A recuperação do Atleti na temporada acontece a partir da Champions League

O mês de março vem sendo fundamental para a recuperação do Atleti na temporada. Depois da primeira partida contra o United pelas oitavas da Champions, o clube vem de quatro vitórias seguidas e segue na luta.

É fato que a temporada do Atleti é uma das piores dos últimos anos. Crise de identidade, Simeone na busca pelos tempos defensivos de excelência e a retomada por sistemas que cada vez mais entregam espaços para os adversários.

Contra o Manchester United tudo isso foi diferente. A equipe inglesa também passa por crise de identidade, muito por ignorar problemas que recorrem desde a saída de Ferguson, mas o mérito do Atleti no confronto é claro e evidente.

Simeone sabe que a equipe não joga da maneira que ele pretende desde que chegou. Os jogadores individualmente não projetam em campo seus melhores momentos, e até muitos pedem passagem para fora do clube. O grande ponto é como o coletivo é absurdamente importante para o cholismo perpetuar em 180 minutos de Champions League, e por algum tempo esteve perdido.

Eliminatória perfeita em desempenho coletivo e individual

A primeira partida contra o United foi talvez o melhor jogo da equipe na temporada, ainda que tenha terminado 1×1. Por outro lado, no Old Trafford essa excelência na defesa se manteve como sempre foi dentro das ideias do treinador. Rangnick pouco pôde fazer, mas muito porque Simeone soube exatamente como não deixar que o fraco jogo coletivo do United se escondesse em cima de grandes atuações individuais.

A marcação em cima de Bruno Fernandes anulou todo o setor criativo dos ingleses e o que poderia recorrer a partir disso acabou pelas marcações nos corredores laterais. Elanga até teve chances, mas Sancho estava visivelmente incomodado com a marcação tão em cima. Para o jogo reativo, tiveram algumas retomadas em cima da pressão que ajustou completamente o contra-ataque espanhol. As chances da equipe foram ali – grande jogo de Marcos Llorente e Griezmann sem a bola para tudo isso funcionar.

Renascimento

Essa recuperação física, mesmo que tarde na temporada, foi fundamental para a regularidade do time nas duas partidas, mas também nos últimos jogos de La Liga. O mês de março vem sendo forte fator para conseguir garantir a vaga na Champions da próxima temporada e o que vier pela frente na fase de mata-mata da competição.

Ainda que o segundo jogo tenha terminado 1×0 e o agregado apertado em 2×1, é evidente que o saldo se torna maior no final desses 180 minutos. A sensação é que Simeone sempre vai conseguir tirar da onde não tem… A classificação é totalmente na conta do treinador que, mais uma vez, leva essa equipe a lugares que muitos duvidam.

De qualquer forma o Atleti ainda precisa se reforçar no verão, mas deve pensar no coletivo para depois pensar no individual, como é claro nas ideias de Simeone desde sempre – potencializar peças individualmente é claramente um dos pontos fortes do treinador, mas nisso entra o encaixe de cada um deles num só sistema. Existem jogadores diferentes em questão de técnica e habilidade, mas na atual conjuntura deve-se priorizar o vigor e a entrega acima disso tudo, principalmente se pensarmos naquilo que Simeone mais exige dentro de campo. O jogo no Old Trafford é o melhor exemplo dessa mentalidade na 2021/22 e é esperado que isso siga como objetivo para as contratações no próximo verão.

Compartilhe
1XBet - Receber Bônus

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O padrão ofensivo das transições do Bahia
Jonatan Cavalcante

O padrão ofensivo das transições do Bahia

0 Comentários
Por que a Juventus de Allegri falhou no caminho das conquistas?
Caio Bitencourt

Por que a Juventus de Allegri falhou no caminho das conquistas?

0 Comentários
Início de Luís Castro no Botafogo merece a euforia da torcida
Gabriel de Assis

Início de Luís Castro no Botafogo merece a euforia da torcida

0 Comentários
Conheça Allan Aal, técnico do Grêmio Novorizontino, surpresa da Série B 2022

Conheça Allan Aal, técnico do Grêmio Novorizontino, surpresa da Série B 2022

Douglas Batista
Uma nova, mas já conhecida, função: o renascer de Léo Baptistão no Santos
Aurelio Solano

Uma nova, mas já conhecida, função: o renascer de Léo Baptistão no Santos

0 Comentários
1XBet - Receber Bônus
Zalewski: a descoberta de Mourinho que mudou a Roma
Caio Bitencourt

Zalewski: a descoberta de Mourinho que mudou a Roma

0 Comentários
Líder, Vítor Pereira vai ganhando tempo no Corinthians
Gabriel de Assis

Líder, Vítor Pereira vai ganhando tempo no Corinthians

0 Comentários
Qual o impacto de Maignan no gol do Milan?
Caio Bitencourt

Qual o impacto de Maignan no gol do Milan?

0 Comentários
Retratos de um Real Madrid campeão espanhol e finalista europeu
Bruna Mendes

Retratos de um Real Madrid campeão espanhol e finalista europeu

0 Comentários
Planejado, Coritiba tem seu melhor time dos últimos anos
Gabriel de Assis

Planejado, Coritiba tem seu melhor time dos últimos anos

0 Comentários
O que falta ao Napoli para levantar o Scudetto?
Caio Bitencourt

O que falta ao Napoli para levantar o Scudetto?

0 Comentários
1XBet - Receber Bônus
Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva
Gabriel de Assis

Liderança do Santos chega a partir de melhora defensiva

0 Comentários
Real Betis x Valencia: a final entre Manuel Pellegrini e Pepe Bordalás
Bruna Mendes

Real Betis x Valencia: a final entre Manuel Pellegrini e Pepe Bordalás

0 Comentários
Ten Hag e a missão de reconstruir o Manchester United
Lucas Filus

Ten Hag e a missão de reconstruir o Manchester United

1 Comentários
Coppa Italia: meu bem ou meu mal?
Caio Bitencourt

Coppa Italia: meu bem ou meu mal?

0 Comentários