar uma ou outra característica exuberante.

#4 AGUSTIN OLIVEROS

Posição: Lateral Esquerdo

Clube: Nacional

Grupo F

Idade: 21 anos

Nacionalidade: Uruguaio

Altura: 1,83

Contratado para esta temporada junto ao Racing de Montevidéu, Oliveros assumiu a titularidade da lateral-esquerda do Nacional instantaneamente e tem ido bem.

Pela boa estatura e atributos físicos, consegue vantagem com frequência contra os atacantes de lado adversários e se destaca nas ações defensivas.

O lateral-esquerdo uruguaio apresenta uma boa capacidade de recuperação nas jogadas e executa a transição defensiva com eficiência e velocidade quando seu time perde a bola, fechando bem a linha de quatro e movimentando-se coordenadamente nela de acordo com o setor em que o adversário concentra a bola.

Oliveros também possui uma boa leitura de linhas de passe, o que acaba facilitando na interceptação das jogadas adversárias.

Com a bola, o ex-Racing usa bem os atributos físicos para transitar ofensivamente e buscar a ultrapassagem, sempre pelo flanco. Tecnicamente, demonstra qualidade no passe vertical, nos cruzamentos pelo alto e na capacidade de associação.

A rápida adaptação a um time grande do seu país e a concentração e confiança dentro de campo também conotam um potencial mental forte para se destacar ainda mais.

Pela idade e por possuir passaporte europeu, somados à maturidade que já demonstra dentro de campo, Oliveros deve ser observado nesta Libertadores pelos times brasileiros como um atleta capaz de oferecer retorno técnico instantâneo e ainda gerar uma revenda para a Europa no curto prazo.

#17 GABRIEL SUAZO

Posição: Lateral Esquerdo

Clube: Colo-Colo

Grupo C, com Athletico/PR

Idade: 22 anos

Nacionalidade: Chileno

Altura: 1,78

Minutos com a seleção principal antes dos 23 anos são importantes para um jogador que quer ser de elite e o chileno Gabriel Suazo já os possui.

Em 2020, Suazo voltou à sua origem, que é a lateral-esquerda, sobretudo após a saída do treinador Mario Salas do Colo-Colo, mas se destacou muito como volante durante a última temporada.

Dono de um ótimo passe longo em profundidade, tanto por baixo quanto pelo alto, Gabriel é um atleta consideravelmente técnico com a bola nos pés. Associa muito bem tanto quando joga pela lateral quanto no meio, seja desmarcado ou sob pressão, encaixando passes inesperados e até dribles curtos para se desvencilhar da marcação.

A capacidade de associação e o ágil deslocamento para recepção geralmente o colocam em condições de dar uma assistência para finalização ou de ele mesmo chegar perto do gol para chutar, no que demonstra boa qualidade também.

Defensivamente, Suazo transita com eficiência e executa bem a pressão pós-perda, além de possuir capacidade razoável de recuperação e antecipação. Precisa melhorar, entretanto, a postura na linha defensiva.

#17 GABRIEL FUENTES

Posição: Lateral Esquerdo

Clube: Junior Barranquilla

Grupo A, com Flamengo

Idade: 23 anos

Nacionalidade: Colombiano

Altura: 1,80

Mais um lateral com bons atributos físicos, Gabriel Fuentes já está consolidado no Junior Barranquilla e inicia a temporada em busca de um salto na carreira.

Tecnicamente, Fuentes é um lateral qualificado no passe pressionado, no cruzamento e na finalização, inclusive de bolas paradas, já que é um bom cobrador de faltas de média distância.

Na parte tática, compõe bem a linha defensiva e executa satisfatoriamente os movimentos de basculação e cobertura, mas é o quesito físico que o diferencia na sua posição.

Fuentes é um excelente marcador pois consegue se antecipar quase sempre ao adversário de costas, demonstra boa recuperação e capacidade de executar movimentos diferentes em sequência e pressionar, além de conseguir atingir uma velocidade considerável para recompor, perseguir adversários e realizar coberturas.

No um contra um, o colombiano dificilmente leva a pior e possui uma técnica de desarme altamente qualificada que o colocam em um patamar diferenciado entre os colegas de posição nessa Libertadores quando o assunto é capacidade defensiva.

#14 DARÍO AIMAR

Posição: Zagueiro

Clube: Barcelona-EQU

Grupo A, com Flamengo

Idade: 25 anos

Nacionalidade: Equatoriano

Altura: 1,86

Presença constante nas convocações da seleção equatoriana, Darío Aimar aproveita o biotipo privilegiado para ser excelente no duelo aéreo defensivo e aparecer bem pelo alto nas bolas paradas ofensivas.

