Com o elenco mais jovem dos últimos dez anos, Bordeaux tenta renascer em meio ao caos

Ainda sem perder e sofrer gols na Ligue 2, o Bordeaux encara o desafios de retornar a elite francesa com um grupo rejuvenescido, média de idade de 22,9 anos e cheio de personalidade

A temporada 21/22 do Bordeaux terminou com fiascos dentro e fora de campo, e a consequência disso foi o rebaixamento para a Ligue 2 com um dos piores desempenhos coletivos e mais gols sofridos (91) entre as cinco principais ligas europeias.

Até poderia ter sido pior, já que o clube correu sérios riscos de parar na terceira divisão por conta de problemas administrativos. No tribunal, conseguiram vencer o processo de apelação depois de ter a inscrição inicialmente negada pela Federação por falta de garantias financeiras. Depois de mais um drama que parecia não ter fim, montaram um elenco promissor e sonham com uma volta à elite o quanto antes.

O clube que revelou jogadores como Alain Giresse, Aurélien Tchouameni, Bixente Lizarazu e Jules Koundé passará por uma fase onde terá que encontrar “recursos caseiros” para entrar nos eixos novamente. A mudança acarretará numa série de decisões que irá beneficiar e apresentar resultados a médio/longo prazo. A principal delas é dar sequência aos jovens recém-promovidos e os que já estavam na temporada passada. Dentre os jogadores do atual elenco, apenas cinco possuem mais de 25 anos, enquanto o restante da equipe é composta por jovens pouco utilizados na fraca campanha que levou ao rebaixamento e destaques dos times B e sub-19, somados a alguns reforços pontuais de acordo com as necessidades.

Até o momento foram investidos apenas €7 milhões em três jogadores na janela de transferências: Rafa Straczek (goleiro, 23 anos), Danylo Ignatenko (volante, 25 anos) e Alberth Elis (atacante, 26 anos). O último, aliás, foi contratado em definitivo junto ao Boavista — as duas equipes são geridas pelo espanhol-luxemburguês Gérard Lopez. Além disso, muitos deixaram a equipe neste período. Alguns tiveram seus contratos rescindidos, outros deixaram o clube sem custos em busca de novos desafios e outros ainda renderam bons valores, como o atacante Sékou Mara que foi vendido ao Southampton por €13 milhões.

Sob o comando de David Guion, que está no cargo desde fevereiro, o que se vê neste início de caminhada na segunda divisão francesa é uma equipe bastante determinada, buscando solidez defensiva com uma linha bem estruturada e velocidade nas transições. Porém, a organização ofensiva ainda deixa a desejar. Em quatro rodadas a equipe foi às redes quatro vezes e não sofreu nenhum gol – única equipe da liga que ainda não foi vazada.

Este bom início defensivo passa pelo goleiro Gaëtan Poussin, que aos 23 anos assumiu o posto de titular após a saída do veterano Ben Costil. Seguro, se posiciona bem e tem qualidade jogando com os pés. Tem tudo para se tornar um ponto de equilíbrio e apagar a marca negativa do setor deixada na última temporada.

Além disso, os quatro homens da primeira linha defensiva vêm demonstrando competência ao proteger a área. A dupla de zaga composta por Stian Gregersen, um dos jogadores com mais de 25 anos, e o jovem Junior Mwanga (2003), ainda não haviam atuado juntos mas estão cada vez mais à vontade. Gregersen é mais alto e consequentemente mais dominante no jogo aéreo e Mwanga que foi promovido definitivamente nesta temporada não possui boa estatura (1,84) mas compensa pelo chão. É bastante acionado pelo lado esquerdo, já que tem bons atributos técnicos, mas ainda carece de mais confiança e segurança em determinados momentos. Algo que irá adquirir naturalmente com o tempo.

Os laterais, Malcom Bokele (2000) e Jackes Ekomié (2003) dão profundidade o suficiente e aproveitam bem os espaços cedidos no último terço. Defensivamente recompõem com inteligência e têm a favor a boa fisicalidade. Como opção a Ekomié, Johaneko Louis-Jean (2004) tem entrado bem quando acionado e pode atuar por qualquer dos dois lados, já que usa com facilidade os dois pés.

No meio, o capitão Tom Lacoux (2002) dita o ritmo na construção das jogadas desde o campo de defesa com muita qualidade e dinâmica. Fechando a trinca, estão o brasileiro Fransérgio e o recém-chegado Ignatenko, que circulam a bola e municiam os atacantes quebrando as linhas de marcação, além de pisarem na área com frequência e auxiliarem com o forte jogo aéreo ofensivo. Para uma equipe que busca jogar de forma mais intensa e agredindo o adversário, serão imprescindíveis. Não por acaso, já estiveram envolvidos em 50% dos gols marcados até aqui.

O setor ainda conta com o ótimo Jean Onana, que vive a expectativa de uma transferência nesta janela e desperta o interesse do Milan, Emeric Depussay (2001) e Issouf Sissokho (2002). Perfis tecnicamente parecidos, de bom passe e cobertura defensiva.

Ofensivamente, os principais pontos positivos deste “novo” Bordeaux são a velocidade nas transições e a concentração de jogadas pelos lados, com pontas rápidos infiltrando e se movimentando o tempo todo para gerar espaços. Dilane Bakwa e Logan Delaurier-Chaubet (ambos 2002) são velozes e muito habilidosos. Taticamente se comportam bem e contribuem na neutralização dos laterais adversários.

O que ainda está em disputa é a vaga de referência no ataque. Josh Maja largou na frente do sul-coreano Hwang Ui-jo (é possível que saia nesta janela) e apesar de ainda não ter balançado as redes, contribui no apoio e retenção da bola no setor ofensivo. Não dá para deixar de citar os talentosos atacantes Marvin De Lima e Julien Vetro (ambos 2004), que terão boas oportunidades no decorrer da temporada. De Lima inclusive já fez seu primeiro gol na equipe principal diante do Rodez.

Foto: Reprodução

Portanto, é um time que ainda tem muito a evoluir mas que deu os primeiros passos de maneira correta no que se exige a Ligue 2. Terão capacidade para competir em um bom nível nesta temporada e alcançar os objetivos traçados. Lá na frente, com exigências maiores, certamente precisarão subir o nível para permanecerem na elite. Porém, com esta base mais consolidada e experiente, é o ponto que poderá ser a chave da mudança do clube.

Ainda há muito a ser feito até o fechamento da janela de transferências, salários precisam ser readequados e novos jogadores chegarão e poderão ser inscritos, como o goleiro Jonas Lössl, o zagueiro Yoann Barbet e o lateral esquerdo Vital Nsimba.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Guia do Brasileirão: Vitória

Guia do Brasileirão: Vitória

Douglas Batista
Guia do Brasileirão: Vasco

Guia do Brasileirão: Vasco

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: São Paulo

Guia do Brasileirão: São Paulo

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Red Bull Bragantino

Guia do Brasileirão: Red Bull Bragantino

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Palmeiras

Guia do Brasileirão: Palmeiras

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Juventude

Guia do Brasileirão: Juventude

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Internacional

Guia do Brasileirão: Internacional

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Grêmio

Guia do Brasileirão: Grêmio

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Fortaleza

Guia do Brasileirão: Fortaleza

Douglas Batista
Guia do Brasileirão: Fluminense

Guia do Brasileirão: Fluminense

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: Flamengo

Guia do Brasileirão: Flamengo

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: Cuiabá

Guia do Brasileirão: Cuiabá

André Andrade
Guia do Brasileirão: Cruzeiro

Guia do Brasileirão: Cruzeiro

André Andrade
Guia do Brasileirão: Criciúma

Guia do Brasileirão: Criciúma

André Andrade
Guia do Brasileirão: Corinthians

Guia do Brasileirão: Corinthians

Douglas Batista