Balanço completo do retorno da Bundesliga

Tudo sobre a 26ª rodada da Bundesliga em detalhes. Como cada equipe atuou e os motivos dos resultados, além da seleção do campeonato

O retorno da Bundesliga no último final de semana nos mostrou um cenário dentro de campo bem parecido com aquele que acompanhávamos até dois meses atrás, data da última partida antes da paralisação forçada pela pandemia de COVID-19. Dos cinco primeiros colocados da competição, apenas o Red Bull Leipzig não venceu, confirmando a oscilação que já vinha apresentando.

Dortmund, Leverkusen e Mönchengladbach tiveram os melhores desempenhos. Wolfsburg, Freiburg e Hertha Berlim cresceram. Schalke 04, Hoffenheim e FC Köln foram as principais decepções. O líder Bayern não conseguiu a mesma intensidade vista outrora, certamente reflexo do tempo de inatividade. Aliás, a “liga da velocidade e intensidade”, teve diversos jogos sem essas caraterísticas nesta 26ª rodada, algo já esperado pelo cenário.

Faça parte do Footure Club e receba conteúdos exclusivos diariamente por R$12 mensais

Foi interessante observar também novos padrões de comportamento. Comemorações a distância, pouco contato físico entre companheiros e membros da comissão técnica, suplentes a metros de distância nos “bancos de reservas” e o “cara ou coroa” do início das partidas em novo formato. Houve, porém, exceções. Quando lances mais ríspidos e viscerais acontecem, é inevitável o contato, as encaradas ou os abraços. Fatores que ainda teremos que nos acostumar, assim como ver vazios os sempre lotados estádios alemães.

retorno da Bundesliga
Comemorações ”a distância”, como a dos jogadores do Gladbach foram comuns na rodada. Foto: Borussia Moenchengladbach

Outro detalhe relevante da rodada foi o número de mandantes que não venceram as suas partidas. Apenas o Borussia Dortmund ganhou os três pontos atuando em seus domínios. Hoffenheim, Eintracht Frankfurt, Augsburg e Werder Bremen sucumbiram. Uma bela resposta a quem acha que o ambiente gerado pelas torcidas não influencia no desempenho das equipes.

Confira abaixo um relato de cada um dos nove jogos e como cada uma das 18 equipes atuaram:

Borussia Dortmund 4×0 Schalke 04

Gols: Haaland, Raphael Guerreiro (2) e Thorgan Hazard

Como as equipes iniciaram em campo

O resultado deixou bem claro a distância existente hoje entre os dois rivais que fazem o clássico do Vale do Rhur. Se tecnicamente o Dortmund já é bem superior, o que dizer quando a parte tática trata de aumentar essa disparidade. Os aurinegros conseguiram imprimir uma circulação de bola mais eficaz a partir de uma saída muito bem feita pelos zagueiros e de movimentos de Brandt, Thorgan Hazard, Dahoud e até Raphael Guerreiro entre as linhas. Velocidade, técnica, verticalidade e boa ocupação de espaços para progredir no campo.

LEIA MAIS: A resposta de Lucien Favre no 3-4-2-1

A ficha do jogo com a nota de cada atleta.

Defensivamente o Schalke pecou demais. Menos intenso, sofreu com alguns encaixes de marcação e perseguições, um prato cheio para as movimentações do Dortmund, que criou muitas chances para construir o placar de 4×0. Na parte ofensiva, mesmo com a mudança de esquema no intervalo, os azuis reais foram bem imprecisos, e encararam um rival mais seguro e firme nos combates. Somente Harit e Caligiuri tiveram lampejos. Destaque para os contra-ataques muito bem organizados pelo vice-líder do campeonato na 2ª etapa. O Schalke caiu para a 8ª posição.

Red Bull Leipzig 1×1 Freiburg

Gols: Gulde (Fre) e Poulsen (RB)

Como as equipes iniciaram a partida

Partida muito interessante e disputada por duas equipes com propostas completamente diferentes. O Leipzig com mais posse de bola, buscando construir jogadas com passes rápidos e curtos, bola no chão, e acúmulo de atletas pelo meio para fazer tabelas e triangulações. O Freiburg jogando na base da ligação direta e contra-ataques, sistema defensivo bem fechado e períodos de circulação de bola na linha defensiva quando os donos da casa não pressionavam.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta.

O Leipzig criou muitas oportunidades o jogo inteiro, mas finalizou mal. Poderia também ter variado um pouco o raio de ação das jogadas. Insistiu muito pelo meio e jogou pouco pelos lados no terço final do campo. O Freiburg acabou abrindo o placar em escanteio ainda no 1º tempo e buscou defender o resultado atuando à sua maneira. Não conseguiu, mas ainda teve um gol anulado pelo VAR nos acréscimos e mostrou muita organização dentro da sua ideia de futebol. O time de Nagelsmann acabou perdendo a 3ª posição e viu o Leverkusen crescer no retrovisor. Já o Freiburg pulou pra 7º

Augsburg 1×2 Wolfsburg

Gols: Steffen e Ginczek (Wol); Jedvaj (Aug)

Como as equipes iniciaram o jogo

Vitória justa do Wolfsburg fora de casa. Desde o início foi a equipe que executou melhor a sua ideia de jogo. Marcou muito forte a saída adversária, impedindo a circulação da bola, e trocou passes com velocidade no campo de ataque, ocupando bem os espaços e apresentando movimentação eficiente. Não criou mais porque se ressentiu de um jogador com mais presença de área. Mesmo assim abriu o placar ainda no 1º tempo em bela assistência do brasileiro Paulo Otávio.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta.

O Augsburg, na estreia do trabalho de Heikko Herlich, ainda tentou jogar com aproximação e troca de passes curtos desde o campo de defesa, mas foi sufocado pelo Wolfsburg. Não apresentou movimentação e coragem para sair da marcação ‘’alta’’ adversária. Defensivamente até fez um bom jogo na maior parte do tempo, mas não conseguiu igualar a intensidade dos visitantes. Assustou mais na bola parada com o lateral-esquerdo Max e marcou desta forma, mas acabou sucumbindo no final, quando o Wolfsburg já tinha um jogador mais voltado a área ofensiva. Os Lobos chegaram ao 6º lugar, mas não parecem tem gás para brigar por vaga na Champions. O Augsburg segue perto da zona de rebaixamento

Fortuna Dusseldorf 0x0 Paderborn

Como as equipes iniciaram o jogo

Como era de se esperar, jogo bem fraco entre duas equipes que habitam hoje a zona de rebaixamento da Bundesliga. O empate sem gols foi o retrato fiel da imensa dificuldade que Fortuna Dusseldorf e Paderborn tiveram para criar no último sábado. A equipe da casa ainda foi melhor, mas não conseguiu converter a troca de passes mais fluente em oportunidades claras de gol. Chegou com real perigo em apenas duas ocasiões, uma em cada tempo, com Berisha e Thommy, os melhores do time.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta

O Paderborn esteve o tempo inteiro estático em campo. Pouco dinâmico nas movimentações ofensivas, evidenciando a limitação técnica e tática para construir algo. Teve uma chance clara em contra-ataque no fim, mas perdeu de forma incrível. Na parte defensiva também ficou um pouco abaixo do Fortuna. Deu alguns espaços na sua última linha, mas o adversário não soube aproveitar. Além da pobreza técnica, a partida foi disputada em ritmo muito mais lento que o normal na Bundesliga.

