A entusiasmante Liga Portuguesa 2020/21

Iniciando nesta sexta-feira (18), a Liga NOS promete trazer ótimos jogos e uma disputa interessante pelo título da competição

Quase de dia para dia, têm aumentado os motivos de interesse na edição 2020/21 da Liga NOS. Devido a uma agradável conjugação de fatores, esta temporada promete ser uma das mais entusiasmantes que Portugal presenciou na última década.

Muitas mexidas em vários dos candidatos ao título, mais projetos estruturados e promissores e um número cada vez maior de treinadores com boas ideias a chegar ao campeonato. Mas vamos por partes.

Há que começar pelo atual campeão. O FC Porto, que beneficia da continuidade da equipa técnica e da base do plantel, centrou-se essencialmente no mercado interno para tornar o seu grupo mais completo. Cláudio Ramos chegou do Tondela, Carraça e Zaidu do Boavista e do Santa Clara, respetivamente. Mas a grande novidade para 2020/21 foram as contratações de Mehdi Taremi (Rio Ave) e, em princípio, Toni Martínez (Famalicão), dois dos melhores pontas de lança a atuar em Portugal na temporada transata. Do Brasil, veio Evanilson, atacante ex-Fluminense.

O maior rival que os dragões terão pela frente é, simultaneamente, a equipa que mais expectativa tem criado. Para além da contratação do técnico Jorge Jesus, o Benfica realizou um investimento extremamente avultado tendo em conta a realidade portuguesa: €15 milhões por Luca Waldschmidt (Friburgo), €18 milhões por Pedrinho (Corinthians), €20 milhões por Everton ‘Cebolinha’ (Grémio) e €24 milhões por Darwin Núñez (Almería). Teve ainda tremendo impacto a chegada do belga Jan Vertonghen, após oito temporadas no Tottenham.

Vertonghen, Waldschmidt e Everton foram algumas das contratações em destaque do Benfica (Divulgação/Benfica)

Num patamar um pouco abaixo, mas também com grande entusiasmo, surgem Sporting de Braga e Sporting CP. Os Guerreiros do Minho, terceiros classificados no último campeonato, contrataram para o comando técnico um dos treinadores da moda do futebol português, Carlos Carvalhal. Houve também um importante reforço no plantel, mas o grande destaque vai, invariavelmente, para Nico Gaitán, internacional argentino que durante seis anos encantou os adeptos do SL Benfica e que, em 2016, saiu a peso de ouro para o Atlético de Madrid.

Já no Sporting CP, que assinou com vários atletas (realce para o muito promissor Pedro Gonçalves, ex-Famalicão), a grande curiosidade centra-se, não nos reforços, mas no treinador, Rúben Amorim. O antigo internacional português foi o técnico mais mediático da Liga NOS 2019/20, sobretudo devido à milionária mudança de Braga para Lisboa, e será interessante perceber aquilo que poderá construir tendo a possibilidade de preparar uma equipa desde o primeiro dia.

Mais abaixo na tabela classificativa, a luta pela Europa estará ao rubro, com Rio Ave, Famalicão, Vitória e Boavista como claros candidatos à última vaga de acesso (sendo que o vencedor da Taça de Portugal carimba de igual modo o passaporte).

Desde logo, o Rio Ave, que vai participar na Liga Europa 2020/21, tem como trunfo o facto de grande parte dos jogadores ter permanecido (apesar da saída de Taremi). A grande interrogação prende-se com o comando técnico, que foi entregue a Mário Silva, vencedor da UEFA Youth League pelo FC Porto.

Depois de conquistar a Youth League com o FC Porto, o técnico Mario Silva assumiu o desafio do Rio Ave (Divulgação/Rio Ave)

O Famalicão, que viu escapar a Europa nos derradeiros minutos da última jornada, mas que foi a sensação do ano, encontra-se numa situação praticamente oposta. João Pedro Sousa continua a ser o treinador, mas muitos atletas abandonaram o clube. Veremos se os reforços acompanham o nível de exigência estabelecido pelos seus antecessores.

Em grande destaque na imprensa tem estado o Vitória SC. Tiago Mendes, jogador com uma carreira no estrangeiro extensa e de sucesso, é uma completa incógnita enquanto treinador, mas o plantel foi altamente blindado com futebolistas jovens provenientes das grandes ligas europeias. A manchete, contudo, só pode ser Ricardo Quaresma. O “Mustang” foi recebido na cidade berço com pompa e circunstância e vai ocupar um corredor lateral oposto ao do craque Marcus Edwards, que, ao que tudo indica, continuará a espalhar magia em Guimarães.

A menos de sessenta quilómetros de distância, o Boavista poderá muito bem ser a surpresa do ano. Entre o final da última época e o início da próxima, tudo mudou no clube portuense. Para liderar um projeto fortemente ligado aos franceses do Lille, foi contratado Vasco Seabra, treinador-revelação da 2ª Liga. Os reforços são muitos, bons e de um nível imensamente superior ao dos atletas que abandonaram a equipa. Adil Rami, campeão do mundo em 2018, Javi Garcia, internacional espanhol, e Angel Gomes, promessa formada no Manchester United, são os nomes mais sonantes.

No que toca às equipas que já disputavam a Liga NOS, há, de resto, alguma expectativa para perceber o que farão Gil Vicente e Tondela, sobretudo devido aos seus novos timoneiros. Rui Almeida (Gil Vicente) tem já provas dadas nos campeonatos profissionais franceses, mas é desconhecido no seu próprio país; Pako Ayestarán (Tondela) foi durante vários anos assistente de Rafael Benítez e a sua última experiência, enquanto treinador principal, ocorreu no Pachuca, do México.

Por fim, há muito interesse em perceber o campeonato que realizarão os dois clubes que subiram de divisão: Nacional e Farense. Os primeiros, que não têm um plantel excepcional, encontram em Luís Freire, um dos técnicos mais promissores do país, a sua maior esperança; os segundos aparentam ter um projeto bastante sólido e estruturado, regressam a esta divisão dezoito anos depois e são um emblema histórico do futebol português, para além de que, após várias décadas, poderemos assistir a um confronto de primeira divisão entre duas equipas do Algarve (Portimonense-Farense).

A Liga NOS tem início marcado para 18 de setembro.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários
Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes
Lucas Filus

Tuchel, Solskjaer, tropeços e realidades diferentes

0 Comentários