A adaptação de Jude Bellingham ao Borussia Dortmund e ao futebol alemão

Como têm sido os primeiros jogos de Jude Bellingham em seu novo clube

Adaptação na vida é sempre difícil, o medo do desconhecido faz com que tenhamos receios e evitemos atitudes ousadas por não saber como as coisas irão reagir em um novo cenário. Bom, não foi o caso de Jude Bellingham. O jovem inglês de apenas 17 anos — e que disputou a ultima Championship pelo Birmingham City (seu clube formador) — chegou com tudo em Dortmund. As atuações consistentes do atleta, mesmo diante de um salto de competitividade tão grande da 2ª divisão da Inglaterra para um clube top 15 do mundo, já lhe renderam até convocação pra seleção inglesa principal.

O técnico do Borussia Dortmund, Lucien Favre, iniciou a temporada de 2020/2021 com a mesma formação e padrões que havia utilizado na anterior, um 3-4-3 que contava com os dois alas muito espetados, dando profundidade pelos lados e abrindo o campo para que o trio de ataque pudesse se movimentar com mais espaço entre as linhas do adversário. Tudo isso tendo dois volantes construtores dando suporte por trás, somados a um trio de zaga que dava segurança para eventuais contra-ataques.

Bellingham Borussia Dortmund Formation Formação Favre

Nesse sistema, adaptava sua saída de bola de acordo com o número de adversários, pressionando-a. Normalmente com três rivais em cima dos zagueiros, posicionava a dupla de volantes atrás dos adversários e formava uma saída em 3+2, com os dois alas muito abertos e os meias se movimentando nas costas dos volantes para criarem linhas de passe e já receberem prontos para atacar a linha defensiva rival.

Neste momento entra o jovem Bellingham. No esquema montado por Favre, Jude se posiciona às costas da pressão, já pronto pra receber e girar, quebrando a marcação e buscando progredir com a bola dominada ou acionando algum dos alas pelo flanco. O meio-campista teve uma ótima produção atuando dessa forma.

Seu bom controle orientado facilita a quebra dessa marcação, bem como seu 1º toque refinado na bola. Não se trata de um jogador que busca fazer lançamentos e inversões longas, prefere fazer o trabalho de “formiguinha”, carregando a bola até seus companheiros e, em seguida, ler e ocupar os espaços a fim de criar novas linhas de passe. É muito acima da média nesse sentido, possui grande QI no que se refere a ocupação dos espaços e infiltrações entre as linhas adversárias.

Além disso, possui outra característica subestimada no futebol, que é o controle de rebotes, tanto em situações de ataque para poder manter o time estabelecido no campo rival, como em bolas paradas, para que possa pegar a defesa adversária saindo e encontrando opções livres, entrando de frente.

É um jogador longilíneo, sua boa estatura (1,86m), aliada ao excelente tempo de bola e a boa leitura de rebotes o tornam um jogador interessante que pode executar diversas tarefas.

Image for post
Assistência para o gol de Haalanda na Champions League

Bellingham tem um ótimo drible curto e soluções em espaço reduzidos, apesar de não ter se mostrado um bom tomador de decisões no terço final do campo. Assim como o passe em profundidade, recurso que já demonstrou possuir, porém, parece ter sido pouco estimulado a tentar.

Sem a bola, também é muito efetivo, possui ótima leitura para saltar pressões e se destaca, sobretudo, desarmando. Não à toa, lidera a equipe do Borussia Dortmund nesse quesito, na Bundesliga, e é o 12º da liga com mais desarmes per 90′. Não é tão efetivo fechando linhas de passe, sendo este um dos defeitos de seu jogo, porém, pela idade, é compreensível e esperado que agregue isso ao seu arsenal num futuro próximo.

Image for post
Mínimo de 4 jogos (Fonte: Sofascore)

A parte física do atleta é fora do comum. Mesmo com a pouca idade — e estando numa fase de maturação e mudanças fisiológicas —, consegue ter uma estrutura corporal que o ajuda a competir nesse nível. Há muito espaço para ganho de massa muscular e isso será importante, visto que é um jogador muito combativo por características e, que apesar dos alto número de desarmes, perde bastante duelos pelo chão. Os membros longilíneos facilitam na troca de direção, o que é importante para um jogador cuja principal característica hoje é a infiltração.

Mentalmente, se mostrou um jogador muito resiliente, vide exemplo a partida contra a Lazio. Nesse dia, Jude fazia sua estreia na Champions League, em um confronto fora de casa, contra um adversário difícil, e logo no começo do jogo acabou cometendo um erro junto ao seu companheiro Meunier — o que levou a Lazio a abrir o placar. Porém, mesmo com o erro, se recuperou dentro da partida e terminou o 1º tempo fazendo uma boa atuação. No 2º tempo, acabou sendo substituído, ficou de fora no clássico contra o maior rival Schalke e voltou no jogo seguinte contra o Zenit, outra partida importante pela UCL, ocasião em que deu uma assistência que garantiu a vitória. Na partida contra o Arminia Bielefeld, na rodada seguinte, foi titular jogando os 90′ e fez a sua exibição mais solida até o momento.

Jude Bellingham e sua atuação frente ao Arminia Bielefeld

Após o jogo contra a Lazio, Favre decidiu alterar seu esquema de um 343 para um 4231. A função de Jude e seu parceiro pouco mudou, ganhou um pouco mais de responsabilidades defensivas devido à quantidade de jogadores atrás da linha da bola, porém, na fase ofensiva, permanece muito similar. Deixarei essas mudanças para tratar em um próximo texto.

Bellingham ainda está se consolidando dentro da equipe. Atuar ao lado de caras como Axel Witsel facilita muito, pois se trata de um líder técnico e de grupo com muita experiência. A sua polivalência dos tempos de Birmingham também lhe rendeu minutos jogando aberto pela direita, quando chegou a dar uma assistência no jogo frente ao Zenit.

Por fim, e aos poucos, Bellingham vai conquistando seu espaço dentro do time titular, a concorrência é pesada, visto que tem jogadores excelentes e da confiança do treinador, porém talento e potencial, o atleta tem de sobra para assumir essa vaga, não só no Borussia, mas também no English Team.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar
Aurelio Solano

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar

0 Comentários
Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários