Muito mais que o campeão virtual Bayern

Confira tudo o que rolou em cada um dos nove jogos da 28ª rodada da Bundesliga

Todos nós sabemos que campeonato por pontos corridos não tem final, mas há sempre alguns jogos durante a competição que definem o rumo do título. No caso desta edição da Bundesliga, a “final” aconteceu nesta 28ª rodada e contou com o Bayern de Munique encaminhando o seu 29º caneco, o oitavo consecutivo, ao bater o Dortmund no Signal Iduna Park. Além dos bávaros, Wolfsburg e Hertha Berlin seguiram crescendo. Fortuna Dusseldorf e Werder Bremen mostraram poder de reação para pensar em sair do ‘’Z-3’’.

Os resultados da 28ª rodada da Bundesliga

As decepções ficaram por conta dos desempenhos de Bayer Leverkusen e Borussia Moenchengladbach, perderam rendimento neste meio de semana. O Schalke 04 segue em queda desenfreada e o Red Bull Leipzig continua oscilando. A rodada serviu para aquecer ainda mais a luta contra o descenso e pela última vaga na Europa League. Confirma-se também a tese de que a ausência de torcida inutiliza o ‘’fator casa’’. Dos 27 jogos disputados pós-retorno da pandemia, em apenas cinco os anfitriões saíram com a vitória.

Faça parte do Footure Club e receba conteúdos exclusivos diariamente

Confira abaixo um relato de cada um dos nove jogos e como cada uma das 18 equipes atuaram:

Borussia Dortmund 0x1 Bayern de Munique

Gol: Kimmich

Como as equipes iniciaram o jogo taticamente

Resultado que basicamente definiu a disputa pelo título da Bundesliga 2019/2020. Difícil imaginar que este Bayern perderá sete pontos nas seis rodadas restantes. Foi superior ao Dortmund, apesar de ver o rival dominar os dez minutos iniciais. Depois igualou a intensidade sem a bola, encaixou boas pressões na saída adversária e circulou a sua posse com mais velocidade. Mais uma partida de encaixe perfeito na parte ofensiva, sobretudo no 1º tempo. Ocupação de espaços e movimentação muito eficientes.

A ficha da partida com a nota de cada atleta ao lado do nome

Para o Dortmund pesou a imprecisão nos momentos em que dominou as ações. Esta foi a principal diferença entre os times. Enquanto o Bayern teve frieza e precisão para definir os lances que criava, como ficou nítido no gol de Kimmich, os anfitriões se precipitavam no último passe e nas finalizações. A qualidade no passe inicial dado pelos defensores dos bávaros também foi primordial para o resultado do jogo.

Bayer Leverkusen 1×4 Wolfsburg

Gols: Pongracic(2), Arnold, Steffen (Wol); Baumgartilinger (Lev)

Como as equipes iniciaram o jogo taticamente

Resultado mais surpreendente da rodada. Partida basicamente do Wolfsburg fora de casa. Conseguiu diminuir a distância de pontos para quinta colocação em uma noite que executou a estratégia traçada muito bem. Defendeu com intensidade, compactação entre os setores, e muita organização nos momentos de pressão na saída do Leverkusen. O time da casa esteve longe do belo desempenho do 2º turno da Bundesliga, em parte pelos méritos do Lobos, que abriram o placar ainda no 1º tempo.

A ficha da partida com a nota de cada atleta ao lado do nome

O Wolfsburg foi mais perigoso desde o início no contra-ataque, criou mais. Já os anfitriões tinham mais a posse, mas não conseguiam produzir uma boa circulação de bola no campo ofensivo. Lentos, inseguros com a marcação forte do rival e demorando a reagir após a perda da bola, mostrando claramente a ausência deste conceito tão bem executado em partidas recentes. Peter Bosz mexeu muito mal no Leverkusen no intervalo e o Wolfsburg foi construindo a goleada até com certa naturalidade. Havertz pouco foi acionado entre as linhas, fazendo com que o time não ganhasse profundidade.

Werder Bremen 0x0 Borussia Mönchengladbach

Como as equipes iniciaram taticamente. Plea e Thuram mudavam bastante de posição

Apesar do placar, duelo bastante movimentado no norte alemão. O Gladbach foi um pouco melhor no 1º tempo e o Bremen pressionou mais no 2º tempo. Resultado ruim para ambos. A equipe visitante ainda subiu uma posição, mas pontuou pouco contra um dos times da zona de rebaixamento. Já os anfitriões não conseguiram subir na tabela de classificação e viverão um drama nas últimas rodadas. Mesmo com o cenário, vimos um Werder Bremen muito mais competitivo, principalmente sem a bola. E mais confiante com a posse.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta ao lado do nome

O Borussia oscilou demais. Entrou em campo com novo esquema tático, e isso tirou um pouco da presença de área do time. Algumas boas jogadas até foram produzidas, principalmente a partir da produção de Neuhaus no meio-campo, mas faltou mais concentração no momento de definição dos lances. Defensivamente, passou a dar espaços no 2º tempo. Acabou não se impondo da forma esperada pela diferença de campanha que faz para o adversário. O Werder chegou mais perto de vencer no fim, mas esbarrou em Sommer e no seu próprio nervosismo.

Eintracht Frankfurt 3×3 Freiburg

Gols: André Silva, Kamada e Chandler (Ein); Grifo, Petersen e Holer (Fre)

Como as equipes iniciaram taticamente. Eintracht variando entre o 3-5-2 e o 4-4-2

Certamente um dos placares mais mentirosos desta edição da Bundesliga. Não fosse pela incapacidade do Frankfurt para converter em gols as muitas chances criadas e a grande atuação do goleiro Schwolow, o Freiburg teria saído de campo derrotado. O resultado foi péssimo para o time da casa, que não conseguiu se afastar da zona de rebaixamento. Já o Freiburg saiu no lucro e segue com tranquilidade na tabela. Foi uma partida repleta de erros defensivos e muitos erros de passe até os 30 minutos do 1º tempo.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta ao lado do nome

O Eintracht melhorou a partir dos últimos 15 minutos da 1ª etapa, principalmente acionando Kamada em profundidade e abrindo bem o campo com Kostic e Touré. André Silva e Bas Dost cansaram de perder gols. O Freiburg tentava trabalhar mais a posse, mas esbarrava na sua limitação técnica e na boa marcação dos anfitriões na saída de bola. Quando superava esse primeiro momento, porém, aproveitava o espaçamento entre os setores do adversário. Conseguiu fazer seus gols em contra-ataques, mas foi dominado a maior parte do jogo.

Red Bull Leipzig 2×2 Hertha Berlin

Gols: Klostermann e Schick(RB); Grujic e Piatek(HB)

Como as equipes iniciaram taticamente a partida. Leipzig variando entre o 3-5-2 para atacar e o 4-4-2 para defender

Partida muito movimentada e interessante em Leipzig. Bastante equilíbrio, o que evidencia o crescimento do Hertha com Bruno Labbadia, vai se afastando de qualquer ameaça de rebaixamento e ganhando posições, além de certa decepção com o Red Bull, que perdeu a oportunidade de assumir a vice-liderança do campeonato e apresentou dificuldades para criar.  O time da casa acabou jogando com um homem a menos durante boa parte da 2ª etapa e sucumbiu à pressão dos visitantes.

A ficha do jogo com a nota de cada atleta.

O Hertha abriu o placar no início do jogo, o que condicionou uma postura mais voltada aos contra-ataques. O Leipzig ficou com a posse, buscou propor, ocupou bem os espaços, circulou a bola com velocidade, mas insistiu novamente pelo meio. Marcou em escanteio e numa falha de Jarstein, e sofreu o empate no 2º tempo. O time de Labbadia vai evoluindo e pressionou bastante no fim. Outra boa atuação de Matheus Cunha.

Fortuna Dusseldorf 2×1 Schalke 04

Gols: Hennings e Karaman(FS); McKennie(Sch)

Como as equipes iniciaram taticamente. Fortuna partindo de um 4-3-3 bem específico. Karaman buscando a área, Thomy dando amplitude. Suttner preso na defesa, Zimmermann solto e Stoger armando de trás, dando liberdade a Berisha

Mais uma atuação lamentável do Schalke 04. Mesmo com orçamento muito maior e jogadores mais qualificados tecnicamente, optou por ficar muito recuado, tentando jogar em contra-ataques, mas sem muito padrão para explorar essas transições. Dependia de erros da defesa do Fortuna ou da velocidade de Matondo. Muito pouco. Acabou pressionado pelo time da casa, que tentava driblar suas limitações técnicas com boas ideias coletivas e ímpeto buscando o gol com aproximação, passes curtos e dinâmica na movimentação ofensiva.

A ficha da partida

No 2º tempo, o Schalke se soltou um pouco mais e abriu o placar em falta lateral antes dos dez minutos. O predomínio do Fortuna, porém, reapareceu na sequência e os anfitriões viraram o jogo com certa naturalidade. Ainda tiveram a chance de ampliar o marcador na sequência, se aproveitando do desespero dos ‘’Azuis Reais’’, que botaram Sané de centroavante e o goleiro Schubert foi a área tentar finalizar. O Schalke caiu para a 9ª posição e o Fortuna se aproximou do Mainz na luta contra o rebaixamento.

Hoffenheim 3×1 FC Koln

Gols: Baumgartner(2) e Zuber (Hof); Kainz (Kol)

Como as equipes iniciaram taticamente.

O meia Baumgartner foi o grande ponto de desequilíbrio e precisão na vitória do Hoffenheim sobre o FC Koln. Em termos de produção ofensiva, as duas equipes tiveram um desempenho bem parecido, mas o jovem atleta foi muito eficiente marcando dois gols e dando uma bela assistência. Ainda fez um outro gol bem anulado pelo VAR. A partida teve duas expulsões justas e que mexeram bastante com a história dos 90 minutos. Mesmo mais tempo em inferioridade numérica, o FC Koln curiosamente melhorou nesta condição e só teve seu ímpeto reduzido com o ótimo início de 2º tempo dos anfitriões.

A ficha da partida

O Hoffenheim desde o início foi o time que melhor circulou a bola. O FC Koln foi mais direto. A questão é que os visitantes conseguiam produzir mais a sua maneira, mas pecavam pela pouca eficiência ofensiva. Uth chegou a desperdiçar um pênalti quando o jogo já estava 3×1 e o Hoffenheim também tinha dez em campo. Defensivamente as duas equipes apresentaram problemas. Os anfitriões oscilaram a intensidade da abordagem de marcação e o time de Colônia pecou demais na última linha de defesa. O Hoffenheim encosta na zona de classificação para a Europa League. O FC Koln segue com distância segura da zona de rebaixamento.

Augsburg 0x0 Paderborn

Como as equipes se comportaram taticamente. Vasiliadis fazia muitas infiltrações pelo Paderborn

Duelo muito equilibrado na WWK Arena e resultado péssimo para as duas equipes. O Augsburg segue próximo da zona de rebaixamento e empatou em casa com o lanterna do campeonato. Por mais que tenha terminado o jogo pressionando e quase marcando, tem mais potencial técnico e não aproveitou o fato de jogar em seu estádio. Como costuma fazer como mandante, o time de Heikko Herlich tentou propor o jogo, mas esbarrou na lentidão da troca de passes, além da limitação criativa de seus homens de meio e ataque. Sofreu com alguns contra-ataques de um abnegado Paderborn.

A ficha do jogo com substituições, notas dos atletas e cartões

Na 2ª etapa o Paderborn resolveu sair um pouco mais de trás. Passou a ter mais a bola e, superando suas limitações técnicas, produziu algumas boas jogadas. Por outro lado, deu espaços para alguns contragolpes do Augsburn, que criou mais chances nos últimos 15 minutos. Até os 30’, o time visitante chegou a acertar a trave e obrigar o goleiro Luthe a fazer boas defesas. O empate foi justo, mas a rede poderia ter balançado com a produção dos ataques.

Union Berlin 1×1 Mainz

Gols: Ingvartsen(Uni); Baku(Mai)

Como as equipes se comportaram taticamente. Mainz com liberdade total de flutuação dos pontas para o meio

Mais um empate em que o resultado acaba sendo péssimo para as duas equipes no que diz respeito a tabela de classificação. O Mainz está apenas um ponto a frente do Fortuna Dusseldorf, que abre a zona de rebaixamento, e o Union Berlin, está quatro pontos acima da zona da degola. Se considerarmos a história do jogo, porém, lucro para os donos da casa, que tiveram Andrich expulso corretamente ainda no 1º tempo, mas criaram até um pouco mais que os visitantes. Foram eficientes nas bolas paradas através de Trimmel e nas ligações diretas buscando Andersson pelo alto.

A ficha da partida

O Mainz tentou implementar seu estilo de bola no chão e construção mais elaborada, trazendo os pontas para o meio, liberando os laterais, mas novamente ficou a impressão que rende muito mais sendo direto ou buscando os pivôs de Mateta, maneira em que produziu mais no 2º tempo. Baku fez o gol e foi uma boa opção pela direita em velocidade. O time oscilou demais na produção ofensiva e decepcionou. Não fez jus a superioridade numérica em campo. Não foi melhor, apesar de um trabalho defensivo mais eficaz. A equipe da casa também foi bem defensivamente.

LEIA MAIS: A conexão dos outros esportes com o futebol

A classificação atualizada da competição
Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Rodrigo Coutinho

Últimas Postagens

O que é a linha sustentada, conceito dominado por Tite e Mano Menezes e que fez sucesso no Corinthians
Caio Alves

O que é a linha sustentada, conceito dominado por Tite e Mano Menezes e que fez sucesso no Corinthians

0 Comentários
Atlético-MG vive seu melhor momento na temporada
Gabriel de Assis

Atlético-MG vive seu melhor momento na temporada

0 Comentários
A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol
Jonatan Cavalcante

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol

0 Comentários
Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI
Footure

Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI

0 Comentários
Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada
Caio Nascimento

Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada

0 Comentários
Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos
Caio Bitencourt

Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos

0 Comentários
O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?
Bruna Mendes

O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?

0 Comentários
O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?
Gabriel de Assis

O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?

0 Comentários
Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?
Jonatan Cavalcante

Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?

0 Comentários
God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22
Gabriel Corrêa

God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22

0 Comentários
Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado
Gabriel de Assis

Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2

0 Comentários
A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?
Caio Bitencourt

A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1

0 Comentários
O complicado início de Diego Aguirre no Internacional
Gabriel de Assis

O complicado início de Diego Aguirre no Internacional

0 Comentários