Hoffenheim 0x3 Hertha Berlim

Gols: Akpoguma (contra), Ibisevic e Matheus Cunha

Como as equipes iniciaram em campo

Resultado um tanto quanto exagerado para o que foi o jogo, mas facilmente explicado ao abordarmos a terrível atuação que teve Akpoguma, zagueiro do Hannover, envolvido diretamente nos três gols, e a eficiência dos atacantes do Hertha no 2º tempo. A partida até então vinha igual. Alternância de domínio para os dois lados. Ambos os times tentando propor o jogo com aproximação e troca de passes curtos, além de uma boa ocupação de espaços no campo de ataque. Faltava mais velocidade na circulação da bola e eficiência perto da área.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta

Defensivamente, problemas parecidos também. Compactação falha entre as linhas no momento em que subiam a marcação, além de oscilação de intensidade na abordagem ao homem da bola. Como tinha um pouco mais de imprevisibilidade nos seus homens de frente, o time de Berlim se aproveitou dos erros dos donos da casa e construiu o placar na etapa final. O brasileiro Matheus Cunha teve bela exibição ao lado de Ibisevic no ataque. O Hoffenheim também criou, mas esbarrou na falta de pontaria no momento da finalização. Mesmo perdendo manteve-se na 9ª colocação. O Hertha ganhou duas posições e se afastou um pouco do ‘’Z-3’’ na estreia de Bruno Labbadia.

Eintracht Frankfurt 1×3 Borussia Moenchengladbach

Gols: Pléa, Thuram e Bensebaini (Bor); André Silva (Ein)

Como as equipes iniciaram em campo

Partida totalmente condicionada pelo início avassalador do Borussia, que já vencia por 2×0 antes dos sete minutos do 1º tempo. Gols construídos da mesma maneira que criou todas as outras chances do jogo: no contra-ataque. Não que tivesse entrado em campo para jogar só desta forma, mas a transição defensiva do Eintracht foi pavorosa. Se tivesse um pouco mais de precisão e menos displicência em alguns momentos, os visitantes teriam marcado outros gols. Embolo, Pléa, Thuram e Hofmann brincaram de encontrar espaços para acelerar.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta

O Eintracht sofreu uma ducha de água fria logo de cara e isso influenciou bastante na sua intensidade no jogo. Tentou produzir ofensivamente, mas só tinha os deslocamentos de Kamada da ponta para o meio como ponto de desequilíbrio. De resto, muita ligação direta e lentidão na troca de passes, mesmo comportamento ao perder a bola. Os visitantes souberam também acelerar e pausar o ritmo do jogo quando lhe convinham, vitória categórica e pulo para a 3ª posição. O time da casa perdeu uma posição e segue se aproximando da zona de rebaixamento.

FC Koln 2×2 Mainz

Gols: Uth e Kainz (Kol); Awoniyi e Kunde (Mai)

Como as equipes iniciaram a partida

Jogo bem aberto, com final emocionante, mudanças de cenários, e pouca intensidade para o nível normal da Bundesliga. No cômputo geral, o FC Koln foi melhor, mais incisivo dentro daquilo que buscou fazer para criar. Usou bem as ligações diretas para Córdoba e a aproximação posterior de Uth, o melhor em campo, mas sucumbiu com a extrema queda física que teve no 2º tempo. Marcou mal e sofreu o empate em apenas dez minutos.

A ficha do jogo com a nota de cada jogador

O Mainz tentava construir suas jogadas mais pacientemente, mas nitidamente dispõe de poucos jogadores com tais características. Trocava passes de forma pouco inspirada e morosa no 1º tempo. Defensivamente apresentou muitas falhas de compactação e posicionamento. Na 2ª etapa foi mais agudo e direto, melhorou consideravelmente, aproveitou os problemas do Koln, e arrancou um empate importante na luta contra o rebaixamento. Os anfitriões seguem no meio da tabela.

Union Berlin 0x2 Bayern de Munique

Gols: Lewandovsky e Pavard

Como as equipes iniciaram a partida

Vitória tranquila do Bayern atuando na casa do adversário. O time bávaro não repetiu o nível de algumas atuações anteriores a pandemia, mas jogou bem. Apresentou uma boa circulação de bola no campo ofensivo e só não criou tanto por um ótimo trabalho de defesa a própria área feita pelo Union. Os anfitriões chegaram a incomodar nos primeiros 20 minutos. Utilizavam muitas ligações diretas, ganhavam a ‘’segunda bola’’, e eram bem verticais. Promell foi o destaque.

A ficha do jogo com a nota de cada jogador ao lado.

Depois de se ajustar defensivamente, o Bayern ampliou o seu controle e o gol foi construído em boa jogada pela direita, o setor mais eficiente nesta partida. Pavard e Muller foram os melhores em campo, e o lateral francês marcou o segundo gol, de cabeça, perto do fim da partida. O Union Berlin até tentou tomar mais a iniciativa no 2º tempo, mas pouco assustou e acabou dando espaços. Segue na 13ª posição, fazendo um campeonato acima das expectativas. O Bayern manteve a ponta com quatro pontos de diferença para o Dortmund.

Werder Bremen 1×4 Bayer Leverkusen

Gols: Havertz (2), Weiser e Demirbay (Lev); Selassie (Wer)

Como as equipes iniciaram em campo

Vitória bem expressiva do Leverkusen, que manteve a curva de crescimento e se aproximou do Leipzig na classificação. Demonstração clara da diferença tática entre as duas equipes no momento e total falta de confiança do Werder Bremen, que segue defendendo muito mal quando leva o primeiro gol. Até o placar não se alterar, o time da casa conseguia impedir a criatividade dos visitantes. É bem verdade que quase não conseguiam contra-atacar e viam o Bayer trocar passes em seu campo, mas negavam a profundidade até Diaby fazer grande jogada e Havertz abrir o placar.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta ao lado

Selassie ainda empatou após cobrança de escanteio, mas Havertz mais uma vez marcou em passe de Demirbay, os dois melhores em campo. A partir daí a distância entre os adversários ficou ainda mais clara. O Leverkusen foi empilhando chances e marcou mais duas vezes até o final, poderia ter feito mais gols inclusive. O Bremen mal assustou a meta de Hradécky. O time do norte alemão continua na 17ª colocação, a nove pontos do primeiro time fora do ‘’Z-3’’.

SELEÇÃO DA RODADA

Schwolow (FRE) – 6,5; Pavard – (FCB) – 7,0, Hummels – (BVB) – 6,0, Alaba – (FCB) – 6,0, Raphael Guerreiro – (BVB) – 8,0; Kimmich – (FCB) – 6,5, Demirbay – (BAY) – 7,5; Pléa – (BMG) – 7,0, Uth – (KOL) – 7,0, Brandt – (BVB) – 7,5; Havertz – (BAY) – 7,5

Borussia Dortmund e Bayern de Munique dominam a seleção da 26ª rodada. Os dois primeiros colocados da Bundesliga colocaram três atletas cada entre os 11 melhores do último final de semana. O Bayer Leverkusen vem logo atrás com dois. Borussia Moenchengladbach, Freiburg e FC Koln também têm seus representantes. Cada jogador que entrou em campo nos nove jogos recebeu uma nota de acordo com a sua atuação. A equipe está escalada no 4-2-3-1 porque foi esquema tático mais utilizado. Raphael Guerreiro foi o craque da rodada.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Rodrigo Coutinho

Últimas Postagens

Início animador do Brasileirão Sub-17
Caio Nascimento

Início animador do Brasileirão Sub-17

0 Comentários
Como Vlahovic virou um artilheiro de muitos gols na Fiorentina
Caio Bitencourt

Como Vlahovic virou um artilheiro de muitos gols na Fiorentina

0 Comentários
Depressão: a inimiga invisível do futebol
Fernanda Lima

Depressão: a inimiga invisível do futebol

0 Comentários
Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários