Real Madrid, Ajax, Benfica e Salzburg duelam pelo título na bolha da Youth League 19/20

Xavi Simons, Troy Parrott, Morgan Rogers, Rodrigo Riquelme, Franco Tongya, Curtis Jones, Giovanni Reyna, Nils Mortimer e Rayan Cherki são alguns dos grandes nomes que entraram em campo nesta edição.

A quinta edição da UEFA Youth League está chegando ao fim. Considerado o torneio de juniores mais importante no mundo atualmente, a edição de 2019/20 mostrou que o nível técnico justifica o apreço que muitos especialistas dão à competição.

Embora o principal objetivo seja o desenvolvimento dos atletas, vários clubes grandes caíram prematuramente na temporada 2019/20. Barcelona, PSG, Manchester City, Tottenham e Chelsea sequer passaram da fase de grupos. Borussia Dortmund e Porto caíram na rodada pré-playoffs enquanto Bayern de Munique, Liverpool e Juventus foram eliminados nas oitavas-de-final.

Assim como a Champions League, a Youth League foi paralisada no meio dos playoffs por conta da pandemia causa pelo coronavírus. Ela retornou no domingo passado, dia 16 de agosto, com os jogos restantes das oitavas-de-final que não aconteceram na data prevista.

Isolados na bolha de Nyon, na Suíça, que sempre fora a cidade sede das partidas eliminatórias das quartas-de-final em diante, os tradicionalíssimos Ajax, Benfica, RB Salzburg e Real Madrid garantiram suas vagas entre as quatro melhores equipes do torneio. Ajax e Real Madrid buscam chegar a final pela primeira vez enquanto o Benfica luta pelo título inédito, que escapara justamente contra o RB Salzburg, na edição de 2016/17. Curiosamente, essa final pode ser repetida neste ano.

No sábado, 22 de agosto, Ajax x Benfica e Salzburg x Real Madrid se enfrentam pelas semifinais. A grande final acontecerá na terça-feira, 25 de agosto, às 13h. Abaixo você conhecerá mais sobre as equipes.


Ajax

Ideho comemorando seu primeiro gol na Youth League. Foto: UEFA

Parece irônico, mas essa é a primeira vez que o Ajax consegue chegar a semifinal da Youth League. Mesmo possuindo uma das melhores academias do planeta, o clube morreu na praia diversas vezes nos playoffs, geralmente eliminado nas penalidades.

No entanto, a geração 2003/04 Ajacied fez história ao conseguir passar pelas quartas-de-final, tendo eliminado os dinamarqueses do Midtjylland por 3×1. Antes de a pandemia assolar a humanidade, os holandeses eram mais favoritos do que são agora, apesar do amplo domínio sobre o adversário vencido na rodada anterior.

Isso se deve ao fato de que Devyne Rensch, Kenneth Taylor e Naci Ünüvar foram alçados para a equipe principal, que faz pré-temporada na Áustria. O trio se destacou tanto durante a competição que conseguira mexer com o imaginário de Erik Ten Hag, que já conta com vários atletas jovens buscando seu espaço. Além disso, Johnny Heitinga, treinador da equipe sub-19, perdeu o lateral-esquerdo Anass Salah-Eddine por lesão no joelho durante um amistoso preparatório.

Essas constantes mutações na equipe sub-19 não são novidades para Heitinga. Por exemplo, ele “perdeu” Brian Brobbey, uma máquina de fazer gols, para a equipe sub-23 ainda durante a fase de grupos da Youth League. O artilheiro só teve tempo de fazer um gol na competição.

Entretanto, o jovem treinador de 36 anos consegue manejar muito bem suas peças. Sempre mantendo o 4-3-3 como base, Heitinga gosta de escalar seu ataque de acordo com o adversário. Ele já entrou em campo com um trio de atacantes velozes, outras vezes com um camisa 9 de referência e dois extremos e já aconteceu de entrar com um meia-ofensivo fazendo a função de falso nove além dos dois ponteiros. É complicado prever o que Heitinga irá fazer antes das partidas.

Sem Taylor e Ünüvar, o holofote agora está sobre outra dupla: Youri Regeer e Sontje Hansen. Regeer, 17 anos, é meio-campista de origem, porém, na fase de grupos ele chegou a atuar como falso nove justamente pela presença de Taylor, que formava o meio-campo com Llansana e Quinten Timber. E foi jogando adiantado que ele marcou cinco gols em seis jogos com o Ajax. Na partida contra o Midtjylland, Regeer voltou às origens e atuou no meio-campo como armador, cumprindo o papel que antes era de Kenneth Taylor.

Hansen, 18 anos, é ponta-de-lança de origem, mas devido a grande qualidade técnica no um contra um, ele pode ser escalado nas duas extremidades do ataque. O holandês tem dois gols e duas assistências em cinco jogos na Youth League.

Mesmo desfalcado, Heitinga possui “coadjuvantes de luxo” a seu dispor. Quinten Timber é o maior exemplo disso. Com menos badalação que o irmão gêmeo, Jurrien Timber, que já faz parte da equipe profissional, o meio-campista de 19 anos fora essencial na caminhada da equipe holandesa na Youth League, sobretudo na partida contra o Midtjylland, onde se destacara pela quantidade de desarmes e contra-ataques puxados. Timber é polivalente, podendo atuar em qualquer função no meio-campo e até de lateral, caso seja necessário.

Liam van Gelderen, Enric Llansana, Ar’Jany Martha e Christian Rasmussen são outros jogadores importantes do elenco. Os dois primeiros não atuaram contra o Midtjylland, mas ambos são peças-chaves no estilo de jogo que já é marca registrada do Ajax. Van Gelderen é um zagueiro técnico e Llansana é meia-central com ótima distribuição de jogo.

O Ajax passou em primeiro lugar no Grupo H com 11 pontos. Nas oitavas-de-final, os holandeses venceram o Atlético de Madrid nas penalidades após empatar em 0x0. Nas quartas, como mencionado antes, Ajax vencera com facilidade o Midtjylland por 3×1 com gols de Rasmussen, Hansen e Ideho.

Benfica

Benfica atropelou o Dínamo de Zagreb no segundo tempo graças ao talento de Embaló. Foto: UEFA

Os Encarnados são reconhecidos mundialmente pela academia do Seixal, que revelou grandes nomes portugueses nos últimos 10 anos. No entanto, o Benfica nunca conseguiu levantar o troféu da Youth League. Na edição da temporada de 2016/17, as Águias bateram na trave e ficaram com o vice-campeonato, que fora conquistado pelo Salzburg. Rúben Dias, Florentino Luís, Gedson Fernandes, Jota e João Felix estiveram em campo naquela final contra os austríacos.

Nem sempre os elencos mais estrelados acabam conquistando o caneco. O Benfica aprendeu isso da pior maneira possível. Entretanto, os lusitanos armaram novamente um plantel recheado de destaques.

Ao contrário do rival Ajax, o Benfica não sofrera nenhuma baixa significativa para o retorno da Youth League. Comandado por Luis Castro, os benfiquistas atuam no 4-3-3 que pode ser mudado facilmente para um 4-3-1-2 devido à quantidade impressionante de atletas capazes de entender e desempenhar outras funções.

Com o segundo melhor ataque da competição com 24 gols marcados, o clube de Lisboa apresenta um cartel ofensivo de saltar os olhos. O principal destaque é Gonçalo Ramos, autor de seis gols na competição, e que já é atleta profissional do Benfica, tendo feito dois gols em sua estreia na reta final do campeonato português.

Ramos é capaz de atuar como ponta-de-lança, extremo-esquerdo ou até como segundo atacante, caso o sistema de jogo seja o 4-3-1-2. O avançado de 19 anos é considerado um fenômeno por sua capacidade atlética, controle de bola e facilidade para finalizar. Qualquer espaço pode ser fatal, porque, além disso, ele também sabe jogar entrelinhas.

Outro grande destaque benfiquista na Youth League atende pelo nome de Tiago Dantas. O meia-ofensivo de 19 anos participou de todas as partidas da equipe, tendo anotado três gols e realizado duas assistências. Dantas veste a camisa 10 e é o principal responsável pela armação das jogadas. No 4-3-3, ele atua mais como interior esquerdo, ficando próximo a Gonçalo Ramos. No 4-3-1-2, o meia português é protegido pela linha de três e ganha mais liberdade criativa para se juntar aos companheiros de frente.

Embora não seja tão atlético quanto Ramos, Tiago Dantas é um jogador muito passional e que imprime um ritmo de jogo intenso, nem sempre guardando posição. Ele também é uma ameaça em bolas paradas, sendo um exímio chutador de longa distância.

Paulo Bernardo e Ronaldo Camará revezam como parceiros de meio-campo de Tiago Dantas. Bernardo é mais alto (1,84m) e mais posicional que Camará e Dantas. O meia de 18 anos possui grande leitura de jogo e excelente passe, seja curto ou longo. Camará é mais franzino (1,72m), porém, mais habilidoso e dinâmico. Na vitória por 3×1 sobre o Dínamo de Zagreb, Ronaldo começou no banco justamente pelo embate físico que seria proporcionado na partida. Talvez na partida contra o Ajax ele comece jogando, que será um jogo mais técnico e veloz, exigindo uma capacidade inventiva que Camará domina muito bem.

Um jogador muito importante para o sistema de jogo de Maciel é Umaro Embaló, extrema-direita de 19 anos. O jovem português é muito, mas muito rápido e extremamente efetivo no um contra um. Quando a situação aperta, especialmente contra equipes que marcam em bloco baixo, a individualidade de Embaló vem a calhar, sendo um driblador nato e objetivo, tendo assistido duas vezes para gol na competição.

O principal nome no setor defensivo do Benfica é Pedro Álvaro, zagueiro de 20 anos, que bateu o recorde de partidas na Youth League no duelo contra o Dínamo de Zagreb. Ele alcançou a marca de 28 jogos na competição. No entanto, ele saiu machucado da partida e sua participação na semifinal é duvidosa. Ao lado de Álvaro joga Morato, ex-São Paulo. O defensor brasileiro evoluiu exponencialmente sua capacidade técnica, sendo fundamental na saída limpa pelo chão ou em lançamentos precisos do campo de defesa buscando os extremos no ataque.

O Benfica passou em primeiro lugar no Grupo G com 15 pontos. Nas oitavas, os portugueses amassaram o Liverpool com uma vitória por 4×1. Nas quartas, os Encarnados mostraram poder de reação ao virarem o jogo contra o Dínamo de Zagreb para 3×1 com dois gols de Ramos e um de Henrique Araújo.

RB Salzburg

Adeyemi e Adamu, a dupla infernal do Salzburg. Foto: UEFA

Quem não acompanha futebol de base pode até achar estranho, mas o Salzburg é o único dos quatro semifinalistas com um título da Youth League. Famosa por ter sido a casa de Sadio Mané e Erling Haaland, a equipe austríaca tem como principal meta a revelação de jogadores.

Igor Júlio, Amadou Haidara, Hannes Wolf, Mergim Berisha e Patson Daka estiveram em campo na grande final vencida contra o Benfica. Wolf foi eleito o melhor jogador daquela final, tendo sido responsável pela jogada dos dois gols austríacos.

Após três temporadas, cá está o Salzburg outra vez buscando o título. Com o melhor ataque da competição com 28 gols, a equipe austríaca conta com vários jogadores com experiência profissional.

Esse é o caso de Karim Adeyemi, atacante de 18 anos, autor de três gols e seis assistências em oito partidas na Youth League. Adeyemi participou de 10 partidas na Bundesliga austríaca, tendo feito um gol e três assistências. Na segunda divisão, pelo Leifering, clube satélite do Salzburg, foram 14 jogos com nove gols e oito assistências. Além disso, o jovem já atuou em Liga Europa e na Copa da Áustria.

Canhoto, Adeyemi se destaca pela polivalência no setor ofensivo, podendo atuar como centroavante, segundo atacante ou extrema (tanto na direita quanto na esquerda). Nascido em Munique, ele passou pela base do Bayern, mas sem sucesso. Adeyemi se destaca pelo controle de bola, velocidade e inteligência tática. Na vitória por 4×3 contra o Lyon, o alemão só faltou fazer chover, mesmo saindo sem marcar.

O parceiro de ataque de Adeyemi é Chukwubuike Adamu, de 19 anos, autor de seis gols na Youth League. O centroavante de 1,83m também tem experiência profissional, tendo participado de 20 partidas na segunda divisão austríaca, onde tivera 14 gols e duas assistências. Na partida contra o Lyon, Adamu marcou seu primeiro hat-trick na competição. Com posicionamento dentro da pequena área impecável, o austríaco costuma causar impactos na disputa pelo alto, além de ter um domínio de bola muito bom.

Bo Svensson, treinador do Salzburg, gosta de variar na montagem do esquema tático. A equipe já atuou no 4-3-3, no 4-1-3-2 e mais recentemente no 4-3-1-2. Svensson baseia o Salzburg no adversário que vai enfrentar, mas essa pluralidade tática só é possível devido a presença de Luka Sucic, meia de 17 anos, nascido na Croácia.

Sucic é um camisa 10 por natureza, possuindo grande qualidade técnica e visão de jogo. Sob a batuta de Svensson, o croata aprendeu novas funções no meio-campo, podendo ser um “box-to-box” ou até um armador recuado pela direita. Canhoto, o domínio e o passe orientado de Sucic costumam quebrar linhas adversárias, proporcionando inúmeras chances de finalização para os atacantes.

Peter Pokorny é outro jogador fundamental para o Salzburg. O meia-central de 19 anos é primeiramente responsável pela proteção à defesa, porém, o eslovaco possui muita qualidade na distribuição de passes curtos, afundando muitas vezes como terceiro zagueiro para fazer a saída de bola mais limpa no primeiro terço. Pokorny se associa muito bem com o excelente zagueiro Bryan Okoh, de apenas 17 anos. O defensor suíço é rápido, valente e muito concentrado nos desarmes. Com 1,87m, Okoh também é uma grande ameaça no jogo aéreo.

O Salzburg se classificou em segundo lugar no Grupo E com 10 pontos. Por isso, os austríacos tiveram que jogar o “pré-playoff” contra o Porto, que vencera nas penalidades após empatar por 1×1 no tempo regulamentar. Nas oitavas, o Salzburg atropelou o Derby County por 4×1, que havia eliminado o Borussia Dortmund. Nas quartas, os austríacos venceram o Lyon por 4×3 com três gols de Adamu e um de Okoh. O goleiro Daniel Antosh defendeu três cobranças de pênaltis de Florent da Silva logo no inicio da partida.

Real Madrid

Real Madrid bateu dois gigantes italianos para chegar a semifinal. Foto: UEFA

O maior campeão da Champions League agora vai firme a busca do seu primeiro caneco da versão “júnior” do maior torneio entre clubes no mundo. Comandados pelo ídolo histórico Raúl González, que vencera três das 13 taças na versão adulta, o Real Madrid apresenta uma equipe bastante envolvente e que faz jus ao apelido de “La Fábrica”.

Os merengues vão jogar sua terceira semifinal de Youth League. Apesar de nunca ter chegado a final, o Real Madrid sempre se classificou para os playoffs, tendo como piores campanhas duas eliminações nas quartas-de-final. Jogadores como Achraf Hakimi, Federico Valverde e Borja Mayoral fizeram parte desses elencos madridistas.

Com o terceiro melhor ataque da competição com 22 gols marcados, o Real Madrid aposta muito no entrosamento dos atletas e no conhecimento da competição por alguns deles. Victor Chust, Miguel Gutiérrez e Antonio Blanco estão na terceira edição de Youth League enquanto Marvin Park já está em sua segunda participação.

Além disso, a equipe sub-19 conta com reforços de jogadores do Real Madrid Castilla, que disputa a terceira divisão espanhola. Aliás, o próprio Raúl é um reforço do Castilla visando o título da Youth League. No entanto, o Real Madrid também teve desfalques durante a paralisação da competição por conta da pandemia. Miguel Baeza, 20 anos, era a referência técnica da equipe e acabou sendo vendido ao Celta de Vigo. Theo Zidane e Pedro Ruiz foram alçados a categorias superiores por conta da idade.

No meio dessa reformulação, Raúl foi chamado para dar uma nova roupagem na reta final da Youth League. O ex-atacante definiu o 4-1-4-1 como esquema principal, sendo que anteriormente a equipe jogava bastante no 4-3-3. O sistema atual dos merengues potencializa o que eles têm de melhor: Antonio Blanco.

Com a saída de Baeza, Blanco virou a principal referência técnica do Real Madrid. O camisa 6 é extremamente habilidoso com a bola no pé, porém, a visão de jogo é o fator determinante para o funcionamento da equipe. Blanco é muito associativo, tanto com os companheiros na defesa quanto no suporte ofensivo. Toda iniciação de jogada passa pelos pés do garoto de 20 anos.

A frente de Blanco está uma linha de quatro meias rápidos, dribladores e com poder de definição. Carlos Dotor (Pablo Rodríguez), Sergio Arribas, Jordi (Park) e Iván Morante marcaram 10 dos 14 gols nas últimas cinco partidas do Real Madrid. Morante e Arribas são os interiores nessa linha de quatro, se associando muito com Blanco na base da jogada. Morante é mais veloz e forte que Arribas, que por sua vez é mais driblador e criativo nas jogadas individuais, sendo responsável por abrir e atacar espaços na defesa adversária.

Dotor, Rodríguez, Park e Jordi são extremos que ao mesmo tempo em que criam amplitude também pisam na área, explorando a movimentação do centroavante Juan Latasa, que tem três gols em cinco partidas pela Youth League. O “trabalho sujo” do jovem centroavante espanhol é importantíssimo na engrenagem de Raúl González, pois além de se movimentar entre as linhas, Latasa também gera profundidade com sua altura e capacidade no pivô.

O Real Madrid se classificou em primeiro lugar no Grupo A com 13 pontos. Nas oitavas, os merengues derrotaram a Juventus por 3×1 após virar o placar com um jogador a menos (Jordi foi expulso). Nas quartas, num jogo truncado contra a Inter de Milão, Arribas chamou a responsabilidade e ajudou o Real Madrid a meter um sonoro 3×0 no segundo tempo, com gols de Park, Gutiérrez e Morante.

Compartilhe

Comente!

Tem algo a dizer?

Caio Nascimento

Últimas Postagens

O que é a linha sustentada, conceito dominado por Tite e Mano Menezes e que fez sucesso no Corinthians
Caio Alves

O que é a linha sustentada, conceito dominado por Tite e Mano Menezes e que fez sucesso no Corinthians

0 Comentários
Atlético-MG vive seu melhor momento na temporada
Gabriel de Assis

Atlético-MG vive seu melhor momento na temporada

0 Comentários
A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol
Jonatan Cavalcante

A onda tecnicista na função do auxiliar técnico de futebol

0 Comentários
Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI
Footure

Friendly #1 | Imaginar e construir o futuro, a habilidade fundamental do século XXI

0 Comentários
Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada
Caio Nascimento

Surpresa e tradição: os classificados para as quartas do futebol masculino na Olimpíada

0 Comentários
Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos
Caio Bitencourt

Osimhen, Simy, e a problemática das narrativas sobre jogadores africanos

0 Comentários
O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?
Bruna Mendes

O que esperar do Real Madrid para os próximos anos com Carlo Ancelotti?

0 Comentários
O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?
Gabriel de Assis

O que explica as goleadas do Flamengo com Renato Gaúcho?

0 Comentários
Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?
Jonatan Cavalcante

Como o Vojvodismo transformou o Fortaleza em protagonista no futebol brasileiro?

0 Comentários
God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22
Gabriel Corrêa

God Save the Game #34 | A janela de transferências da Premier League 21/22

0 Comentários
Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado
Gabriel de Assis

Felipão chega entregando o de sempre: segurança e resultado

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 2

0 Comentários
A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?
Caio Bitencourt

A Itália ainda pode crescer após o título da Euro?

0 Comentários
Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1
Caio Nascimento

Guia do futebol masculino na Olimpíada de Tokyo 2020: parte 1

0 Comentários
O complicado início de Diego Aguirre no Internacional
Gabriel de Assis

O complicado início de Diego Aguirre no Internacional

0 Comentários