O início no AJ Auxerre - Football Manager 2020 - #1

Acompanhe o início da saga de Renato Gomes com o AJ Auxerre, no Football Manager

Olá futeboleiros e futeboleiras, aqui é o Renato Gomes, jornalista e colunista de futebol francês no Footure. Até alguns anos, também fiz parte da equipe do FManager Brasil, o maior fórum de Football Manager do Brasil, e o hábito de contar o que acontece dentro do meu jogo foi algo que já tomou muito do meu tempo desde a minha infância, apesar de nem sempre ter dominado o Football Manager da forma como gostaria (uma forma mais nobre de dizer que eu era muito ruim!).

Com tudo o que estamos vivendo em relação ao Coronavírus, o confinamento trouxe mais tempo livre e, a partir de agora, dentro da campanha #JogueEmCasa, o site terá um espaço dedicado ao Football Manager de forma mais regular e assim vou dar início à minha carreira como treinador do Auxerre!

Por que o Auxerre?

São diversos os motivos que fizeram o AJ Auxerre se tornar a minha equipe preferida nas edições mais recentes do FM. Além da questão passional, já que sou fã do futebol da França, existe uma questão técnica que torna, na minha visão, a liga francesa como a melhor para jogar a longo prazo.

Não há limite na inscrição de jogadores do time principal (diferente da Espanha, Inglaterra ou Itália, por exemplo), boa parte dos times já possuem uma boa estrutura nas suas categorias de base, a regra que engloba os jogadores comunitários é bem ampla e, além disso, a dificuldade aumenta pelo time começar na Ligue 2, a segunda divisão, que é uma liga que simplesmente não dá dinheiro e, como na vida real, para obter um lucro decente, você é obrigado a vender.

Existe outro fator que torna o jogo dentro da França muito mais divertido: o fato de poder contar com o time B ativo. Isso quer dizer que, baixando e adicionando as ligas inferiores, eu consigo colocar a segunda equipe (não há restrição de idade e necessidade de inscrição de jogadores) para funcionar de forma bastante ativa no desenvolvimento de jovens, que vierem do time sub-18 ou de fora, e na recuperação dos atletas do time profissional. No ano de 19/20, o Auxerre B está na National 3, a quinta divisão do país.

Para dar início ao save, carreguei as primeiras divisões da Alemanha, Espanha, Holanda, Inglaterra, Itália e Portugal, além de ter personalizado continentes e países para chegar ao número de cerca de 84,000 jogadores presentes na database. Na França, carreguei as cinco principais ligas com o auxílio do N3MO do ManagerOnline.

Objetivos

Já dentro do jogo, a diretoria coloca os playoffs de promoção como o objetivo mínimo a ser atingido na temporada 2019/2021. Mas, já conhecendo o elenco, os jogadores e o nível da Ligue 2 (se tornou mais difícil com Caen e Guingamp), considero que a promoção à Ligue 1 é algo alcançável já no primeiro ano de competição.

Além dos objetivos da diretoria, existem outros que adotei como filosofia para dificultar ainda mais a missão rumo ao sucesso:

  • Somente contratar jogadores identificados pela equipe de análise e observação
  • Não contratar ou vender qualquer jogador na primeira janela de transferências ou até na primeira temporada, dependendo da necessidade do time
  • Renovar a comissão técnica usando apenas o Centro de Emprego

Na próxima parte, a expectativa é ter o primeiro turno da Ligue 2 já finalizado. Vou tratar não só dos resultados dentro de campo, mas também falarei do sistema de jogo e das mudanças que já aconteceram no período e que pretendo fazer para o restante da competição.

Quer fazer parte do grupo de Whatsapp de Football Manager do Footure? Clique aqui!

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar
Aurelio Solano

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar

0 Comentários
Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários