Igli Tare e Simone Inzaghi: cérebro e mãos da Lazio

Gastando pouco mais de €20 milhões nas últimas cinco temporadas, a Lazio retorna a disputa da Liga dos Campeões sob o comando de Simone Inzaghi e Igli Tare nos bastidores

Igli Tare, de nome assim você não irá lembrar, mas foi centroavante da Lazio e de poucos gols. Em 46 jogos pela Serie A, teve apenas 5 gols marcados e muito mais respeito pela luta do que futebol jogado. Hoje ele é um dos homens fortes dos Laziali, responsável pelas contratações como diretor de futebol desde a temporada 08-09. Pegou um clube de meio de tabela, costumeiramente, mesmo que uma temporada antes Delio Rossi tenha colocado o clube em um terceiro lugar.

Agora com Simone Inzaghi no comando desde 2016, a Lazio briga por vagas na Europa e títulos italianos. Mesmo não conseguindo abalar o Scudetto juventino, são duas Coppas Italia e uma Supercopa. Com um clube que é tradicional, mas não grande, é muita coisa em quatro temporadas. E por isso que os trabalhos são acima da média.

Mas é bom lembrar: Simone Inzaghi no comando é fruto de uma divergência entre Marcelo Bielsa e a diretiva da Lazio. Mesmo com as quatro vitórias em sete jogos, o argentino era o plano A de Lotito que transferiria Inzaghi para a Salernitana. Tudo mudou logo que Lotito não contratou os seis jogadores de Bielsa. Passou muito tempo, os trabalhos se fundiram e hoje um não vive sem o outro.

Claudio Lotito, presidente da Lazio, é visto pelos torcedores como o “Ladrão de Sonhos” em protestos. Lotito pegou um clube com dívida fiscal de €140 milhões, acumulada na gestão de Sergio Cragnotti e a empresa Círio. Sergio foi preso a época e a empresa, que era dona de 50,9% da Lazio, quebrou. Deixando o clube em obrigação de austeridade.

A Lazio tem uma política de transferências muito sustentável em um país que não chegou o dinheiro da La Liga ou Premier League. Tare trabalha no mercado com a margem de erro menor possível. A Lazio tem a sexta folha da Serie A italiana, gastando €72 milhões por ano. É um valor baixo fazendo a comparação com a Juventus, octacampeã e sempre uma das favoritas a Champions League, €294 milhões. Do limão a limonada.

Da temporada 15-16 até 19-20 não gastou mais de €20 milhões em nenhum jogador. O que mais se aproximou da cifra foi Sergej Milinkovic-Savic que, na época, era um prodígio e que já assumiu o posto de craque e titular do time em menos de uma temporada. Immobile, hoje artilheiro da Serie A com 30 gols em 33 jogos, chegou depois de um flop no Sevilla por €9 milhões. Sete dos onze titulares custaram menos de €10 milhões.

Dentro de campo a Lazio melhora de acordo com os anos. Não espere um time inovador, pressão alta e mirabolantes saídas de bola. Simone Inzaghi não abre a mão do seu 3-5-2 em bloco baixo, ganhos de segunda bola e jogo direto. Luis Alberto, outrora flop em um Liverpool que carecia de boas ideias, duela com Papu Gomez pela liderança de assistências. O espanhol tem 15 contra 16 do argentino. É uma força criativa no ataque, junto com Joaquin Correa, outro flop que foi pescado na La Liga e hoje brilha na Serie A com o contexto e trabalho. Tudo isso para potencializar Immobile, que hoje é o melhor atacante da Serie A.

Por outro lado, a Lazio tem uma das piores defesas no big 6: são 37 gols sofridos em 34 jogos. Se em temporadas passadas com de Vrij e Bastos sofria menos gols, com a adaptação de Vavro e a inconstância de Luiz Felipe, é um problema. Mesmo que as alas tenham melhorado, principalmente, com Lazzari que chega da SPAL.

A celeste de Roma irá jogar a fase de grupos na Champions League na próxima edição, o que não acontece desde 2007. Essa temporada será a do “e se?” a Lazio vinha antes da parada brigando ponto a ponto com a Juventus. A parada pela pandemia foi um freio no sonho da Capital que não ganha um título desde 01-02 com a Roma, um ano antes a Lazio tinha levado título com um Juan Sebastián Verón, Nedved, Mihajlovic, Simeone e o próprio Simone Inzaghi. O título não virá, mas a chave virou.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Mairon Rodrigues

Últimas Postagens

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou
Caio Nascimento

Power in Motion: o projeto de restabelecimento do Dínamo de Moscou

0 Comentários
Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League
Bruna Mendes

Em sua primeira final europeia da história, o Villarreal desbanca o Arsenal nas semis da Europa League

0 Comentários
A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola
Lucas Filus

A coerência no Chelsea de Thomas Tuchel e no City de Pep Guardiola

0 Comentários
O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?
Dimitri Barcellos

O que fez Darío Sarmiento chamar a atenção do Manchester City?

0 Comentários
Paul Pogba pode ser o primeiro ‘reforço’ do United para a próxima temporada
Lucas Filus

Paul Pogba pode ser o primeiro 'reforço’ do United para a próxima temporada

0 Comentários
A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir
Caio Nascimento

A vez da geração 2004: conheça Matheus Nascimento, Cowell, Sesko e Demir

0 Comentários
Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari
Caio Bitencourt

Por que João Pedro é a tábua de salvação para o Cagliari

0 Comentários
Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol
Caio Alves

Biotipo, velocidade de raciocínio e tomada de decisão: o que é a intensidade no futebol

0 Comentários
Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube
Caio Nascimento

Knappenschmiede: a histórica forja do Schalke 04 em meio a turbulência existencial do clube

0 Comentários
Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete
Bruna Mendes

Campeão da Copa do Rei, Barcelona domina o Athletic e busca o doblete

0 Comentários
O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?
Jonatan Cavalcante

O que a contratação de Alexandre Gallo pode aportar ao Santa Cruz?

0 Comentários
4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021
Dimitri Barcellos

4 histórias para se observar na fase de grupos da Libertadores 2021

0 Comentários
Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense
Gabriel Corrêa

Raúl Bobadilla e Abel Hernández: conheça os novos centroavantes do Fluminense

0 Comentários
Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira
Caio Nascimento

Kayky, Galarza, Nestor, Kaiky, Rodrigo Varanda e o semestre animador dos garotos da base brasileira

0 Comentários
As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)
Caio Bitencourt

As transições da Inter que as deixam na cara do gol (e do Scudetto)

0 Comentários