Tem uma postura corporal em linha de marcação elogiável e raramente deixa buracos em seu setor, a não ser que precise fazer alguma cobertura, o que executa com considerável eficácia, já que possui ótima resistência física para correr grandes distâncias em alta velocidade.

Usa bem sua altura razoável e força para se impor fisicamente aos adversários, além da boa leitura de linhas de passe e qualidade para se antecipar nas jogadas.

Essa Libertadores se desenha como a oportunidade ideal para Darío Aimar provar que deixou para trás as lesões que abreviaram as suas duas últimas temporadas e que pode ser um dos grandes zagueiros do continente.

#13 BENJAMIN KUSCEVIC

Posição: Zagueiro

Clube: Universidad Católica

Grupo E, com Grêmio e Internacional

Idade: 23 anos

Nacionalidade: Chileno

Altura: 1,85

Benjamin Kuscevic é um dos bons zagueiros jovens do futebol sul-americano. Atua pelos dois lados da defesa e possui características de liderança que o colocam como um dos capitães de seu time, apesar da pouca idade.

A postura do chileno na linha defensiva é respeitável e seu posicionamento para se antecipar e interceptar passes é muito bom.

Pelo alto, ganha a maioria dos duelos defensivos e consegue manter a intensidade em disputas de bola sem sequência, no chão ou por cima.

A imposição física também é uma característica importante do zagueiro e a velocidade que imprime nas ações auxilia a reagir de forma contundente nas jogadas defensivas.

Com passagem pela seleção chilena na base e já convocado entre os profissionais, Benjamin possui credenciais para se transferir à Europa, já que possui passaporte croata. A falta de jogos competitivos a nível internacional talvez seja o que impediu uma transferência mais cedo para uma grande liga. Agora, prestes a completar 24 anos, talvez seja difícil chegar a um grande centro da Europa, o que, para os clubes brasileiros, é uma boa vantagem competitiva no mercado.

#21 GUZMÁN CORUJO

Posição: Zagueiro

Clube: Nacional-URU

Grupo F

Idade: 23 anos

Nacionalidade: Uruguaio

Altura: 1,89

Da linhagem de zagueiros altamente competitivos fisicamente como Diego Lugano e Diego Godín, Guzmán Corujo é uma revelação do futebol uruguaio na posição, um pouco carente de jogadores jovens com potencial.

Tem uma personalidade atlética visível e seu vigor físico impressiona antes mesmo de vê-lo jogar. Nas ações, se impõe aos atacantes por cima e por baixo com alta intensidade, tendo boa técnica para desarme e velocidade para trabalhar em sequência, transitar de um movimento defensivo para outro e se recuperar nas jogadas.

Com a bola, o uruguaio cumpre bem, buscando sempre o passe ativo para participar com qualidade do início das jogadas do seu time, auxiliando na transição rápida, uma característica do Nacional de Gustavo Munua.

Mentalmente, Corujo demonstra sempre bastante concentração e confiança para agir, sendo o líder da linha defensiva tricolor.

A idade estourando para uma transferência a um grande centro do futebol europeu, a exemplo de Kuscevic, pode ser uma vantagem competitiva para clubes brasileiros no mercado.

Muitos nomes do Nacional na lista, né? Quer conhecer outros? Leia A vez dos jovens no Gran Parque Central


Está pronta a linha de defesa do Footure para ser observada quando a Libertadores voltar. E aí, faltou alguém? E dos citados, qual você está mais ansioso para ver em ação?

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

João Marcos

Últimas Postagens

O que é a linha sustentada, conceito dominado por Tite e Mano Menezes e que fez sucesso no Corinthians
Caio Alves

O que é a linha sustentada, conceito dominado por Tite e Mano Menezes e que fez sucesso no Corinthians

0 Comentários
Atlético-MG vive seu melhor momento na temporada
Gabriel de Assis

Atlético-MG vive seu melhor momento na temporada

0 Comentários
A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol
Jonatan Cavalcante

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol

0 Comentários
Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI
Footure

Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI

0 Comentários
Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada
Caio Nascimento

Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada

0 Comentários
Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos
Caio Bitencourt

Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos

0 Comentários
O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?
Bruna Mendes

O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?

0 Comentários
O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?
Gabriel de Assis

O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?

0 Comentários
Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?
Jonatan Cavalcante

Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?

0 Comentários
God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22
Gabriel Corrêa

God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22

0 Comentários
Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado
Gabriel de Assis

Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2

0 Comentários
A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?
Caio Bitencourt

A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1

0 Comentários
O complicado início de Diego Aguirre no Internacional
Gabriel de Assis

O complicado início de Diego Aguirre no Internacional

0 Comentários