As mudanças de Corinthians e Palmeiras para o retorno do Brasileirão Feminino Série A1

Entre problemas de falta de ritmo, jogadoras que testaram positivo para a Covid-19, clubes que ainda não retomaram as atividades por problemas de estrutura e outros que sofreram profundamente com o impacto financeiro causado pela crise, temos o mercado da bola no futebol feminino

Suspenso desde 16 de março, ainda na 5ª rodada, o retorno do Brasileirão Feminino Série A1 está marcado para 26 de agosto. Inclusive, faltam 3 jogos para se completar a rodada: Internacional x Flamengo Marinha, Santos x Audax e Corinthians x Ferroviária.

No início da temporada, Bia Zaneratto acertou com o Palmeiras por empréstimo, assim como Millene retornou ao Corinthians antes mesmo de estrear por seu novo time na China. A ideia era manter o ritmo enquanto a crise da COVID-19 era superada no país. As duas jogadoras foram muito celebradas pelos torcedores de suas equipes. Bia por ser uma das principais jogadoras da Seleção Brasileira, e Millene por tudo o que já entregou com a camisa do Corinthians.

O retorno das atividades esportivas na China fizeram com que Bia e Millene se despedissem do Brasil. Além delas, Taty Amaro, goleira do Corinthians, se transferiu para a Dinamarca por empréstimo. 

Porém, não é só de saídas que vive o mercado da bola. Nessa terça-feira (4), o Corinthians anunciou o retorno de Yasmim Ribeiro, lateral campeã brasileira e da Libertadores com a equipe do Parque São Jorge. Após se destacar no clube alvinegro em 2017 e 2018, Yasmim foi transferida para o Benfica de Portugal, mas anunciou o fim do contrato há cerca de 2 meses.

Qual a influência dessas transferências para Corinthians e Palmeiras? 

O Palmeiras teve sua equipe reativada na temporada passada, quando disputou a Série A2 e garantiu vaga na elite do futebol feminino no Brasil. Estreando entre as equipes mais fortes, oscilou boas e más apresentações, e os melhores resultados foram conquistados em jogos onde Bia Zaneratto assumiu o protagonismo.

Foram cinco rodadas até aqui para o clube alviverde, totalizando três vitórias e duas derrotas. Carla Nunes é o destaque do time. Dona da camisa 10, a craque palmeirense é a artilheira da competição, mas também teve seu jogo potencializado por Bia Zaneratto

(Foto: Rebeca Reis/Palmeiras)

Enquanto sem a atacante em campo, Carla se sobrecarregava, a potência de Bia otimizou todo o ataque palmeirense. A partir de sua força física, permitia ao Palmeiras se desafogar no passe longo contando com sua alta capacidade de não só ganhar a primeira bola como manter o controle da posse. Podendo atuar na referência, se movimentando, ou como uma segunda atacante, Bia vai muito bem gerando espaços e atacando a última linha, acionando suas companheiras e aparecendo para finalizar. 

Contra o São Paulo na última rodada, a atacante da Seleção Brasileira comandou o Palmeiras na vitória de virada por 2 a 1, marcando o gol de empate e criando as principais chances do time em busca da vitória. No triunfo diante do Cruzeiro fora de casa, Bia marcou um gol, deu duas assistências e somou oito passes decisivos na partida.

Bia Zaneratto pelo Palmeiras

2 jogos, 2 gols, 2 assistências, 7 finalizações, 6 finalizações no gol, 5 passes decisivos e 12 dribles completados

Zaneratto esteve em duas das três vitórias do Palmeiras no Brasileirão, sendo o jogo em que esteve ausente, uma vitória tranquila contra um dos times mais fracos da competição. Sem desespero para o torcedor, apesar de perder uma das jogadoras mais influentes nos trâmites ofensivos da equipe, Otilla — que ano passado defendia a camisa do São Paulo — tem características muito interessantes e similares, com margem para evolução técnica.

Do outro lado do Derbi Paulista, o que muda para o Corinthians sem Taty Amaro e Millene e com a volta de Yasmim?

Taty Amaro é a terceira goleira do Corinthians. Enquanto Arthur Elias utiliza bastante Lelê (titular) e Tainá (segunda opção), Taty atuava em raríssimas ocasiões. A ida por empréstimo acaba sendo bom para as duas partes. 

Lelê, a goleira titular, é uma das mais completas do Brasil. Presente com frequência na Seleção Brasileira, tem uma capacidade acima da média de jogar com os pés. A saída de 3 utilizada pelo Arthur Elias no Corinthians passa bastante por essa habilidade, além de ser muito segura embaixo das traves. Tainá, a reserva, entrega até mais que Lelê em diversos fundamentos. Bom tempo de bola, movimento rápido de antecipação, tempo de reação e muita habilidade para defender são algumas de suas qualidades.

Millene, a maior artilheira da história do Brasileirão

Um dos principais nomes do futebol brasileiro em 2019, Millene faria falta a qualquer clube. Seu encaixe perfeito no sistema do Arthur Elias deixa uma carência no elenco. O Corinthians iniciou a temporada já sabendo que não poderia contar com a artilheira no time, e apesar de três vitórias em quatro jogos, ainda tentava se reorganizar sem a lendária camisa 14. 

Na formatação base, o Corinthians atua no 4-4-2 tendo Millene e Victória Albuquerque à frente. Desde já, ela se fazia tão importante com uma percepção dos espaços acima da média. Sua movimentação e leitura do adversário era fundamental pra equipe limitar as possibilidades de saída de jogo rival, fechando como poucas as linhas de passe da portadora da bola, permitindo pouquíssimas possibilidades de ações, que eram controladas por suas companheiras.

Com a bola, o time conta com muita mobilização do ataque, troca de posição das jogadoras, passes rápidos e inversões que criam espaços na defesa, e ninguém se aproveita disso melhor que Millene Fernandes

(Bruno Teixeira/Agência Corinthians)

Foi atacando os espaços que a artilheira anotou a maioria de seus gols — e foram muitos. Com a camisa do Corinthians, Millene atuou em 77 jogos, marcando 45 gols assinalando 18 assistências. Uma máquina de criar oportunidades.

Millene pelo Corinthians

77 jogos, 45 gols, 18 assistências, 2.5 finalizações por jogo, 1.4 finalizações certas por jogo, 1.5 passes decisivos por jogo e 3.1 dribles completados por jogo

Antes de anunciar seu retorno por empréstimo, o Corinthians recebia de volta Adriana. Um dos vários grandes nomes da equipe. A atacante alvinegra iria inclusive para a última copa do mundo, mas uma lesão a afastou dos gramados por toda a temporada. Gabi Nunes também ficou todo o segundo semestre no departamento médico e já deve voltar em condição de jogo. Por características, Gabi Nunes é quem melhor emularia Millene, mas Adriana tem potencial para ser também protagonista na seleção brasileira.

Dito isso, o Corinthians talvez ainda demore a acostumar seu jogo sem a camisa 14, mas tem peças no elenco que entregam o mesmo nível técnico da artilheira.

O retorno de Yasmim

Quando perdeu Yasmim ao fim da temporada de 2018, o Corinthians foi ao mercado em busca de uma lateral que gerasse jogo de maneira parecida. Juliete assumiu a posição e foi um dos destaques da campanha histórica do Corinthians em 2019, inclusive marcando gols importantíssimos como na final da Libertadores da América. 

Defensivamente, Juliete sofre para recompor em transição, e conta o árduo trabalho de Katiuscia, lateral direita, que se se posiciona próxima as zagueira e compacta o campo para travar o ataque adversário. Acima da média fazendo o famoso balanço defensivo. 

Essa limitação não compromete o time, que se ajusta para fazer as compensações, mas o início de temporada da Juliete não foi muito bom, fazendo com que o Arthur Elias recuasse a Tamires para a lateral em diversos momentos.

Yasmim, com apenas 23 anos, oferece maior equilíbrio as fases de jogo do Corinthians, apesar de ser menos goleadora. Sua participação em gols é impulsionada a partir de seu forte desempenho em criar chances, anotando assistências com frequência. 

(Bruno Teixeira/Agência Corinthians)

Em 2018, a então lateral esquerda titular do Corinthians atuou em 39 partidas e participou diretamente de 10 gols, totalizando um tento e nove assistências. Defensivamente, terminou a temporada com uma média de 13.2 ações defensivas corretas por jogo.

É importante pontuar que embora seja pela esquerda que a Yasmim entregue seu melhor futebol, sua versatilidade a permite jogar pelos dois lados do campo, permitindo mais de uma opção ao treinador.

Os desafios das duas equipes

Para o Palmeiras, o desafio será encontrar a melhor maneira de permitir que Carla Nunes siga protagonizando no ataque mesmo sem ser potencializada pela Bia Zaneratto. Para o Corinthians, se readaptar com novos nomes que oferecem a mesma qualidade técnica, mas com características distintas.

O Palmeiras reiniciará o campeonato contra a Ponte Preta fora de casa. O confronto será válido pela 5ª rodada do Brasileirão. Com 9 pontos em 15 disputados, a equipe ocupa a 4º colocação na tabela — que leva para a fase de mata-mata os 8 melhores times dessa primeira fase.

O Corinthians somou os mesmos 9 pontos do Palmeiras mas em 12 disputados. O retorno será ainda pela 4ª rodada — que foi interrompida pela pandemia — no dia 26 de agosto. Incomodado na 5ª colocação, a equipe enfrentará a Ferroviária almejando frear o rival que tem 100% de aproveitamento na competição e igualar o número de pontos.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Giselle Andreolla

Últimas Postagens

Início animador do Brasileirão Sub-17
Caio Nascimento

Início animador do Brasileirão Sub-17

0 Comentários
Como Vlahovic virou um artilheiro de muitos gols na Fiorentina
Caio Bitencourt

Como Vlahovic virou um artilheiro de muitos gols na Fiorentina

0 Comentários
Depressão: a inimiga invisível do futebol
Fernanda Lima

Depressão: a inimiga invisível do futebol

0 Comentários
Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários