Conheça a Ida, empresa que produz chuteiras para mulheres

Voltada para o público feminino, a empresa Ida deve começar a ganhar o mercado

Mulheres sempre tiveram dificuldade para encontrar material esportivo de futebol compatível com suas necessidades, mesmo com o crescimento da modalidade em número de praticantes, visibilidade e investimento.A grande maioria das chuteiras são modelos masculinos adaptados de um jeito bem explicado pela expressão “shrink it and pink it” (encolha e pinte de rosa, em tradução livre). Muitas mulheres, por terem pés menores, precisam usar modelos infantis e não contam com a possibilidade de usar equipamentos profissionais.

Além de afetar a performance e a auto-estima, calçados que não são apropriados para os pés femininos acabam aumentando o risco de determinadas lesões, principalmente do ligamento cruzado anterior.

Mas esse jogo começou a virar com a marca Ida Sports, criada pela australiana Laura Youngson (34), que produz modelos concebidos exclusivamente para pés femininos.

Laura, que é atleta amadora e também fundadora da iniciativa Equal Playing Field, com objetivo de combater a desigualdade de gênero no esporte, teve a ideia de criar a marca durante um evento da organização, em 2017. A ocasião foi uma partida de futebol no topo do monte Kilimanjaro, para registrar no Guinness Book o recorde de disputa em maior altitude, e durante o jogo percebeu que muitas mulheres sofriam em campo pela falta de opções de calçados apropriados no mercado. 

Acostumada a jogar usando modelos infantis, Laura acabou conhecendo Ben Sandhu em uma liga amadora de futsal australiana. Juntos, reuniram uma equipe de profissionais do esporte e da produção de calçados que viria a fazer as “chuteiras perfeitas para mulheres”.

Os primeiros protótipos foram criados na própria cozinha de Laura, em Melbourne, mas após muita tentativa e erro, ciência e dedicação, a marca conseguiu chegar em um modelo perfeitamente adaptado à anatomia feminina. A prova de fogo viria em novo evento da Equal Playing Field, dessa vez para bater o recorde de partida em menor altitude, no Mar Morto, Jordânia.

Após o jogo, que contou com presença de atletas amadoras e profissionais, veio o veredito: “a chuteira mais confortável que já haviam usado”.

Além das chuteiras para futebol, a marca produz ainda tênis para futsal, também desenhados exclusivamente para mulheres.

O próximo passo da marca será o lançamento do produto na Europa, e seu desejo é que jogadoras da liga inglesa, que hoje é a competição nacional de maior prestígio no mundo, possam usar.

Ida

Em recente entrevista para o site The Athletic, Laura conjecturou o futuro: “nós entendemos que podemos ser totalmente esmagados (pelas grandes marcas) mas eu quero que as chuteiras para mulheres estejam em todos os lugares, que todo mundo esteja fabricando elas e assim as pessoas tenham opções”.

Os modelos já estão à venda no site da marca: https://www.idasports.co/

O que significa Ida?

Segundo a criadora, Ida significa muitas coisas, em alemão é um nome que significa “trabalho”, o que reflete a perseverança das atletas em campo.

Além disso, ainda segundo ela, várias mulheres que são grandes exemplos se chamam Ida, desde Ida B. Wells, ícone dos movimentos civis, até Ida Presti, talentosa violonista do século XX.

Crédito das imagens: Divulgação/Ida

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar
Aurelio Solano

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar

0 Comentários
Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários