O mês de gala de Bruno Fernandes no Manchester United

No centro da melhor fase dos red devils na temporada, Bruno Fernandes está impactando visivelmente em vários fatores.

30 de janeiro de 2020: Bruno Fernandes é anunciado pelo Manchester United.

06 de março de 2020: Bruno Fernandes é nomeado como candidato ao prêmio de Player of the Month da Premier League.


Isso sem contar as ótimas performances pela Europa League e FA Cup.


Em pouco mais de um mês, o jogador contratado junto ao Sporting por uma quantia inicial de £47 milhões – podendo chegar a £67 – afastou toda a possibilidade de um período de adaptação instável e é o novo queridinho dos red devils. E de toda a mídia local. É raro ver um reforço que havia se envolvido em tanta novela nas janelas de transferência chegando e, além de impactar espetacularmente em campo, agradar a todos.

Antigos ídolos do clube o enchem de elogios a cada partida. Para Paul Scholes, “ele trouxe vida para um time morto no ataque. Ele fez de um time que não era tão ‘assistível’ se tornar em muito assistível”. O fato é que os comandados de Ole Gunnar Solskjaer, apesar de passarem por um processo de transição e construção, tiveram várias performances pouco empolgantes. E aos olhos de quem quer se entreter por 90 minutos isso não soava tão bem.

Após o desembarque de Bruno, praticamente todos os jogos foram gratificantes do ponto de vista do resultado E do desempenho. A vontade dos fãs em acompanhar a equipe toda quinta e domingo aumentou consideravelmente nas últimas semanas. Perguntado sobre quais aspectos chamaram a sua atenção, o ex-meia inglês disse que “até o momento, tudo. A criatividade, a consciência em campo. Antes da bola chegar ele sabe o que está acontecendo. Normalmente ele escolhe o passe certo. Ele é sensacional.”

A forma que o camisa 18 ativa seus companheiros com agilidade, propósito e qualidade realmente impressiona. As melhores atuações do United em termos de construção ofensiva aconteceram com ele sendo o coração das triangulações – essas que, se anteriormente pouco existiam, agora são frequentes. “Ele parece um talento especial, alguém que pode ser um herói para os torcedores também. Você olha para seus Cantonas, seus Wayne Rooneys, são pessoas idolatradas pelos fãs, e você espera que ele no futuro possa ser tão bom quanto eles.”

É cedo para traçar comparações descabidas, mas uma coisa é real: independente do barulho externo, Fernandes vai render dentro das quatro linhas. Sua personalidade é uma das forças mais valiosas para um elenco que está sendo desenvolvido baseado em princípios de liderança, confiança e trabalho firme e incessante.

O português sempre teve uma postura agressiva, seja em ações diretas ou indiretas. Com a bola, busca carregar a equipe frente a todo momento. Sem ela, marca com intensidade e às vezes até inicia a pressão alta; e faz movimentos incisivos até a área, oferecendo opção de passe e incomodando a linha defensiva a todo momento. Quando a jogada não passa por ele, está distribuindo instruções e motivando o conjunto.

Bruno Fernandes foi elogiado por ex-jogadores

Scholes ainda lembrou que “as vezes é preciso de apenas um jogador para um time fluir e ele parece esse jogador. Sabíamos que tinham bons jogadores ali, mas não jogadores brilhantes. E eu acredito que esse jogador vai fazer os jogadores ao seu redor parecerem melhores”. Dito e feito. Também pelo retorno de Scott McTominay, atletas que não vinham de rendimento positivo atingiram um nível superior.

É muita categoria, produtividade e coração. E por isso todo o encantamento com Bruno Fernandes em Old Trafford é extremamente compreensível. Não podemos continuar cobrando a (quase) perfeição, mas ao contrário de outras contratações, a impressão é de que ele não vai se afetar.

Sua mente está focada em fazer o melhor para o Manchester United e, como Solskjaer ressaltou, “ele não vai decepcionar ninguém. Decepcionar o time é a mesma coisa que decepcioná-lo. Ele quer vencer e ele sabe que vencemos juntos, todos desempenham um papel importante. Ele tem sido um combustível”. Dos grandes.

Uma parceria que está fazendo sucesso (Foto: Reprodução/Manchester United)

O projeto ainda precisa de ajustes e, certamente, contratações. O grande acerto do clube sob o comando de OGS veio justamente no mercado, com compras pontuais e certeiras, reduzindo o risco de fracasso que assolou a instituição desde a aposentadoria de Sir Alex Ferguson. O trabalho de scouting claramente está mais profundo e minucioso, e alguns frutos já estão sendo colhidos. A missão agora é seguir nessa linha.

Vencedores como Bruno Fernandes estarão preparados para levar o clube ao patamar que ocupavam nos tempos de glória.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Últimas Postagens

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar
Aurelio Solano

O caminho da Seleção, as mudanças de Tite e um norte para o Catar

0 Comentários
Cinco promessas africanas na base de clubes europeus
Caio Nascimento

Cinco promessas africanas na base de clubes europeus

0 Comentários
Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua
Caio Bitencourt

Pellegrini: a história dos romanos na Roma continua

0 Comentários
A afirmação da Espanha e sua nova geração
Bruna Mendes

A afirmação da Espanha e sua nova geração

0 Comentários
Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar
Gabriel de Assis

Guto Ferreira coloca o Bahia para acelerar

0 Comentários
RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B
Douglas Batista

RAIO-X: De onde saem as assistências dos líderes do quesito na Série B

0 Comentários
Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20
Caio Nascimento

Os destaques dos 8 classificados no Brasileirão Sub-20

0 Comentários
A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan
Caio Bitencourt

A reinvenção de Brahim Diaz no meio-campo do Milan

0 Comentários
Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história
Gabriel de Assis

Maduro, o Red Bull Bragantino se aproxima de fazer história

0 Comentários
Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a ‘era’ de clube-estado
Eduardo Dias

Friendly #7 | O novo rico Newcastle, Sports Washing e a 'era' de clube-estado

0 Comentários
Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei
Caio Bitencourt

Napoli: O impacto inicial de Anguissa com a camisa partenopei

0 Comentários
O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?
Caio Nascimento

O Grande Norte e os grandes desafios: o que o futuro reserva para o futebol masculino do Canadá?

0 Comentários
O agressivo América/MG de Vagner Mancini
Gabriel de Assis

O agressivo América/MG de Vagner Mancini

0 Comentários
O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba
Douglas Batista

O Botafogo/PB em busca de um acesso histórico na Paraíba

0 Comentários
A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona
Bruna Mendes

A disparidade entre Atlético de Madrid e Barcelona

0 Comentários