Principais contratações da janela de inverno na La Liga

Pierre-Emerick Aubameyang, Adama Traoré, Daniel Wass, Reinildo Mandava, Ilaix Moriba, Bryan Gil, Anthony Martial, Giovani Lo Celso, Borja Mayoral, Gonzalo Villar e Óscar Rodriguez. Como cada um deles pode ajudar seus novos clubes no restante da temporada?

A janela de inverno é muito importante para muitos clubes na Europa, pois é aquele momento de consertar erros em contrações ou apenas aumentar as chances da equipe na temporada trazendo adições que potencialize os objetivos dos clubes na temporada. Quais foram os principais nomes na elite da Espanha?

Borja Mayoral, Gonzalo Villar e Óscar Rodriguez Getafe

Gonzalo Villar e Óscar Rodriguez são peças excelentes dentro de um elenco tão limitado como o do Getafe. Mesmo que exista jogadores fora de série na posição como Maksimović e Arambarri, os dois jovens espanhóis são excelentes adições técnicas e, assim como Bryan Gil, de muito prestigio nas últimas temporadas – Gonzalo foi muito bem no Elche enquanto Óscar se destacou nos tempos de Real Madrid Castilla e no fraco Leganés.

O jogador da Roma, Borja Mayoral é mais uma opção para o ataque, que sente falta de um oportunista como ele – enquanto Unal tem sete gols na temporada e se destaca, Sandro tem apenas três, era necessário uma concorrência maior que ele e Jaime Mata.

Ilaix Moriba e Bryan Gil Valencia

Sobre o Valencia já falamos recentemente (o link). A força do time parte dos jogadores mais jovens, e nessa janela mais jovens foram trazidos para melhorar ainda mais esse desempenho no coletivo.

A chegada de Ilaix Moriba é excelente, principalmente em vista do que o time necessitava no meio-campo, em tempos que o zagueiro Guillamón virou de fato um dos volantes da equipe. No Barcelona, Moriba subiu na hierarquia muito rápido por conta da carência no setor da equipe, e talvez isso o tenha atrapalhado nos primeiros meses com o Leipzig – basicamente aquilo de dar o passo maior que a perna. A chance de se recuperar no Valencia é interessante tanto para o jogador quanto para o clube que precisa de um meia mais intenso e articulador como Ilaix é.

Um dos espanhóis com maior potencial atualmente, Bryan Gil já rodou muito por empréstimos ainda quando pertencia ao Sevilla. Nesse tempo, empolgou bastante em clubes bastante limitados tecnicamente, mostrando seu diferencial como um ponta driblador e de personalidade. Perto de completar 21 anos, ainda é muito franzino e isso dificultou sua adaptação dentro do Tottenham e principalmente na Premier League. O retorno a La Liga é muito bom para o Valencia, que conta com uma excelente opção para as pontas e também para melhorar ainda mais seu sistema ofensivo – já vem sendo um grande destaque com Bordalás. A ideia é que Bryan cresça fisicamente e desponte no cenário onde sempre dominou mesmo tão jovem.

Giovani Lo Celso – Villarreal

O argentino Giovani Lo Celso empolgou bastante nos meses de Real Betis, mas no Tottenham foram apenas lapsos daquele jogador. O retorno à La Liga é interessante por conta disso, mas não é nada que mude o Villarreal de patamar, ainda mais olhando o elenco do clube hoje. Na tabela pode ajudar, já que essa rotação aumenta com a adição do meia, e o descanso promove um aperfeiçoamento físico dos jogadores que parecem cansados de todo a campanha da última temporada.

Pierre-Emerick Aubameyang e Adama Traoré Barcelona

Pensando em se classificar para a próxima Champions, o Barcelona foi atrás de reforços pontuais e diferentes do que já existem no próprio elenco. Ferran foi excelente em vista do que Ansu Fati vem passando em relação às lesões nos últimos meses. Mas Aubameyang e Adama são perfis completamente opostos a qualquer outro jogador do elenco.

O primeiro traz gols e uma função diferente desde que Suárez saiu. É um atacante mais veloz, mas que garante gols – diferente (pelo menos de primeiro momento) do que Luuk e Memphis vem entregando. Para isso, é preciso construir e chegar a última bola até ele, mas pensando nas necessidades blaugranas é interessante contar com um jogador que sempre entregou gols, independente de desempenho individual, que hoje não importa tanto. A saída de Suárez já foi um baque nos números, mas a de Messi é ainda mais. O sistema ofensivo perdeu peças, mas principalmente números, e Aubameyang pode ser esse jogador que infla números novamente.

Adama já é algo diferente. É um ponta extremamente rápido e forte, mas totalmente comum ao pensarmos em Barcelona. É um jogador limitado, mas que pode produzir se potencializado por Xavi, e pensando nas características dos pontas do Barcelona hoje ele pode ser bem visto como um ‘supersub’. O grande ponto é como será visado isso em relação a Dembele, que segue sem renovar.

(Reprodução/FC Barcelona)

Daniel Wass e Reinildo Mandava – Atlético de Madrid

Depois de perder Trippier, o Atleti ficou sem opções confiáveis para a lateral. Vrsaljko nunca empolgou, mas vem jogando por ser o único da posição, e Llorente não é de fato um lateral. Daniel Wass chega para suprir essa carência. Mesmo sendo um meia mais pelo lado direito, cumpre a função como lateral desde os tempos de Celta e é bem polivalente, algo que o Atleti vê como atraente. Não é um jogador incrível, mas que pode ser bem potencializado por Cholo Simeone e entregar desempenhos animadores.

O moçambicano Reinildo Mandava chega como excelente alternativa para a lateral-esquerda. Com a temporada abaixo de Renan Lodi, a posição ficou exposta quando Simeone volta ao 4-4-2. Mario Hermoso vem em baixa como terceiro zagueiro, mesmo cumprindo como lateral, e Carrasco atua como um ala pelo lado esquerdo quando se tem três zagueiros. Reinildo é uma força defensiva necessária e foi muito consistente nos tempos de Lille. Seu trabalho na defesa pode ser fundamental para o Atleti recuperar essa força no sistema que vem sendo o “calcanhar de aquiles” de Cholo na temporada.

Anthony Martial Sevilla

A equipe de Lopetegui vem fazendo o seu melhor campeonato espanhol dos últimos anos em termos de pontuação. Mesmo que o desempenho semanal não seja dos melhores, o time pontua e vence partidas. A chegada de Martial é excelente no contexto que o clube enfrenta, pois tem seus centroavantes ais físicos entregando gols, porém precisa também de um atacante mais móvel como o francês.

É importante destacar que no Manchester United teve pouco tempo de jogo e um contexto bem ruim. Com o Sevilla, o seu futebol deve ser potencializado, num cenário tão bem orquestrado talvez possa entregar em campo o que sempre foi prometido nos tempos de Mônaco.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Guia do Brasileirão: Vitória

Guia do Brasileirão: Vitória

Douglas Batista
Guia do Brasileirão: Vasco

Guia do Brasileirão: Vasco

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: São Paulo

Guia do Brasileirão: São Paulo

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Red Bull Bragantino

Guia do Brasileirão: Red Bull Bragantino

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Palmeiras

Guia do Brasileirão: Palmeiras

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Juventude

Guia do Brasileirão: Juventude

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Internacional

Guia do Brasileirão: Internacional

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Grêmio

Guia do Brasileirão: Grêmio

Vinícius Dutra
Guia do Brasileirão: Fortaleza

Guia do Brasileirão: Fortaleza

Douglas Batista
Guia do Brasileirão: Fluminense

Guia do Brasileirão: Fluminense

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: Flamengo

Guia do Brasileirão: Flamengo

Gabriel Mota
Guia do Brasileirão: Cuiabá

Guia do Brasileirão: Cuiabá

André Andrade
Guia do Brasileirão: Cruzeiro

Guia do Brasileirão: Cruzeiro

André Andrade
Guia do Brasileirão: Criciúma

Guia do Brasileirão: Criciúma

André Andrade
Guia do Brasileirão: Corinthians

Guia do Brasileirão: Corinthians

Douglas Batista