Oito jovens destaques da La Liga na temporada 2020/21

Um do Real Madrid, dois do Barcelona, dois do Sevilla, um do Eibar, um do Athletic e um da Real Sociedad; conheça os jovens que fizeram sucesso em LaLiga 20/21

A introdução de jovens jogadores é sempre muito interessante no mundo do futebol. No campeonato espanhol isso acontece com bastante frequência e de cara já temos muitos destaques com menos de 23 anos dentro da liga. Quais foram os principais jovens jogadores da temporada que acabou?

Fede Valverde, 22 anos, meio-campista do Real Madrid

Uma das peças chaves para mudar qualquer jogo do Real Madrid na temporada 2020/21, Fede Valverde tomou espaço dentro do time titular mesmo com as boas temporadas de Casemiro, Toni Kroos e Luka Modric. O uruguaio é como o 12º jogador e vem cavando sua vaga dentro dos 11 iniciais para o futuro próximo.

Quer conteúdo exclusivo, desconto nos cursos, loja futeboleira e ainda ajudar o Footure na produção de conteúdo? Faça parte do Footure Club!

Com apenas 22 anos, foi importante na adição de intensidade e energia, além de mudar a dinâmica do coletivo enquanto esteve em campo. Se o time chegou a brigar pelo título até a última rodada, o nome de Valverde deve ser mencionado como um dos motivos.

Pedri, 18 anos, meia do Barcelona

Seus 18 anos não fizeram diferença no impacto em um clube como o Barcelona, e Pedri se firmou como titular com o técnico Ronald Koeman. O espanhol mudou a estrutura ofensiva da equipe e conseguiu dar mais liberdade para seus companheiros com sua função – como Busquets, Alba e De Jong.

Em sua primeira temporada no clube blaugrana, Pedri conseguiu surpreender e se firmar na equipe titular mesmo tão jovem.

Essa liberdade não só melhorou as performances individuais como também o coletivo ficou mais preciso do que era antes, muito por conta do físico e a falta de um centroavante de ofício. Outro ponto importante foi a aliança com Messi que funcionou muito bem durante a temporada e deu um gás para o argentino se sentir mais à vontade em campo depois de toda a confusão no verão passado.

Com a lesão de Ansu Fati, Pedri conseguiu suprir o lado esquerdo muito bem e a equipe não sentiu tanta falta do jogador formado na La Masia como se imaginava. O ritmo foi muito intenso por muito tempo, e apesar da queda de rendimento nos últimos jogos da temporada – natural nessa reta final – Pedri mostrou que pode ser o presente e o futuro do Barcelona daqui em diante.

Ronald Araújo, 22 anos, zagueiro do Barcelona

Mesmo com as lesões atrapalhando seu maior desenvolvimento na temporada, Araújo é outro jogador que mostrou ser o presente e o futuro do Barcelona. Em 24 partidas jogadas, não sofreu nenhum drible e teve poucos problemas de consistência se colocarmos em conta o contexto em que está inserido.

O jovem uruguaio tem a mentalidade ideal para ser uma grande peça no clube mesmo aos 22 anos e, com isso, mudar os retrospectos recentes nesse sentido. Além de ter todas as características de combate para se tornar um zagueiro elite num futuro próximo, Araújo é mais uma adição dos jovens feita por Koeman, que além de introduzi-los na equipe titular, conseguiu desenvolver e projetar o futuro de cada um dentro do clube.

Youssef En-Nesyri, 23 anos, atacante do Sevilla

En-Nesyri viveu momentos difíceis na sua primeira temporada e não conseguiu se estabelecer como o centroavante do Sevilla logo de cara. Mas aos 23 anos, fez uma 2020/21 brilhante e terminou entre os cinco artilheiros da La Liga com 18 gols. O marroquino jogou as 38 rodadas do campeonato espanhol e foi o responsável pela ótima pontaria do time de Lopetegui que passou a depender menos da ótima fase individual da equipe titular. Com isso, a equipe teve uma campanha bem parecida com a temporada passada, porém, com o jogador marcando gols que garantiram esses pontos diretamente, venceu mais – na atual foram 24 em 38 jogos, enquanto na 19/20 venceu apenas 19.

A evolução foi nítida e a presença do jogador dentro da área foi fundamental para o Sevilla trabalhar em jogadas sabendo que ele resolveria por lá. Lopetegui finalmente consegue seu centroavante artilheiro que garante pontos preciosos, e tende a conseguir maior flexibilidade nas suas ideias por conta disso.

Do top 5 artilheiros da La Liga, Em-Nesyri tem a segunda melhor % em conversão de gols, é o que menos finaliza no gol e não tem nenhum pênalti cobrado para aprimorar estatística. (SofaScore)

Bryan Gil, 20 anos, extremo do Eibar/Sevilla

Um dos melhores jogadores em criar passes para finalização na liga, Bryan Gil tem apenas 20 anos e segue sendo consistente e regular, mesmo passando por empréstimos em equipes que foram rebaixadas nas últimas duas temporadas – Leganés e Eibar. O canhoto ganhou muita experiência na equipe anterior e foi mais participativo e influente no segundo empréstimo.

O drible e o passe são as características mais dominantes e seu futuro pode ser atraente. Pensando na falta de jogadores com essa característica, seria interessante ser inserido de vez no Sevilla de Julen Lopetegui. Além de ter um contexto mais tranquilo em relação ao elenco, também tem ao lado companheiros tecnicamente acima e que poderiam potencializar ainda mais o que Bryan Gil pode oferecer, e assim, definir de vez o que é preciso evoluir estando num cenário de alto nível.

Jules Koundé, 22 anos, zagueiro do Sevilla

Depois de ser colocado no radar dos gigantes europeus por conta da última temporada e seu grandíssimo potencial, Koundé manteve os bons rendimentos como zagueiro e foi peça importante para a defesa do Sevilla terminar como a terceira melhor do campeonato. O francês cumpriu com tudo que suas características prometem e não se deixou abalar pelo hype e interesse de outros clubes.

Convocado para jogar a Euro com a França, Koundé vem se consolidando como um dos melhores zagueiros do mundo.

Sua função é fundamental para Lopetegui não só na defesa, mas também na saída de bola e progressão ao ataque – com uma média de 62.4 passes por partida o zagueiro teve a melhor precisão de passes (90%) do time na temporada da La Liga. Apesar da altura, é um dos melhores da liga em cortes e segue sendo um especialista em ler o adversário muito bem, facilitando as interceptações e tomando a frente para iniciar os ataques em transições rápidas, situação que se tornou um ponto forte do Sevilla nessa temporada.

Oihan Sancet, 21 anos, meio-campista do Athletic Club

Em seu segundo ano no time principal do Athletic, Oihan Sancet teve muito destaque na segunda parte da temporada e conseguiu o tempo de jogo necessário para demonstrar seu talento em campo. Com uma média de 44 minutos por partida, o meia teve uma crescente na reta final e chamou a atenção de Marcelino, que buscava novas peças para recuperar o nível do Athletic – que teve uma queda considerável em março em diante. Com apenas 21 anos, Sancet tem um físico que o privilegia e o biotipo tem tudo para ajudá-lo na progressão, já que a energia e folego é algo fundamental para jogar em alto nível.

Em poucos toques consegue criar chances e o teto é altíssimo. O drible e a capacidade de controlar a bola em velocidade é o diferencial, sendo um ótimo box-to-box em ataques rápidos – fator importante para Marcelino que no 4-4-2 precisa de um meia alto, rápido e com drible para superar o adversário em transição.

Além disso, o jovem espanhol mostrou bons retrospectos na fase defensiva com bom senso de antecipação para fornecer interceptações e também a personalidade de se colocar sempre como uma opção de passe para seus companheiros.

Alexander Isak, 21 anos, atacante da Real Sociedad

Citado no início da temporada como um dos jogadores para ficar de olho na La Liga 2020/21, Isak terminou como artilheiro da Real e também o jogador com mais participações em gol (19) – empatado com Oyazarbal.

Com 17 gols marcados, Isak superou Ibrahimovic e agora é o jogador sueco com mais gols numa temporada de La Liga na história.

Sem Willian José, o sueco conseguiu tomar conta da posição, comandou o ataque muito bem e sustentou a pressão da titularidade com apenas 21 anos. A evolução técnica é clara e trouxe ainda mais diversidade para a equipe de Imanol Alguacil que já tinha talento e propriedade suficiente para lidar com um centroavante que tem uma maior movimentação fora da área, mas sem perder poderio dentro dela.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

Florian Wirtz: referência técnica do Leverkusen aos 18 anos
Gabriel Belo

Florian Wirtz: referência técnica do Leverkusen aos 18 anos

0 Comentários
Real Sociedad e Real Betis na Europa League: é possível sonhar
Bruna Mendes

Real Sociedad e Real Betis na Europa League: é possível sonhar

0 Comentários
Diego Costa chega chegando e empolga ao lado de Hulk
Gabriel de Assis

Diego Costa chega chegando e empolga ao lado de Hulk

0 Comentários
Conor Gallagher e a busca por protagonismo no Palace
Gabriel Belo

Conor Gallagher e a busca por protagonismo no Palace

0 Comentários
Youth League retorna em 2021/22 com estrelas brilhando
Caio Nascimento

Youth League retorna em 2021/22 com estrelas brilhando

0 Comentários
Lazio: de que forma o Sarrismo pode funcionar na capital?
Caio Bitencourt

Lazio: de que forma o Sarrismo pode funcionar na capital?

0 Comentários
O ótimo começo de Carlos Soler na temporada do Valencia
Bruna Mendes

O ótimo começo de Carlos Soler na temporada do Valencia

0 Comentários
Marcão, André e o Fluminense de volta a briga por Libertadores
Gabriel de Assis

Marcão, André e o Fluminense de volta a briga por Libertadores

0 Comentários
Friendly #6 | A Copa de 2 em 2 anos, FIFA x UEFA, clubes x seleções e mudanças na análise mainstream
Eduardo Dias

Friendly #6 | A Copa de 2 em 2 anos, FIFA x UEFA, clubes x seleções e mudanças na análise mainstream

0 Comentários
O holandês que ajudou a transformar a carreira de Cristiano Ronaldo
Lucas Filus

O holandês que ajudou a transformar a carreira de Cristiano Ronaldo

0 Comentários
Sport: defesa sólida ou percepção quantitativa?
Jonatan Cavalcante

Sport: defesa sólida ou percepção quantitativa?

0 Comentários
O domínio do País Basco na cantera espanhola
Caio Nascimento

O domínio do País Basco na cantera espanhola

0 Comentários
Moise Kean: de volta para o futuro bianconero
Caio Bitencourt

Moise Kean: de volta para o futuro bianconero

0 Comentários
A mudança no perfil de contratações do Internacional
Douglas Batista

A mudança no perfil de contratações do Internacional

0 Comentários
O turno surpreendente do Cuiabá no Brasileirão
Gabriel de Assis

O turno surpreendente do Cuiabá no Brasileirão

0 Comentários